quinta-feira, março 30, 2006

O Mundo prepara homenagens para Borges

"Publicamos para não passar a vida corrigindo rascunhos. Quer dizer, a gente publica um livro para livrar-se dele."(Borges)


Já se vão quase 20 anos da morte de Jorge Luís Borges (14/06/86), o escritor argentino será homenageado pelo mundo inteiro este ano. Um grande tributo à memória de um escritor ímpar possuidor de uma obra que é um clássico da literatura universal. Genebra, Lisboa, Madrid, Paris, Nova York. Porto Rico e Buenos Aires são algumas das metrópoles onde se realizam desde março conferências e exposições vinculadas com a vida e o universo borgeano. A Fundação Internacional Jorge Luis Borges tem participado da organização dos atos, que terão seu ápice em junho próximo, mês em que faleceu o autor de "Outras Inquisições".
Em maio próximo, em data ainda não determinada, o escultor argentino Federico Brook, radicado na Itália, inaugurará uma obra comemorativa de Borges em uma praça situada em frente a embaixada argentina em Lisboa, sob os auspícios dos governos de Portugal e Argentina.
Em agosto, em Buenos Aires, a Fundação Borges comemorará o 20° aniversário de seu falecimento e o 80° aniversário de seu segundo ensaio, "O tamanho de minha esperança", com as jornadas "Borges e os outros". Se abordará a relação entre o escritor e a ciência, a cabala, o tango, assim como a vinculação do autor com a filosofia, o jornalismo e os gêneros literários...
Existe um interesse crescente entre os jovens pela obra de Borges. Em muitos países (Argentina, Espanha...) os universitários elegem Borges como tema de suas teses.
A geração que viveu o golpe de 1964, aqueles mais engajados, não viam Borges com "bons olhos", um contexto muito politizado pela guerra fria e outras utopias. Não agradava Borges o comunismo, dizia o argentino: "O fato é que eu cresci com a convicção de que o indivíduo deve ser forte e o Estado, fraco. Não consigo apreciar teorias segundo os quais o Estado é mais importante do que o indivíduo.".
Sobre poesia, Jorge Luís Borges dizia-se mais sensível à épica do que à lírica. Entre as obras épicas que ele mais admirava, incluía Os Lusíadas, de Camões, e o nosso Os Sertões, de Euclides da Cunha, talvez sem propor-se a tal, mas de fato e é... Relata Borges sobre Os Sertões: "Eu o descobri numa livraria de livros velhos, em Buenos Aires, e o li sem dicionário. Não sei se entendi tudo ou senti muitas coisas. Emocionou-me muito esse livro... Agora tenho lembranças pessoais de Os Sertões, caatingas que nunca vi. Mas as imagens dos livros se transformam, com o tempo, em imagens pessoais."

Aproveite vá até à livraria Jinkings e pegue um Borges, sugestão História universal da infâmia.




Cochilo em serviço não gera dispensa por justa causa, decide TRT-SP


Com o entendimento de que nenhum ser humano tem controle sobre o próprio sono, a 4ª Turma do TRT-SP (Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo) decidiu que um cochilo eventual em serviço não é razão para dispensa por justa causa de vigilantes noturnos. Segudo a assessoria do tribunal, um ex-funcionário da em presa de segurança Forte’s Segurança e Vigilância ingressou com ação na 51ª Vara do Trabalho de São Paulo, buscando a reversão de sua dispensa por justa causa, para receber as verbas rescisórias. Por maioria de votos, os juízes da 4ª Turma acompanharam o voto do relator, o juiz Ricardo Trigueiros, condenando a Forte’s a pagar ao ex-empregado as verbas rescisórias devidas pela demissão sem justa causa. Flagrado dormindo em serviço pelo supervisor de segurança da Secretaria de Cultura de São Paulo, onde trabalhava como empregado terceirizado, o vigilante foi demitido. Para ele, a punição da empresa foi rigorosa demais, já que nos quatro anos de vigência do contrato de trabalho, só havia recebido uma única advertência, por falta injustificada. Em sua defesa, a Forte’s sustentou que o vigilante foi surpreendido dormindo "ainda em pleno horário de serviço, por volta das 3h10". Ele estava deitado no sofá, com uma almofada sob a cabeça e uma blusa cobrindo o corpo. Para a empresa, o ex-empregado cometeu ato de "desídia (ou indolência) no desempenho das respectivas funções", que é "justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador", de acordo com o artigo 482, alínea "e", da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).O juiz da vara julgou o pedido do vigilante improcedente. Inconformado, ele apelou ao TRT-SP.Em segunda instância, o juiz Ricardo Trigueiros, considerou que "o sono faz parte da natureza humana. Trata-se de uma necessidade biológica complexa e não de uma faculdade (...). Nenhum ser humano vive sem dormir e, mais ainda, nenhum ser humano tem controle sobre o sono"."Saliente-se ainda, que o homem não é um animal notívago. Diante disso, a falta de fruição de sono regular durante a noite pelo trabalhador pode acarretar problemas de adaptação ou até mesmo de saúde", observou o relator. Segundo Ricardo Trigueiros, "o autor permaneceu todos os anos do contrato de trabalho laborando na mesma jornada e no mesmo horário noturno, tratando-se, ainda por cima, de jornada extensa, desgastante, e sobre cuja legalidade ainda se controverte em face da manifesta nocividade para o trabalhador"."Em que pese o fato de o autor ter sido flagrado dormindo, a penalidade aplicada pela ré, configurada na dispensa por justa causa, reveste-se de excessivo rigor", concluiu o juiz.
Quarta-feira, 29 de março de 2006

Fonte: Última Instância

Atenção!!! A Vingança do Pagode... Belo vai ser solto.

