quinta-feira, abril 13, 2006

Centenário de Mário Quintana

"... Não sei que paisagista doidivianas
Mistura os tons... acerta... desacerta...
Sempre em busca de nova descoberta,
Vai colorindo as horas quotidianas...

Jogos da luz dançando na folhagem!
Do que eu ia escrever até me esqueço...
Pra que pensar? Também sou da paisagem...
A rua dos cataventos, Mário Quintana - estrofes da poesia I

A editora Globo reeditou a obra desse consagrado artista brasileiro, enfocando o período de maior produtividade, entre 1940 e 1980.
Em 2006 comemoramos o centenário do autor de versos tão singelos "... eles passarão, eu passarinho...", Quintana nasceu na cidade de Alegrete, Rio Grande do Sul, nome completo - Mário de Miranda Quintana (1906-1994), seu primeiro livro de poesias - A rua dos cataventos, publicado em 1940.

"Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão", eis o poeta por completo, autêntico e singelo...
Ao longo de sua carreira, Quintana produziu, além das consagradas coletâneas de poesias, textos voltados ao público infanto-juvenil e crônicas para jornais.

Com o passar do tempo os bons frutos dessa "luta amorosa com as palavras" que o poeta empreendia, acabou preenchendo com versos preciosos o imaginário do povo brasileiro.

Nenhum comentário: