sexta-feira, junho 30, 2006

Não Chores por mim Argentina...




MANTOS SAGRADOS...



Repara só uma coisa. Quando a brava Seleção de Futebol Argentina utiliza o uniforme nº 1 que é lindo, as vitórias são constantes... A camisa alvi-celeste tem mística, assusta os adversários...
A camisa alvi-celeste assusta até os queridos hermanos, o Paysandu tem as mesmas cores e uniforme muito parecido com o da Argentina... Daí, lá em Buenos Aires, o Boca Juniors ter se rendido ao esquadrão bicolor da Amazônia.

Se o selecionado dos hermanos utilizasse a camisa à esquerda(Paysandu) teria o mesmo efeito: raça, técnica e vitórias. Realmente são dois Mantos Sagrados...

CAMISAS DESGRAÇADAS...



Duas camisas que trazem muita infelicidade... Que digam os hermanos...
É só a Seleção de Futebol da Argentina jogar com a camisa igual a do Clube do Remo que a maldição desaba sobre os nossos queridos hermanos...

Para não confundir: a camisa de cima é a do Remo, a outra da Argentina.

quinta-feira, junho 29, 2006

Histórias...


Já aconteceu de você se sentir culpado ao olhar as pessoas da sua idade e de pensar "não posso estar assim tão velho!" ?

Então você vai gostar desta história contada pelo amigo Locobueres:

O meu amigo locobueres estava sentado na sala de espera para a primeira consulta com uma nova dentista, quando observou que o diploma da dentista estava dependurado na parede. Estava escrito o seu nome e, de repente, ele recordou de uma morena alta, que tinha esse mesmo nome, e... muito linda. Era da mesma classe do colegial dele, uns 40 anos atrás, e ele ficou se perguntando: “poderia ser a mesma moça por quem eu tinha me apaixonado à época?” Quando ele entrou na sala de atendimento, imediatamente afastou esse pensamento do seu espírito. "Esta mulher grisalha, quase sex... sexagenária, e o rosto marcado, profundamente enrugado, era demasiadamente velha pra ter sido o meu amor secreto... que que é isso!?" Pensou o amigo locoB.
Depois que ela examinou o seu dente, locoB. perguntou-lhe se ela não havia sido aluna do Colégio Nazaré (Marista).

"Sim", respondeu-lhe.
"Quando se formou?", perguntou-lhe, o saudosista locoB.
"1959." Por quê? , respondeu.
"Eh... bem... você era da minha classe", exclamou o meu amigo.
Locobueres solta o verbo revoltado: "Pô meu irmãozinho aquela velha horrível, cretina, filha de uma p..., me perguntou: - O Sr. era professor de quê mesmo?"

Expressões Interessantes


O companheiro Xico Rocha enviou uma contribuição que sempre iremos publicar aqui no nosso blog, são "Expressões interessantes" pesquisadas pelo Prof. Deonisío da Silva* .

Estas expressões encabeçam cada página ímpar do livro "De Onde Vêm As Palavras, Editora Mandarim". O autor apresenta a etimologia das palavras em ordem alfabética, sendo um verdadeiro dicionário. Comecemos a leitura:

"A bom entendedor, meia palavra basta"

Esta frase, dando conta de que não são necessárias muitas palavras para um bom entendimento entre as pessoas, está coberta de sutilezas, pois sugere que os interlocutores compreendem o sentido exato do que se disse por meio das mais leves alusões. Às vezes, é pronunciada também como advertência ou ameaça disfarçada de boas intenções. Os franceses são ainda mais sintéticos: para bom entendedor, meia palavra. E os espanhóis dizem: a bom entendedor, meio falador. A frase consagrou-se no famoso livro Dom Quixote de la Mancha, do celebérrimo Miguel de Cervantes Saavedra (1547-1616).

"A burrice é contagiosa; o talento, não."

Esta é uma das muitas frases célebres da autoria do crítico literário Agripino Grieco (1888-1973), famoso por tiradas cheias de verve e maledicência, proferidas contra pomposos escritores nacionais, até então convictos de que, dado o ofício que praticavam, muitas vezes confundido com sua posição social ou política, não poderiam ter suas obras criticadas, a não ser em comentários favoráveis. O corajoso paraibano, entretanto, culto e irônico, não poupava ninguém e levou à posteridade uma obra de crítica literária desassombrada, imune às tradicionais igrejinhas e confrarias tão presentes na cultura brasileira. Entre seus livros estão Vivos e mortos, Recordações de um mundo perdido e Gralhas e pavões.

