terça-feira, fevereiro 28, 2006

Carlinhos Brown pede desculpas e Gilberto Gil Chora

Após alfinetada, Brown pede desculpas e Gilberto Gil chora...

Em pleno carnaval de Salvador, Carlinhos Brown fez duras críticas ao apartheid social, que domina na Bahia, e pediu publicamente providências às autoridades para dar mais educação e igualdade social à população...
Foi o ato mais político deste Carnaval baiano, o fundador da Timbalada deixou Gilberto Gil sem palavras, mesmo o ministro estando com o microfone nas mãos... Somente no dia seguinte Gil respondeu ao protesto, ressaltando que as diferenças sociais não seriam resolvidas da noite para o dia, e compreende que o Carnaval é um momento em que existe uma trégua social, isto é, as grandes tensões sociais provocadas pelas desigualdades da sociedade ficam suspensas, mas, ainda assim, o carnaval não consegue abolir todas as diferenças, enfatizou o ministro.
Carlinhos Brown parou ontem seu trio elétrico em frente ao camarote do ministro para pedir desculpas. Depois, ainda foi ao camarote reafirmar o pedido.
No discurso, Brown considerou sua fala no sábado um “erro”, cantou para Gil e fez o ministro chorar. Foi uma atuação totalmente oposta a de seu discurso anterior.

Fonte: Agência Estado

domingo, fevereiro 26, 2006

Aos Subcomandantes com carinho...

Existem pessoas que se constituem em gratas alegrias em nossa caminhada...
Não poderia deixar de mencioná-las neste blog.
Por conta da viagem que fiz à Cuba, no retorno, conheci o Rocha e o Nílton Atayde, ambos visitaram a terra de Fidel; com o Rocha aprendemos que toda radicalização é pequena frente a fome que dizima e desumaniza os excluídos, chamados num passado recente de descamisados... Com sua verve audaz, discorre sobre as vicissitudes na qual o homem comum está mergulhado, para sempre ao final da conversa transbordar de esperança em dias-melhores-que-virão...
O Nílton Atayde já é uma pessoa mais comedida, atento nas argumentações expostas pelos amigos, provavelmente por ter uma formação filosófica (formou-se também em direito)... O vejo sempre com um olhar perspicaz, como a mergulhar em cada um, com a agudeza de espírito que a vida profissional lhe proporcionou, desvendando os enigmas de desventuradas vidas...
O elo que nos uniu, atende pelo nome de Duda Bueres, reproduzindo suas falas "nós somos da resistência francesa", "irmãos de terço e terçado..."
Resumindo, o Bueres é o nosso irmão sex... (como diria o Nilton: Sexagenário).
É bom recordar o subcomandante Marco, a figura mítica da Revolução Zapatista, dizendo em alto e bom tom - "comandante é o Povo!!! "
Fica aqui neste espaço a saudação aos dois subcomandantes, ambos com sonhos e utopias que haveremos de um dia compartihá-los "con los hermanos..." Ao som de Pablo Milanes e Sílvio Rodriguez...
Arriba e em frente sempre...
É isso aí.

Privatização de Praias

A RT informa (revista da Editora RT, ano VII, nº 41 - jan/fev - 2006) traz um artigo que se refere ao uso do espaço público como bem privado, o exemplo que se apresenta de imediato em todo o Brasil - a privatização das praias.
Existe pelo Brasil afora um número crescente de condomínios, resorts e outros empreendimentos (comerciais ou não), que acabam restringindo o acesso às praias com a instalação de guaritas, muros e dotando-as de segurança privada. Segundo o Procurador do Estado e membro do Conselho Superior do Ministério Público de São Paulo - Daniel Fink, "É um claro desrespeito à legislação, pois não temos no País o conceito de praias particulares".
Após 16 anos de discussões, o Decreto Federal nº 5.300/2004 regulamentou o Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro - PNGC, instituído originalmente pela Lei nº 7.661/1988. O novo diploma legal passou a ser mais um instrumento para combater a privatização das praias.
Resumindo, o PNGC busca orientar a utilização racional dos recursos na Zona Costeira, protegendo desta maneira o patrimônio natural, histórico e cultural dessas áreas, e acima de tudo definindo os limites terrestres para a ocupação da orla e atribuindo aos Estados e Municípios a tarefa de criar legislações específicas para atender às necessidades locais, obedecendo, naturalmente, às diretrizes gerais. Assevera Fink, "com isso, não se pode mais invocar legislações municipais desatualizadas para permitir ocupações ilegais, sob pena de crime de improbidade administrativa".
Em relação ao limite terrestre, a nova lei estabelece um recuo de 50 metros em áreas urbanizadas e 200 metros em áreas não urbanizadas, contadas na direção do continente, a partir do limite de contato entre a terra e o mar em qualquer de suas feições (praia, restinga, manguezal, costão etc.).
Para Fink, um dos aspectos mais importante nesse debate é reforçar o conceito previsto no parágrafo 10 da Lei 7.661, segundo o qual "as praias são bens públicos de uso comum, sendo assegurado, sempre, livre e franco acesso a elas e ao mar, ressalvados os trechos considerados de segurança nacional ou incluídos em áreas protegidas por legislação específica", finalizou o Procurador.