A Justiça do Rio concedeu regime semi-aberto ao cantor Belo.

Talvez a preocupação do juiz Carlos Eduardo Carvalho Figueiredo, em exercício na VEP (Vara de Execuções Penais) do Rio de Janeiro, foi em não deixar muito tempo a dublê de modelo Viviane Araújo solta e saracoteando pela nigth, Belo seu namorado teve concedida, nesta quarta-feira (29/3), a progressão do regime fechado para o semi-aberto. Por enquanto, o cantor Marcelo Pires Vieira - o Belo, não poderá sair durante o dia da prisão para trabalhar e voltar à noite para dormir. Ele também ainda não tem permissão para visitar a família. Mas, de acordo com o juiz fluminense, Belo terá esses direitos, comuns ao semi-aberto, quando der informações sobre o empregador para que a VEP proceda a fiscalização no local e saiba dias, horários e condições de trabalho.As informações foram fornecidas pela assessoria de imprensa do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro). Belo foi condenado em 2003 pelo TJ-RJ a oito anos de prisão, em regime fechado, por tráfico de entorpecentes e associação para o tráfico. O juiz da VEP preferiu não seguir o parecer do Ministério Público, que recomendava que o cantor continuasse preso em regime fechado. No último dia 7, a defesa do pagodeiro obteve no STF (Supremo Tribunal Federal), por unanimidade, uma liminar em habeas corpus que lhe permitiu pedir à VEP do Rio a progressão para o regime semi-aberto.

Para quem gosta ou não, aposto que vem por aí mais um CD contando as agruras da prisão(com muito balanço e coreografia bem ensaiadinha, uma beleza!!??), isto se o rapaz não se entregar a Jesus, neste caso sai o pagode e entra o gospel...

Mas mudando de assunto, a Viviane Araújo não convence no Zorra Total, mas repara o mocotó dela, é bonito né?!

quarta-feira, março 29, 2006

Direito Autoral

Não aceito de amigos o argumento de que quando não conseguem os CD's que admiram, recorrem ao camelô.
Quem gosta da boa música, e pratica um ato deste, é burro.
O artista precisa ser remunerado pela sua criação.
É justo pagar aquele que faz a gente feliz com os versos e melodias.
Não tenha pena, o camelô não bateu a cabeça para construir os versos e as melodias...
Não tá nem aí!!!!!!!!!
Os nossos artistas merecem receber pelo trabalho intelectual.

Ananindeua The Best

Falando com os alunos do CESUPA, mesmo aqueles que torcem para o "LEIÃO" AZUL, todos são unânimes em dizer, que é um absurdo o recurso do Clube do Remo. O argumento do advogado se agarra com unhas e dentes à interpretação literal do texto do regulamento, desprezando o fim que a lei pretendia atingir.
Quando se burla o que é justo, o melhor argumento é o texto da lei, e só.
Arriba Ananindeua!!!!!

Eles não poderão deter o nascer do sol...
Até a Vitória.


terça-feira, março 28, 2006

Pára-quedas que te quero bem

Não faz muito tempo, li num jornal de grande circulação em Belém, que um jovem praticante de esporte radical, ao pular de pára-quedas havia sofrido um acidente na descida, provavelmente por imperícia, ficando preso nos galhos de uma frondosa e escarpada árvore. Sem ter como descer pelos galhos, e temendo que o galho no qual estava enganchado fosse arriado pelo peso do seu robusto corpanzil, o indigitado jovem aprendiz de paraquedista, não contou conversa e se desprendeu da parafernália que o envolvia, alçando um vôo em queda livre rumo a sei-lá-o-quê!!
O ensinamento dos nossos velhos é o seguinte: "água não tem cabelo" e "Deus não deu asas para o homem". É bom escutar!!!!
Como não era o momento do afobado-jovem-paraquedista partir desta para-uma-melhor(?!). Os santos e anjos que protegem o infortunado rapaz, fizeram com que a barriga do mesmo funcionasse como um air bag, ficou com algumas dores na coluna, mas o que interessa é que está vivo e sorridente...

Fora o tom jocoso acima, Milton é bom tomar cuidado... e não esquecer o ensinamento dos antigos - DEUS NÃO DEU ASAS PARA O HOMEM!!!!!!
Homem Pássaro só em desenho animado.
Um abraço ao amigo que nasceu de novo.

Professor Maurício

De óculos, roqueiro metaleiro, com olhar circunspecto e sentenças ácidas e irônicas...
Tão à esquerda, que às vezes não era possível defini-lo ideologicamente, por confundir a todos com posturas tão liberais...
De discurso firme em torno da cidadania que corrobora muito mais os escritos de Norberto Bobbio, do que os escritos do velho Karl Marx...
Um defeito imperdoável - é torcedor do Clube do Remo (aquela coisa horrível!).
Muitas revoluções e outras utopias sonhamos e divagamos em uma mesa de um Café em Paris, Berlim, Havana ou Moscou? Nova Déli ou São Paulo? Em uma cidade invisível? (Ítalo Calvino), que não existe mais... Existiu e se perdeu no tempo, que a memória se nega a esquecer...
É... meu caro Maurício Leal Dias, nome e sobrenome de estirpe visigótica que dominou num passado distante a península ibérica, o tempo não pára e nem pode esperar...(Lô Borges)
As utopias persistem. (Marx)
Lembro mais do Círio de Nazaré, pela emoção que arrebata a todos que se aproximam e acreditam numa força que ampara e sustenta nos momentos difíceis, o mais humilde dos homens a continuar-a-continuar...
Não esqueço da Revolução Vermelha de 1917, pela mudança material que proporcionou ao mundo, mas tantas vidas sacrificadas e extirpadas em tenra esperança...
Outros outubros virão...

Em Belém, estarei com o povo contrito, rezando e lembrando dos burocratas diabólicos.

Um abraço Maurício

A Modernidade de Rousseau

Rousseau em sua novela - A Nova Heloísa, assinala com sua pena romântica-nostálgica uma arquetipal sociedade que se delineava nas expressões e situações vivenciadas pelo jovem Saint-Preux, grafadas por Rousseau de forma brilhante. O Caminhante Solitário, como ficou conhecido Rousseau, provocou um grande impacto em seus contemporâneos, revelando a contradição em que todos estavam mergulhados...
Para o autor d'A Nova Heloísa, Paris representava um redemoinho - le tourbillon social.
Saint-Preux, um jovem que vem do campo para morar em Paris, expõe por cartas à sua namorada Julie todas as suas angústias e perplexidades vividas no le tourbillon social. Ele escreve dizendo que existe "uma permanente colisão de grupos e conluios, um contínuo fluxo e refluxo de opiniões conflitivas... Todos se colocam freqüentemente em contradição consigo mesmos... Tudo é absurdo, mas nada é chocante, porque todos se acostumam a tudo...".
Rousseau relata através de seu jovem herói, que "... este é um mundo em que o bom, o mau, o belo, o feio, a verdade, a virtude, têm uma existência apenas local e limitada".
A novela de Rousseau nos revela a Modernidade nascente, forma de pensar a sociedade e as relações sociais que se chocava com as antigas e tradicionais, que ainda estavam presentes, porém, moribundas.
Para o fecho, Saint-Preux num misto de espanto e prazer relata: "Após alguns meses nesse meio, eu começo asentir a embriaguez a que essa vida agitada e tumultuosa me condena. Com tal quantidade de objetos desfilando diante de meus olhos, eu vou ficando aturdido. De todas as coisas que me atraem, nenhuma toca o meu coração, embora todas juntas pertubem meus sentimentos, de modo a fazer que eu esqueça o que sou e qual meu lugar."
Pretende manter-se fiel à Julie, mas expressa meio titubeante, o seu receio de mudar e sua busca por algo que lhe dê segurança: "Eu não sei, a cada dia, o que vou amar no dia seguinte... eu vejo apenas fantasmas que rondam meus olhos e desaparecem assim que os tento agarrar."
Rousseau tão moderno e temeroso diante das novidades... Revela os novos valores que eclodem em um turbilhão de incertezas,num processo de desumanização crescente das relações sociais...
Os revolucionários de 1789 não o esqueceram, levantavam o Contrato Social como se fosse o Evangelho da liberdade, igualdade e fraternidade...
Um novo mundo era possível e se construía a partir dali, daquele momento!!!
Rousseau estava presente nos arroubos varonis, nas expressões de esperanças fincadas nas faces de um povo que se fez autor de sua história.


Vírus & Escambau S/A...

Peço mil desculpas a todos que visitam o nosso blog. E imeditamente explico-me, houve mudança de provedor - a AOL deixou a provedoria do blog, no interstício para logar em outro provedor sofremos um ataque infernal de todo tipo de vírus, é bom nem lembrar... quanto sofrimento!!! O anti-vírus que tínhamos era da AOL, como ela deixou de ser a provedora, encerrou a proteção também.
Superado o problema, aqui estamos para retomar a caminhada.
Bom dia!!!

segunda-feira, março 20, 2006

As motos e as placas

O blog tem percebido, e não de hoje, que os motoqueiros da bela e maravilhosa Belém de Nazaré, costumam pilotar suas máquinas furiosas com as placas retorcidas, impossibilitando a identificação da numeração da placa, quando não dobram a placa, eles enfiam um papel no selo que acaba escondendo a numeração da placa. Não entendemos por que a CTBEL não tira de circulação as motos de quem age desta maneira?!
No mínimo é suspeitíssima a atitude de quem age escondendo a numeração da placa, a pergunta que não quer calar: será que são pessoas de bem ou bandidos prontos para surpreender o cidadão? Não sabemos. Muitos vão justificar a postura, dizendo que fazem isto para evitar multas, pior ainda, suscita uma conduta ilícita.
O certo é que precisamos que as autoridades se manifestem sobre a situação, o mais urgente! A todos que utilizam motocicletas, o apelo cidadão - jogo limpo, placa limpa!!!

Abelhas Assassinas

Realmente é com muita tristeza que o blog tomou conhecimento da morte do engenheiro agrônomo José Henrique Moraes, ocorrida no dia 13 (segunda-feira), vítima do ataque de um enxame de abelhas africanas na Fazenda São Joaquim 3, localizada no município de Cumaru do Norte, aproximadamente 100 quilômetros de Redenção.
A vítima estava vistoriando a aplicação de crédito liberado por uma instituição financeira, as abelhas acertaram a jugular do jovem engenheiro, tendo sido fatal... A esposa do engenheiro está grávida com três semanas...
É uma triste história, lamentável!
O blog deseja que a família se restabeleça do choque, com resignação e a certeza que o grande escritor de nossas vidas, receberá José Henrique num amplexo divino.

Diferença

Qual a diferença entre Deus e um advogado?
Resposta: Deus não pensa que é um advogado.

A reforma do CPC que não aconteceu...

O blog recebeu pedido para publicar esta hilária reforma do CPC que seria necessária para tornar mais célere a justiça. É claro que não passa de uma brincadeira por parte do nosso amigo B.Cannibal.

"Alguns advogados que militam no dia-a-dia, consideram que a próxima reforma do CPC não pode deixar de incluir quatro instrumentos processuais mais utilizados pelos operadores do direito. São eles:
1. Embargo de gaveta: recurso ex officio do juiz, que suspende o andamento do processo até que ocorra a sua prescrição. Faz coisa julgada formal e material.
2. Agravo de armário: recurso muito utilizado para esconder processos nas secretarias judiciais. O processo desaparece misteriosamente do cartório. Só quando o juiz corregedor dá em cima do escrivão, este logo o encontra, dizendo: "Aqui está! Estava caído atrás do armário".
3. Recurso do guarda-chuva: semelhante ao agravo de armário, a requerimento da parte em processos sem solução à vista. O advogado empurra o processo para baixo do armário do fórum com a ponta do guarda-chuva.
4. Agravo de cesto: a mais poderosa de todas as apelações processuais. Gera vícios insanáveis. O processo não pode ser recuperado sequer pela restauração de autos."

sexta-feira, março 17, 2006

Ninjas... de que mesmo?

É realmente inacreditável o que certas pessoas são capazes de fazer, para descolar uns trocados. O blog só resolveu chamar a atenção por um minuto, para alertar amigos, alunos e conhecidos. Cuidado com o Ninja do Arrocha, invenção nordestina para entreter as crianças brasileiras. Que Deus nos proteja!!! Mas, vai lá... clica aí abaixo e não se assuste com a forçada de barra... é horrível!!!! Depois avise aos amigos para não deixar as nossas crianças escutarem essas besteiras. Você é responsável. Um mundo melhor é possível!!!

http://www.sucessoemailing.com.br/music/ninjas.html

quinta-feira, março 16, 2006

Espancou e pediu desculpas... Ah! então tá!!!

Estudando história com a minha filha, ela me ensinou que em relação ao processo evolutivo da espécie humana, os primeiros hominídeos se chamavam Austrolopitecos, com certeza eles resolviam as suas perlengas à base de muita ignorância (no português que todo mundo entende - "muita porrada")...
Para a nossa surpresa, a vida imita a arte, o ator Kadu Moliterno resolveu liberar o "Billy the Kid" e fazer um bang-bang na vida real.
O ator insosso se destacou na televisão por interpretar o papel de "Juba" no seriado tupiniquim - Armação Ilimitada, um surfista mambembe, resolveu no carnaval encher a cara da sua esposa de socos, a atriz Ingrid Saldanha, casada com o valentão há 15 anos, tendo 3 filhos com o "bom rapaz".
Incontinenti, a atriz fez a ocorrência policial e no dia 1º de março o exame de corpo de delito.A mesma esclareceu que no dia 27/02, o agressor dirigia que nem um maluco colocando em risco a vida dela e dos seus pimpolhos, não suportando reclamou e o tresloucado ficou nervosinho e quando parou o carro, bateu com a porta nas pernas de Ingrid e depois encheu a cara dela de carinhos...

O ator flagrado fazendo coisa-feia, não quis falar com a imprensa, soltou uma nota em que pede desculpas pelos excessos cometidos, se reserva a não comentar mais nada, para preservar os filhos da pressão da opinião pública e agradece ao público que tem grande carinho por ele.

Realmente, bateu e pediu desculpas e tudo está resolvido?!

O que você acha?

Ah, Bial! Ele vai pro paredão!

quarta-feira, março 15, 2006

Marx e o Estado

O Estado objeto de estudo de várias disciplinas, apresenta enfoque variado também, a partir do observador e sua orientação ideológica, é claro que chega-se a uma percepção díspares, por isso é necessário estabelecer o debate em torno do tema. Marx e Engels dão a contribuição em torno do papel desenvolvido pelo Estado junto à sociedade.

O conceito de Estado é de importância fundamental no pensamento marxista, este considera o Estado como a instituição que, mormente, tem como função assegurar e conservar a dominação e a exploração de classe.

É através do Manifesto Comunista, 1848, que se expressa a concepção marxista clássica de Estado.
"O executivo do Estado moderno nada mais é do que um comitê para a administração dos assuntos comuns de toda a burguesia". Esta afirmação traduz efetivamente a proposição central do marxismo com relação ao Estado.

A pergunta que não quer calar - ainda se pode ler Marx?
Encontramos em seus escritos uma incitação para pensar, estabelecer um diálogo com ele e as questões de seu tempo, que são bastante complexas.

A obra de Marx não cessa de nos interpelar.
É o esforço para compreender as instituições econômicas e políticas, as representações filosóficas, morais e religiosas, buscando acima de tudo o sentido das práticas sobre as quais elas se fundavam, para poder interferir nas relações sociais e no vir-a-ser histórico...

Durkheim e o fato social

A obra de Durkheim contribuiu bastante para firmar a Sociologia Jurídica como uma disciplina importante para a interpretação do direito, daí a conclusão, para a boa formação jurídica, é necessário os estudos sociológicos. Abaixo algumas perguntas com as respectivas respostas.