"Abre-te sésamo"

Esta frase reúne as palavras mágicas e cabalísticas que, proferidas pelo herói do episódio "Ali-Babá e os quarenta ladrões", das Mil e uma noites, resultam na abertura da porta misteriosa da caverna onde eram guardados os tesouros. Aqui está presente também a etimologia para explicar o significado de sésamo, em latim sesamum, que é uma planta em cujas sementes, muito pequenas e amareladas, está contida numa cápsula que se abre sem muita pressão. O sésamo nada mais é do que o nosso popular gergelim, utilizado nas padarias para o fabrico de pães especiais e outras delicadezas de sabor muito raro.

"A casa da mãe Joana"

A expressão ‘casa da mãe Joana’ alude a lugar em que se pode fazer de tudo, onde ninguém manda, uma espécie de grau zero de poder. A mulher que deu nome a tal casa viveu no século XIV. Chamava-se, obviamente, Joana e era condessa de Provença e rainha de Nápoles. Teve vida cheia de muitas confusões. Em 1347, aos 21 anos, regulamentou os bordéis da cidade de Avignon, onde vivia refugiada. Uma das normas dizia: "o lugar terá uma porta por onde todos possam entrar". ‘Casa da mãe Joana’ virou sinônimo de prostíbulo, de lugar onde impera a bagunça, mas a alcunha é injusta. Escritores como Jean Paul Sartre, em A prostituta respeitosa, e Josué Guimarães, em Dona Anja, mostraram como o poder, o respeito e outros quesitos de domínio conexo são nítidos nos bordéis.

*Deonísio da Silva é catarinense, ou catarinauta, como diz, de Siderópolis, onde nasceu em 1948. Em 1976, pelas mãos de Rubem Fonseca, publicou seu primeiro livro, Exposição de Motivos, logo premiado pelo MEC e transposto para teleteatro por Antunes Filho, ao qual seguiram A Mulher Silenciosa, Orelhas de Aluguel, A Cidade dos Padres. Em 1991 recebeu o Prêmio Internacional Casa de las Américas pelo romance Avante, Soldados: para Trás. Seu romance Teresa, lançado em 1997, baseado na vida de Teresa D'Ávila, foi premiado pela Biblioteca Nacional e transposto para teatro antes mesmo de ser publicado. Doutor em letras pela USP, é professor da Universidade Federal de São Carlos.

quarta-feira, junho 28, 2006

Droga "pesada" ou o Caso da Bandeira do Clube do Remo


Ivan Amanajás atento ao que ocorre no Mundial de Futebol na Alemanha, informa ao blog que as autoridades de segurança daquele país identificaram uma droga "pesada" que foi introduzida nas arquibancadas por ocasião dos jogos do selecionado brasileiro... Ivan, o terrível, alerta sobre os primeiros sintomas nas pessoas que são expostas à maldita droga, uma sensação pueril de fugidia alegria, seguida rapidamente de sensações de permanente frustração, decadência, rebaixamento e por fim a queda à zonas indizíveis...
Xico Rocha, Melissa Vinagre, Augusto Carmelino e poucos outros, são viciados nessa droga, inclusive são capazes de dormirem abraçados ou cobertos por essa mortalha... É claro que estou me referindo à bandeira do Clube do Remo.
Cabe um rápido comentário, não consigo entender o deslumbramento, o arrebatamento íntimo, o arroubo, o assombro por parte da torcida remista em decorrência de um maluco acenar com uma bandeira do CR na arquibancada do estádio no jogo Brasil x Croácia, suspeito que uma dose do descompasso na equipe brasileira, quiçá, não terá sido da exposição dessa bandeira, que tanto mau agouro trouxe... Sem brincadeira, quando apareceu aquela bandeira, falei pra minha esposa:"Olha essa coisa é agourenta, maus presságios para o nosso escrete canarinho..."
E não é que a nossa seleção ficou ameaçada de infelicidade, durante toda a partida.
É necessário exorcizarmos esses demônios!!!!

Nihil humani a me alienum puto.*

*Nada do que é humano julgo ser-me estranho.

Tirinha dos Malvados

domingo, junho 25, 2006

MORTE DE BUSSUNDA

A turma do cocadaboa em 2003 já havia matado o Bussunda...


A pergunta que não quer calar "Bussunda morreu???!!!!"

sexta-feira, junho 23, 2006

Me Gana que eu gosto!

