terça-feira, maio 23, 2006

Papão, pra não esquecer...


Dizem que os jogadores posam para uma foto que nunca é publicada. Pois aí está o Paysandu que ganhou do Boca Juniors em La Bombonera, em 24 de abril de 2003 às 21:10 h(quinta-feira), 1x0, gol de Iarley. Transmissão da Fox Sport (canal 30)

10 comentários:

Navi Leinad disse...

Bons tempos... foi um período de muitas glórias para o nosso Papão da Amazônia, e eu desfilava orgulhoso pelas superquadras, eixos e asas de Brasília, sem falar nas satélites e nas tradicionais feira dos importados e feira da torre. Nesta última eu podia tomar um "saboroso" tacacá "legitimamente" paraense na Barraca do Pará, por uma singela quantia de R$ 7,00. E ainda tinha gente que acrescentava mais R$ 1,00 para tirar a goma do tacacá!. Mas foi em outra feira que aconteceu o mais improvável. Estava eu na CEASA de Brasília procurando peixe fresco (produto quase impensável na Capital Federal) quando um senhor um pouco indignado me aborda perguntando por que eu estava vestindo a camisa da Argentina? Detalhe: o ano era 2002, véspera da campanha do penta! No mesmo ano, após a linda vitória sobre o Cruzeiro na final da Copa dos Campeões, meu manto alvi-celeste passou a ser reconhecido pelas ruas, mas a antipatia continuava por haver no DF uma grande concentração de mineiros torcedores da raposa. Saudações bicolores!

Direito & Esquerdo disse...

Caro Nelito,

Que lembrança boa!
Saudades de um time de qualidade frente ao que temos hoje.
E não me venha defender o Tourinho.
Um abraço saudoso e campeão
Bruno

Anônimo disse...

GRANDE COMPANHEIRO, ACHO ESTE BLOG UM ESPAÇO FANTÁSTICO. MAS COMO NEM TUDO É PERFEITO POR VEZES ME DEPARO COM MATÉRIAS DESTE TIPO QUE QUEBRA O ENCANTO DO BLOG.
SAUDAÇÕES AZULINAS

Melissa Vinagre disse...

Gosto dos seus textos, mas Paysandu realmente não dá...

LEÃOOOOOOO!!!!

Prezado amigo e mestre, gostaria de saber se você pode contribuir me disponibilizando algum material sobre Rousseau, falando sobre o Estado democrático de Direito e a esfera da dignidade e da respeitabilidade.

contato: melissa.vinagre@gmail.com

Um grande abraço

Melissa

citadinokane disse...

Manifesto saudosista

Lancei mão de Neruda para sangrar e curtir essa rebordosa alvi-celeste...

"Vou Viver
Não vou morrer. Saio agora
neste dia cheio de vulcões
para a multidão, para a vida.
(...)
Aqui fico
com palavras e povos e caminhos
que me esperam de novo, e que batem
com mãos consteladas em minha porta" (Pablo Neruda)

Anônimo disse...

Acredito na DEMOCRACIA como a mais avançada das conquista da humanidade.
Pena que nem sempre ela prevaleça.
É sabido que o espaço é particular, mas quando se abre espaço para comentários temos que estar abertos as diferenças, afinal o mundo é multi.
Rocha

Anônimo disse...

Gosto dos seus textos, mas Paysandu realmente não dá...

LEÃOOOOOOO!!!!

Prezado amigo e mestre, gostaria de saber se você pode contribuir me disponibilizando algum material sobre Rousseau, falando sobre o Estado democrático de Direito e a esfera da dignidade e da respeitabilidade.

Um grande abraço

Melissa

Anônimo disse...

Égua companheiro, PARABÉNS por seu senso DEMOCRÁTICO.
É sempre muito prazeroso a leitura do seu Blog.
Um grande abraço.
Xico Rocha.

citadinokane disse...

Aos amigos e amigas remistas(Xico Rocha, Edu Bueres, Melissa Vinagre e muitos outros),
A inveja é horrível!

Imagino o quanto mexe com o psicológico dos remistas, essa nossa alegria frugal, comedida e de acordo com a grandeza do objeto de nossa satisfação e felicidade.

Após os resultados da última rodada do campeonato brasileiro da 2ª divisão, antes da Copa, os remistas estão arrefecidos, indóceis, amargurados...

Separei uma parte do poema de Carlos Drummond de Andrade - Passagem do ano, que julgo retratar o espírito da torcida sofredora azulina:

"O recurso de se embriagar.
O recurso da dança e do grito,
o recurso da bola colorida,
o recurso de Kant e da poesia,
todos eles... e nenhum resolve".

Augusto Nunes disse...

Meu Caro Mestre

Que maravilha, que felicidade vê-lo lembrar de época tão distinta e prazerosa do passado de seu time. Principalmente daquela goleada (ou goelada) que o squellotto deu no seu timeco. Li em seu texto sobre alegria frugal que vossa minúscula (segundo o IBGE) sofrida (não é mais torcida) e cheguei a conclusão que esta alegria foi fugaz. O resto Vossa Senhoria lembra bem.

Drummond se esqueceu de completar a referida estrofe a qual com muita honra completarei:

"O recurso de se embriagar. (de tristeza)
O recurso da dança e do grito, (que dançou, dançou! E feio)
o recurso da bola colorida, (isso é coisa de viado)
o recurso de Kant e da poesia, (não me esqueci da dança do squellotto)
todos eles... e nenhum resolve". (também com aquele timeco... Só Jesus...)

Abraços
Do Augusto Nunes