"- Como distinguir fato social de outros fenômenos da vida?
Resposta: É que os fatos sociais apresentam propriedades marcantes de fora das consciências individuais. Não podem, pois, se confundir com fenômenos orgânicos, pois consistem em ações e representações. Nem com fenômenos psíquicos, que não existem senão na consciência individual e por meio dela.

- Quando o fato social se transforma em fato jurídico?
Resposta: o fato social transforma-se em fato jurídico quando tal fato tem repercussão no mundo jurídico, imprimindo-lhe caráter jurídico em face dos direito e obrigações que gera."

As questões acima foram retiradas do livro Sociologia Jurídica: 1000 perguntas, de Iolanda Jardim da Rocha, editora Forense Universitária, ano 1992.

Os alunos do CESUPA encontram este livro na biblioteca da Instituição.

terça-feira, março 14, 2006

Noites de Paixão

O Vieirinha de Marapanim, dublê de blog, retira da internet uma declaração insólita e pede um espaço para compartilhar com os nossos amigos (que são muitos!):

"NOITE DE PAIXÃO

Satânico é meu pensamento a teu respeito e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem...
A noite era quente e calma, eu estava em minha cama quando... sorrateiramente, te aproximaste. Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor. Percebendo minha aparente indiferença, aconchegaste-te a mim e mordeste-me sem escrúpulos até nos mais íntimos lugares... Eu adormeci.
Hoje, quando acordei, procurei-te numa ânsia ardente, mas em vão. Deixaste em meu corpo e no lençol provas irrefutáveis do que entre nós ocorreu durante a noite. Esta noite recolho-me mais cedo para, na mesma cama, te esperar.
Quando chegares, quero te agarrar com avidez e força. Quero te apertar com todas as forças de minhas mãos. Não haverá parte do teu corpo em que meus dedos não passarão. Só descansarei quando vir sair o sangue quente de teu corpo, só assim, livrar-me-ei de ti, carapana filho-de-uma-p...!!!"

domingo, março 12, 2006

DUDA BUERES E SUA POESIA

Eduardo Bueres solicita que seja publicada uma poesia escrita por ele, abaixo realizamos o desejo do nosso amigo:

"QUE RIO É O DA MINHA CANÇÃO?

VER-O-PESO
DAS ÁGUAS BARRENTAS
QUE BRINCAM NAS PEDRAS ANTIGAS
DO MAR

SALIVA DA CHUVA QUE ADENTRA COM O VENTO
DA CIDADE VELHA
DO SOL ABOEMADO
LEMBRANÇAS GUARDADAS
DE UM CERTO CASARÃO

DO BRILHO DO AÇO QUE FULGA NOS TRILHOS
QUE ASSOMBRA A RIMA DA MINHA VISÃO
DAS MANHÃS MANHOSAS COM CHEIRO DE FRUTAS
DA SEMENTE AMARELA DAS MANGAS NO CHÃO
DAS TELHAS FRANCESAS
DA COMIDA DA MESA

POUSA UM VELHO POEMA "QUE RIO É O DA MINHA CANÇÃO?"
NOS TRAÇOS DE LANDI
DO BRIGUE-PALHAÇO
NAS ONDAS O GRITO DOS AZULEJOS DE COR
PASSADO FUTURO PRESENTE INCONTIDO...

PRA TI EU TROUXE ESCONDIDO
UM POEMA DE AMOR
EM CANTOS DO MATO CHEGADO NAS VELAS
O CAIS DA MINHA TERRA É UM GALO CANTADOR
QUE DA TORRE DE FERRO NA LUA AZULADA
ENTREGA PRA MADRUGADA AS CANÇÕES QUE NÃO DEI.

(Duda Bueres)"

sexta-feira, março 10, 2006

ASSÉDIO SEXUAL

Tema sempre recorrente nos dias atuais, a Bíblia Sagrada já fazia referência a esta situação em Gênesis.
"Gênesis 39: 7-13 - E aconteceu, depois de tudo isto, que a mulher de seu senhor lançou seus olhos em José e disse-lhe: "Dorme comigo."
8 - Mas ele recusou: "Meu senhor, disse-lhe ele, não me pede conta alguma do que se faz na casa, e confiou-me todos os seus bens.
9 - Não há maior do que eu nesta casa; ele nada me interdisse, exceto tu, que és sua mulher. Como poderia eu cometer um tão grande crime e pecar contra Deus?"
10 - Em vão se esforçava ela todos os dias, falando a José; ele não consentia em dormir com ela e unir-se a ela.
11 - Certo dia, tendo ele entrado na casa para fazer seus serviços, e não se encontrando ali ninguém na casa.
12 - Ela segurou-o pelo manto, dizendo: "Deita-te comigo!" Mas José, largando-lhe o manto nas mãos, fugiu."

Na lição da Bíblia a mulher de Putifar, um oficial egípcio do faraó, chefe da guarda, tentou "deitar-se" com José, mas este resistiu, acabou preso em decorrência da narrativa controversa da mulher de Putifar, que imputou a José a tentativa de seduzi-la...

O legislador brasileiro levou tão a sério esta questão do assédio sexual, que incluiu um artigo através da Lei nº 10.224, de 15 de maio de 2001, que pune com uma pena de detenção, de 1 (um) a 2 (dois) anos. Leia abaixo o teor do artigo do Código Penal:
"Art. 216-A. Constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função.
Pena - detenção, de 1 a 2 anos."