O Brasil, ou melhor dizendo, a seleção de futebol brasileira irá enfrentar na próxima fase a seleção de Gana. Para nos situarmos sobre o desconhecido selecionado africano, o blog coletou rápidas informações pela internet sobre esse país.

Gana tem uma população de 19.533.560 habitantes, a capital é Acra,a língua oficial é o inglês, situa-se no golfo da Guiné, na África ocidental, alguns graus apenas a norte do Equador. Metade do país fica a menos de 152 metros acima do nível do mar, e o seu ponto mais elevado tem apenas 883 m. Os 537 quilômetros de costa são compostos principalmente por litorais baixos e arenosos, atrás dos quais se estendem planícies cobertas por vegetação de pequeno porte, o país é entrecortado por vários rios e ribeiros, a maioria dos quais só é navegável em canoas. Ao norte, perto da fronteira com a Costa do Marfim, estende-se uma faixa de floresta úmida tropical interrompida por colinas densamente florestadas e muitos rios e ribeiros. Esta área, conhecida como Ashanti, produz muito do cacau, minerais e madeira do país, mais ao norte dessa faixa o território está coberto por arbustos baixos, savana e planícies cobertas de erva.
O clima é tropical.

Agora cabe alguns comentários e reflexões... Todos nós tomamos conhecimento de como a Austrália se tornou uma potência na natação, só para lembrar: nas piscinas os treinadores soltavam e soltam pequenos crocodilos que nadam atrás das crianças e não é outro o resultado - as crianças desembestam a dar braçadas fortes para fugir dos répteis que estão no encalço das mesmas... Daí as várias medalhas de ouro nas Olimpíadas.
Em Gana, os jogadores são levados para as Savanas para treinar arranque e resistência física, soltam as leoas atrás deles(não existe Leoa Azul, é aço-no-aço), não tem essa conversa de parar-para-acertar... A correria é total...
Uma preocupação para a dupla Parreira-Zagallo, os nossos jogadores estão acostumados com mordomias e ar-condicionado... e Chopp também...

Agora falando sério(lembrança de Bussunda), os selecionados africanos nos últimos anos impressionam pela técnica e correria, de mundial para mundial percebe-se uma evolução positiva... Mas... Sempre existe esse mas, quando são colocados à prova - eles "brocham"... A cabeça não é trabalhada corretamente e a tendência é ocorrer o curto-circuito, a cuca pira... Eles começam a falar demais e jogar de menos nos momentos decisivos. Já vi esse filme com os selecionados de Camarões, Nigéria e por aí vai...
É claro que o blog pode errar e depois de terça-feira as Manchetes dos principais jornais do mundo podem estampar: "Gana é sensação do Mundial!", volto a insistir o selecionado brasileiro deve passar com folga por Gana.
Em homenagem ao amigo Carlos Ponte irei torcer pelo Portugal do Filipão que tem grandes possibilidades de ultrapassar o selecionado da Holanda, tomara que o Filipão tenha trabalhado bem o emocional dos jogadores de Portugal, se a cabeça estiver equilibrada, pois futebol eles têm, Portugal será a surpresa... Quem viver verá!
Finalizando, depois de terça-feira a manchete, com certeza, será: ME GANA QUE EU GOSTO!*

*No Brasil uma forma popular de dizer - eu já sabia ou não adianta mentir que eu sei de toda a verdade: "me engana que eu gosto!"

Ronaldo Eterno...

terça-feira, junho 20, 2006

O NOVO TÉCNICO DO CLUBE DO REMO


Ele era considerado um cantor brega, mas suas músicas passavam uma série de mensagens muito interessantes, Odair José é o novo Técnico do Clube do Remo, ele acredita que cantando a canção "Vou Tirar Você Desse Lugar", que trata sobre a história de um homem que se apaixona por uma prostituta e quer levá-la para casa. Ele conseguirá retirar o Remo da "zona" de rebaixamento da 2ª Divisão, rumo a Terceirona.

"Eu vou tirar você desse lugar
Eu vou levar você pra ficar comigo
E não interessa
O que os outros vão pensar
Eu sei...
Que você tem medo de não dar certo
Pensa que o passado vai estar sempre perto
E que um dia eu posso me arrepender..."