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

OS CABELOS SE VÃO COMO AS ILUSÕES...

Coversando com o Cabi (o amigo abreviado, lembram??!!), confesso que fiquei tristonho. O papo na hora do almoço foi mais um desabafo, o amigo supracitado iniciou a conversa dizendo que está assustado com o volume de cabelo que perdeu na última semana. Em tom nostálgico ele balbucia, "na semana passada quando me levantei da cama, percebi uns pêlos no travesseiro, aí meu irmão, falei pra mulher não deixar mas o cachorro pular na cama, porque ele tava deixando a cama cheia de pêlos... pô cara! o cachorro era eu. Olha só essas entradas, mas parecem avenidas..." Na ânsia de acalmá-lo, num tom bem sério, exortei-o à resignação, quem sabe aceitar a situação?! Afinal de contas perder os cabelos era como perder as ilusões... Acho que ele não ficou satisfeito com a "força" que eu quis lhe dar, lançou no ar alguns impropérios e resmungou outras palavras quase ininteligíveis... Alguma coisa dita com os dentes cerrados foi possível captar: peruca não é vergonha...

REVISTA DO MESTRADO DE DIREITO DA UNAMA

Lançada no ano passado o nº 1 da Revista do Programa de Mestrado em Direito da UNAMA, na qual o coordenador da Pós-graduação Prof. Georgenor Franco expõe a importância da produção científica em nossa região. Destaca-se o trabalho publicado pelo Prof. Hermes Tupinambá - ÉTICA NA JUSTIÇA, o autor alerta da dificuldade em explicar o fenômeno Justiça, sustenta o douto professor que no dia-a-dia, todos conseguem sentir na prática da vida o que vem a ser Justiça, mas não sabemos explicá-la. O estudioso revisita Platão, Aristóteles, passando também pelos Utilitaristas até o contemporâneo John Rawls, sem deixar de citar o professor paraense e juiz aposentado do trabalho - mestre Roberto Santos.
Em conclusão o autor assevera "A Justiça deve ser hoje, mais do que antes, uma Justiça social, isto é, comprometida com a igualdade de todos, procurando amparar os mais necessitados. E a distribuição dessa Justiça, de modo correto e seguro, só pode ser alcançada com a adoção de critérios éticos, ao lado do necessário conhecimento jurídico e preparo técnico". Em breve o próximo número deve ser lançado e estaremos comentando.
É isso aí.

O QUE ESTOU LENDO...

O livro A Salvação pelo Espetáculo da Doutora e Professora da UFPA Kátia Mendonça. No texto é discutido o papel do simbólico na política brasileira, analisando-se diferentes momentos de nossa história contemporânea em que se preferiu a mitificação à verdade dos fatos. O tema é atual, visto que a autora coloca a necessidade da subordinação da política à ética, revelando como o marketing político ajuda a forjar imagens públicas salvacionistas, de que é exemplo o processo de ascensão e queda de Fernando Collor de Melo. O livro ajuda a entender melhor o Brasil, a ver e ler imagens e notícias com inteligente desconfiança, e a situar-se criticamente no espaço público da sociedade democrática dos nossos dias. O livro é originalmente a tese de doutorado defendida na USP, com orientação de Gabriel Cohn e inspiração e influência de Raymundo Faoro, a editora TopBooks.
Onde comprar? Livraria ponto e vírgula.
É isso aí.

O QUE ESTOU ESCUTANDO...