Psiu!!! Ei!! Galanteador incauto. Agora a chapa tá ficando quente, cuidado pra não dançar a valsa dos arrenpedidos... um pra lá e dois pra cá...

PARA REFLETIR

"O que distingue o debate moderno sobre o conhecimento dos debates anteriores é o fato de a ciência moderna ter assumido a sua inserção no mundo mais profundamente do que qualquer outra forma de conhecimento anterior ou contemporânea: propôs-se não apenas compreender o mundo ou explicá-lo, mas também transformá-lo. Contudo, paradoxalmente, para maximizar a sua capacidade de transformar o mundo, pretendeu-se imune às transformações do mundo."
(Boaventura de Sousa Santos)

quinta-feira, março 09, 2006

Os irmãos Brant

Ontem os noticiários em todo Brasil informaram que Roberto Brant e o Professor Luizinho tinham conseguido a absolvição, no julgamento político do Congresso - cassação dos mandatos...
O que chamou a atenção da imprensa foi a presença de Fernando Brant, acompanhando todo mise-en-scène, o grande parceiro de Milton Nascimento é irmão de Roberto Brant...
Em 1980 Milton lançava o LP Sentinela, no encarte um poema de D. Pedro Casaldáliga intitulado - "Da árvore e do rio e do grito do povo". A ditadura militar agonizava, Milton com sua música e Fernando Brant com suas letras ajudaram ao processo de redemocratização de nosso país, com letras críticas e engajadas, em síntese um disco antológico.

Milton Nascimento e Fernando Brant chamavam a atenção com a música Sentinela, vale a pena escutar e refletir:

"Sentinela
Morte, vela
sentinela sou
do corpo desse meu irmão que já se vai
revejo nessa hora tudo que ocorreu
memória não morrerá."(...)

Com todas as denúncias que não poupam nenhum partido, é lembrar de Milton e Fernando Brant e ficarmos em SENTINELA...

quarta-feira, março 08, 2006

ELAS MERECEM

Hoje é o dia das grandes homenagens, todos os dias são das mulheres...
A mãe, esposa, amiga, namorada...
Quantas injustiças e sofrimentos elas carregam na labuta diária, em um mundo que nega a sensibilidade e ternura tão comuns nas mulheres.

Mas, não vamos lamentar...
Calmamente, penetrando nas entranhas de nossa alma, deixemos Fernando Pessoa dialogar com o que existe de melhor em nós...

"Amemo-nos tranqüilamente, pensando que podíamos,
Se quiséssemos, trocar beijos e abraços e carícias,
Mas que mais vale estarmos sentados ao pé um do outro
Ouvindo correr o rio e vendo-o.

Colhamos flores, pega tu nelas e deixa-as
No colo, e que o seu perfume suavize o momento -
Este momento em que sossegadamente não cremos em nada,
Pagãos inocentes da decadência.

Ao menos, se for sombra antes, lembrar-te-ás de mim depois
Sem que a minha lembrança te tarda ou te fira ou te mova,
Porque nunca enlaçamos as mãos, nem nos beijamos
Nem fomos mais do que crianças.

E se antes do que eu levares o óbolo ao barqueiro sombrio,
Eu nada terei que sofrer ao lembrar-me de ti.
Ser-me-ás suave à memória lembrando-te assim - à beira-rio,
Pagã triste e com flores no regaço."

terça-feira, março 07, 2006

Será a Tartaruga?!

Nas fábulas de Esopo o inacreditável sempre acontece, inclusive uma tartaruga vencer uma corrida contra um coelho "soberbo"...
A pergunta que não quer calar: será que esta fábula irá se repetir na vida real?
É só observar o campeonato paraense de futebol.
A tartaruga pode chegar na frente do Leão (azul)...
Quem viver verá... é pra conferir.
Vai que é tua Ananindeua!!!!!!!!!!

O HOMEM MEDÍOCRE

Aurea Mediocritas? por José Ingenieros

"Há uma hora em que o pastor ingênuo se assusta com a natureza que o envolve. A penumbra se espessa, a cor das coisas se reduz ao cinza homogêneo das silhuetas, a primeira umidade crepuscular levanta de todas as ervas um vapor de perfume, o rebanho se aquieta para dormir, o sino distante tange seu aviso vesperal. A impalpável claridade lunar se torna alva ao cair sobre as coisas, algumas estrelas de um arroio oculto nas brenhas parece falar de misteriosos temas. Sentado na pedra menos áspera que encontra à beira do caminho, o pastor contempla e se cala, inutilmente convidado a meditar sobre a convergência do lugar e da hora. Sua admiração primitiva não passa de espanto. A poesia natural que o envolve, ao refletir-se em sua imaginação, não se converte em poema. Ele é apenas um objeto, um quadro, uma pincelada; um acidente na penumbra. Para ele todas as coisas sempre foram assim e contuarão sendo, da terra que pisa até o rebanho que apascenta.
A imensa massa de homens pensa com a cabeça desse ingênuo pastor; não entenderia o idioma de alguém que lhe explicasse algum mistério do universo ou da vida, a evolução eterna do conhecimento, a possibilidade de aperfeiçoamento humano na contínua adaptação do homem à natureza. Para conceber uma perfeição é preciso um certo nível ético e é indispensável alguma educação intelectual. Sem isso, pode-se ter fanatismo e superstições; ideais, nunca.
Os que vivem abaixo desse nível e não adquirem essa educação permanecem sujeitos a dogmas impostos por outros, escravos de fórmulas paralisadas pela ferrugem do tempo. Suas rotinas e preconceitos parecem eternamente invariáveis; sua obtusa imaginação não concebe perfeições passadas ou futuras. O estreito horizonte de sua experiência constitui o inevitável limite de sua mente. Encontrarão nos outros uma fagulha capaz de acender suas paixões; serão possivelmente sectários. E não perceberão sequer a ironia dos que os convidam a se juntar em nome de ideais que podem seguir, mas não compreendem. Todo sonho seguido por multidões é pensado apenas pelos poucos visionários que são seus amos."

O texto acima nos revela de forma poética o quanto o ser humano tem que caminhar para alcançar uma vida decente, superando a miopia imposta pelas várias ideologias... que fetichizam a vida, carnavalizando-a...
É isso aí.

DO DICIONÁRIO DO DIABO (Ambrose Bierce)

Acusar verbo trans. dir.
Afirmar a culpa ou ignomínia de um outro, geralmente para justificar a nós mesmos que cometemos uma injustiça com ele.
Advogado subst. masc.
Um especialista em desvios da lei.
Árvore subst. fem.
Um tronco alto, previsto por natureza para execuções, embora, devido a julgamentos errôneos, a maioria das árvores dê poucos frutos ou até mesmo nenhum.
Assassinar verbo trans. dir.
Criar uma vaga sem nomear um sucessor para ela.
Assistência judiciária gratuita aos indigentes locução
Um método pelo qual se permite generosamente aos que são ávidos por justiça e não possuem dinheiro para advogados que percam seu processo.
Cânhamo subst. masc.
Uma planta, de cujos fios é confeccionada uma vestimenta para a garganta, que freqüetemente é enrolada no pescoço após um discurso ao ar livre e que protege a pessoa de resfriado.
Criminoso subst. masc.
Alguém com mais iniciativa do que discrição, que aproveitou uma oportunidade e infelizmente se apaixonou por ela.
Delito subst. masc.
Uma violação da lei de categoria inferior a um crime e que não dá direito a ser aceito na distinta sociedade dos criminosos.
Guilhotina subst. fem.
Um aparelho que faz com que um francês dê de ombros por um bom motivo.
Homicídio subst. masc.
O assassinato de uma pessoa cometido por outra. Há quatro tipos de homicídio: culposo, desculpável, justificado e louvável. No entanto, para o assassinado não interessa absolutamente o tipo de que foi vítima - a classificação só é de utilidade para os juristas.
Imunidade subst. fem.
Juridicamente: riqueza.
Indultar verbo trans. dir.
Revogar uma pena e expor alguém novamente a uma vida criminosa. Acrescentar à atração exercida pelo crime a tentação da ingratidão.
Juramento subst. masc.
Em direito: a apelação solene a um ser divino, que prevê para a consciência uma pena em caso de perjúrio.
Justiça subst. fem.
Uma mercadoria que o Estado vende ao cidadão numa condição mais ou menos adulterada como recompensa por sua fidelidade, seus impostos e seus serviços prestados.
Ladrão subst. masc.
Um comerciante sincero.
Narcótico subst. masc.
Uma porta destrancada na prisão da identidade. Ela conduz ao pátio da prisão.
Polícia subst. fem.
Uma tropa armada para proteger e para tomar parte.
Suspeitar verbo trans. dir.
Atribuir a outrem delitos que você mesmo não foi levado a cometer porque não teve oportunidade.

segunda-feira, março 06, 2006

Ensinar a criança a gostar de ler

O blog tem alunos e amigos que são pais e mães dedicados aos seus rebentos, daí a dica sobre um livro que caiu em nossas mãos como se fosse uma rosa que a cada leitura desabrochava as suas lindas pétalas, liberando um perfume que impregna toda nossa alma...
Aos amigos Tico Futrika, Rogério Friza e todos que se esforçam por preparar a futura geração.

O educador Celso Antunes, autor de mais de 180 livros didáticos e paradidáticos, mais de 300 artigos, crônicas e ensaios sobre temas educacionais e cerca de 50 obras pedagógicas sobre diversos temas, escreveu em 2005 um livro singelo - "A linguagem do afeto: como ensinar virtudes e transmitir valores", editora Papirus; o livro é um guia que mostra aos pais e professores como é fácil e imprescindível ensinar às crianças a importância do bom humor, da valentia, da preservação ambiental, da generosidade e de muitos outros valores.

O supracitado educador relata "Pais que gostam de ler adoram quando seus filhos devoram livros; pais que não gostam de ler ficam admirados quando seus filhos demonstram gosto pela leitura. Crianças ricas são fascinantes quando se mostram encantadas pelo hábito de ler e nada é mais doce que observar crianças pobres descobrindo a biblioteca." Continua o educador perguntando "É possível ensinar uma criança a gostar de ler?"
O autor observa que nossos hábitos, bons ou maus, são sempre adquiridos. As pessoas nascem com esta ou aquela característica física, a carga genética responde pela escultura do corpo e em parte pela potencialidade da mente, mas o desenvolvimento de gostos ou hábitos - como, por exemplo, o hábito de ler - é sempre uma característica aprendida.
Para Celso Antunes, se desejarmos que as crianças amem a leitura, é essencial que esse estímulo seja carregado de intencionalidade.
E como fazer?
A palavra-chave para desenvolver na criança o gosto pela leitura é intencionalidade. Essa palavra se opõe a acidentalidade e, dessa maneira, descobre-se que é essencial que pais e professores mostrem forte intenção em despertar nos filhos e nos alunos o gosto pela leitura.
A intencionalidade necessita vir acompanhada de "procedimentos" que, materializando as intenções, possam torná-las efetivas. E parece não haver melhor maneira de desenvolver hábitos em relação à leitura do que criar um ritual próprio, isto é, fazer desses hábitos uma rotina, desenvolvendo-os quase como um conjunto de regras a ser seguido de forma sistemática.
Uma dessas regras é habituar-se a ler próximo à criança, fazendo com que ela perceba o quanto você gosta da leitura. Chamá-la vez por outra para mostrar uma foto, comentar uma informação, "esmiuçar" uma notícia que pode interessá-la. Qualquer livro que se esteja lendo, ou mesmo um jornal, pode servir para esse gostoso "compartilhar".
Para fechar, outra regra simples é, sempre que possível, contar histórias para a criança, recheando-as de questões que exijam sua opinião. Mesmo quando se conhece uma história de cor, ainda assim é interessante abrir um livro e demonstrar que livros são lugares que guardam histórias, segredos, mistérios, surpresas, risos etc.