Almino Henrique, músico & compositor, desta feita cantando em todas as faixas do seu CD - ALMINO PRETOS, simplesmente excelente! A primeira faixa É DO TAMBOR só com percussão e vocal, sendo que nos atabaques o conhecido da MPB - Robertinho Silva, esta faixa lembra Waldemar Henrique nas incursões pelos Terreiros de Umbanda, o resultado é muito legal... Imperdível a terceira faixa MANGA CONCRETA com os arranjos de metais e o baixo de Ney Conceição, esta música foi hit na rádio FM CULTURA, Manga que lambuza a boca, manga que não é a da sua roupa... até o caroço, até com febre, até do morto... não manga de mim...
Escutar Almino Henrique, como diria a propaganda de uma empresa de celular, é uma delícia... Produção impecável, com capa e encarte bem trabalhado, fotografias de Walda Marques e projeto gráfico de Andréa Pinheiro (ela é também cantora).
Onde encontrar o disco? Na loja Ná Figueiredo e CD Store.
É isso aí.

Carnaval & Calypso

Estou estudando, é mais de meia-noite, o sono começa a dar os primeiros sinais, ou talvez seja apenas o cansaço de uma semana que derrama os seus últimos suspiros, esperando pela folia de MoMo... Ligo a tv e o Jornal da Globobo mostra o flash do carnaval belemense, aparece a Banda Calypso... Imediatamente vem a lembrança do meu amigo Cabi (abreviação de Cabeção) que foi diretor do QUENZÃO, ontem ele havia me dito que em relação ao carnaval de Belém, não tinha como não jogar a toalha, as palavras dele por telefone foram "o que é que eu posso fazer? vou pro Sal (Salinas), lá é melhor!".
Todo mundo tá dormindo, vou até à janela da sala(estou no 13º andar), antes de fechá-la avisto a sede do Quem São Eles...
Tudo é silêncio...
Mas a Calypso tá fazendo o maior carnaval!!! Enaltece a repórter na TV...
E uma voz lá no fundinho diz "pensa baixinho, fala baixinho, não adianta... ninguém vai te ouvir..."
Nesta hora é impossível não lembrar do Cabi (aquele meu amigo) limpando o óculos e depois alisando o joelho bichado dizendo "eu vou é pro Sal..."
Eu me pergunto como o Cabi se transformou no Al-Mustafá, o eleito e bem amado?! Como consegue ensinar tanto dizendo "vou pro Sal..."???!!!

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Eu e meu amigo Duda

Por incrível que pareça na hora em que tava descobrindo o blog, recebo a visita do compositor, músico e dublê de empresário Duda Bueres, será um sinal de sorte???!!! É claro que este amigo onde chega leva muita luz... ops!!! Lanterna... ops!!! fósforo! Ele me repreende, dizendo "pô palitinho de fósforo p´ra jogar porrinha..." Um abraço ao amigo Duda, vai a torcida para que logo-logo saia o seu CD não só com as músicas de combates, baladas(MPP), mas muito boi-bumbá... Ê Sapo-boi!!!!!!!

CABEÇÃO ESTE É P'RA VC...

Ao amigo D. Bruno,
Cabeção fiz o que vc não quis ensinar e escondeu de mim. Fui pelo método "descubra você mesmo, fazendo você mesmo, se vira". Mas, valeu.
Cab (vou chamá-lo abreviando, ok?) continue estudando para o mestrado, não é hora de moleza, o momento é de superação, transpiração... esquece um pouco o vinho, uísque, absolut vodka...
Nós não podemos dispersar agora...
Vai que é tua tafarel!!!!!

Começar, sempre começar...

Depois de um longo tempo tentando montar o meu blog, eis que ele nasceu... Foi difícil, pedi ajuda para um grande amigo, grande como a CABEÇA do mesmo (vcs não iam acreditar), mas... Ele também falhou, apesar de todo talento para lidar com essas novas tecnologias... Nasceu o blog do Prof. Pedro Nelito... Depois de muita paciência... Eis a criança sorrindo, nem bem nasceu já quer correr, calma!!!! Vamos por parte.
Primeira pretensão, tornar a comunicação com os meus alunos mais fácil.
Em segundo, mas não menos importante que o item anterior, divulgar a nossa cultura, debater o direito, entender a economia-nossa-de-cada-dia, ah! ainda existe o futebol, paixão que mais nos aproxima, que revela a nossa identidade, como somos... VIVA O PAPÃO DA AMAZÔNIA!!!!!!!! Orgulho e glória de todos que apresentam um charme discreto e que estão sempre felizes, afinal de contas O CÉU É AZUL, AS NUVENS SÃO BRANCAS E O MUNDO É MARAVILHOSO...
Obrigadooooooooooo!!!!!
Prof. Pedro