O legal é comprar o livro e sempre que possível sentar e ler com muita calma, vale o esforço...
É isso aí.

quinta-feira, março 02, 2006

Linguagem Forense: Dicas do Lauzid

Francisco Lauzid é 2º Promotor de Justiça de Crimes Contra a Ordem Tributária de nossa Capital, mestrando em Direito pela UNAMA, deixa a sua contribuição ao blog, com algumas dicas sobre linguagem forense.
Ficarei satisfeito com a atenção dispensada ao trabalho deste colega de muito valor.

"Devemos falar penalizado ou apenado? Depende do contexto. Apenado é o indivíduo punido, a quem foi aplicada uma pena transitada em julgado, pois antes de isso (na caso, a aglutinação da preposição "de" com o pronome demonstrativo "isso" é defesa(proibida), pois o pronome "isso" tem função de sujeito do verbo "ocorrer", não podendo sofrer contração com uma preposição) ocorrer, pesa em sua sorte o princípio constitucional da inocência. Penalizado é o indivíduo que está comovido, sensibilizado, sente pena de alguém ou de alguma coisa. Referidas palavras não são sinônimas, porém, são encontradiças em nossos manuais de Direito Penal e de Processo como se fossem. A mesma regra deve ser observada na expressão "medida de desapenamento" e não de "despenalização" sempre que nos referimos à transação penal nos Juizados Especiais Criminais, ao sursis processual e a outras medidas que visam impedir (o verbo "visar", usado no sentido de objetivar, é transitivo indireto, requer a preposição "a". Ex.: ele visava a uma vaga/a um emprego/ao posto de chefe/à patente de major, contudo, quando o verbo "visar" vier em locução verbal tal qual no exemplo contextualizado, o emprego da preposição é proibido.) a aplicação de sanção privativa da liberdade."

quarta-feira, março 01, 2006

Subprefeito de São Paulo teve o Rolex roubado...

Matarazzo é assaltado na rua e critica polícia.
Secretário teve o Rolex roubado quando caminhava nos Jardins e não encontrou nenhum PM na região.

O subprefeito da Sé e secretário municipal de Serviços, Andrea Matarazzo, foi assaltado por dois homens na esquina das Ruas Espanha e Groenlândia, no Jardim Europa, zona sul, ontem de manhã, quando caminhava com a mulher, Sônia.
Os assaltantes solicitaram o relógio Rolex do Subprefeito que foi obrigado a entregá-lo. Muito chateado Matarazzo registrou a ocorrência no 78º Distrito Policial, nos Jardins. Não é a primeira vez que Matarazzo se depara com uma situação desta, em 23 de fevereiro de 2005, na residência do casal, no Morumbi, alguns meliantes invadiram a residência dos Matarazzos e levaram bijuterias e aparelhos eletrônicos do casal.

O secretário disse que não havia sequer um policial na Rua Espanha e imediações. Teve de caminhar até a Avenida Faria Lima, no Itaim Bibi, onde encontrou um policial militar e comunicou o assalto. Segundo a vítima essa falta de policiamento não era comum, por isso estava se queixando.

Um policial que estava na delegacia na ocasião relatou a irritação de Matarazzo com a falta de policiamento na região. O secretário teria comentado que o assalto à mansão do empresário Antonio Ermírio, no Morumbi, em janeiro, foi esclarecido rapidamente.

Agora analisando com muita calma, o meu amigo Cabi certa vez contou-me uma situação muito parecida, ele vinha caminhando pela Doca quando três bandidos se aproximaram e solicitaram o "redondo" do meu amigo azarado, disse-me Cabi que ao receber a ordem, incontinênti entregou o seu "Rolex" e saiu no pique, mesmo com dores no joelho, nem lembra das fisionomias dos bandidos, não registrou o boletim de ocorrências na polícia, mas até hoje considera que a opção que fez entre a vida e o relógio foi positiva - ele tá vivo!!!

Quanto ao Secretário e dublê de Subprefeito (ou será o contrário?!) de São Paulo não deveria se assustar com a escalada da violência, por acaso vivemos no Brasil e não Suiça... Em vez de ficar aborrecido porque o assalto do Ermírio de Moraes foi resolvido rapidamente, deveria ficar indignado com os milhares de casos de violência pelo Brasil afora que estão até hoje esperando por solução... Alguém do governo tucano deveria chegar com o Matarazzo e sussurrar no ouvido dele
controle o piti excelência!!!