Aos amigos Xico Rocha, Duda Bueres, Melissa Vinagre, Augusto, Horácio(Canhoto)... Essa vida bandida do time de vocês é sofrível.

sexta-feira, junho 16, 2006

O Juramento de Hipócrates e os Médicos


Caso vivenciado por um amigo bem próximo, ilustra como anjos se transformam em demônios... Não esqueçam que Lúcifer era um anjo, depois caiu...
O amigo chegou comigo e disse "Você poderia dá uma olhada nesse papel?", tomei o papel das mãos dele e comecei a fazer a leitura, os segundos que se seguiram, já me encontrava estupefato e ruborizado de indignação... O pai do meu amigo relata no papel o que ocorrera com ele durante os preparativos de uma cirúrgia médica, sintetizando, o mesmo tem um plano de saúde que cobriria todos os custos da cirúrgia e demais despesas de hospitalização, ocorre que os anestesiologistas(anestesistas) não concordam com os valores pagos pelos planos de saúde e buscam cobrar dos pacientes a diferença, acontece que a negociação, neste caso, foi feita no momento que o paciente(pai do meu amigo) estava sendo sedado, nu e já deitado sobre a "pedra de operação", numa condição totalmente desfavorável para esse tipo de negociação, na qual o anestesiologista levava vantagem, a seringa literalmente foi aplicada no bolso desprotegido do paciente, ou pagava ou não tinha anestesia... P'ra esse caso cabe buscar uma reparação na esfera judicial.
O que me leva ao relato desse caso no blog, é refletir sobre algo que vai além da denúncia.
Todos nós iremos nos deparar um dia com um médico, não é por menos que a imagem que trazemos dos médicos no geral, é a mais benfazeja possível.
A medicina proporciona uma profissão diferenciada, é necessário a vocação mais do que em outras profissões, não pode apresentar uma conotação mercantil, a vida não pode ficar restrita a trinta moedas... Um médico não pode decidir se uma pessoa deve ou não morrer, porque faltou um complemento pecuniário aos honorários profissionais, estamos falando sobre vida e morte.
Para melhor discorrer sobre o assunto me socorri do juramento de Hipócrates.

Em uma pequena ilha do mar Egeu, na Grécia, próximo ao litoral da Asia Menor – a ilha de Kós - floresceu no século V a.C. uma escola médica destinada a mudar os rumos da medicina, sob a inspiração de um personagem que se tornaria, desde então, o paradigma de todos os médicos – Hipócrates. A escola hipocrática separou a medicina da religião e da magia, afastando as crenças em causas sobrenaturais das doenças, fundando, destarte, os alicerces da medicina racional e científica. Ao lado disso, deu um sentido de dignidade à profissão médica, estabelecendo as normas éticas de conduta que devem nortear a vida do médico, tanto no exercício profissional, como fora dele. Existe um Juramento, a ser proferido por todos aqueles considerados aptos a exercer a medicina, no momento em que são aceitos como tal pelos seus pares e admitidos como novos membros da classe médica. O juramento hipocrático é considerado um patrimônio da humanidade por seu elevado sentido moral e, durante séculos, tem sido repetido como um compromisso solene dos médicos, ao ingressarem na profissão.

Abaixo o Juramento de Hipócrates - o texto original:

"Juro por Apolo Médico, por Esculápio, por Higéia, por Panacéia e por todos os deuses e deusas, tomando-os como testemunhas, obedecer, de acordo com meus conhecimentos e meu critério, este juramento: Considerar meu mestre nesta arte igual aos meus pais, fazê-lo participar dos meios de subsistência que dispuser, e, quando necessitado com ele dividir os meus recursos; considerar seus descendentes iguais aos meus irmãos; ensinar-lhes esta arte se desejarem aprender, sem honorários nem contratos; transmitir preceitos, instruções orais e todos outros ensinamentos aos meus filhos, aos filhos do meu mestre e aos discípulos que se comprometerem e jurarem obedecer a Lei dos Médicos, porém, a mais ninguém. Aplicar os tratamentos para ajudar os doentes conforme minha habilidade e minha capacidade, e jamais usá-los para causar dano ou malefício. Não dar veneno a ninguém, embora solicitado a assim fazer, nem aconselhar tal procedimento. Da mesma maneira não aplicar pessário em mulher para provocar aborto. Em pureza e santidade guardar minha vida e minha arte. Não usar da faca nos doentes com cálculos, mas ceder o lugar aos nisso habilitados. Nas casas em que ingressar apenas socorrer o doente, resguardando-me de fazer qualquer mal intencional, especialmente ato sexual com mulher ou homem, escravo ou livro. Não relatar o que no exercício do meu mister ou fora dele no convívio social eu veja ou ouça e que não deva ser divulgado, mas considerar tais coisas como segredos sagrados. Então, se eu mantiver este juramento e não o quebrar, possa desfrutar honrarias na minha vida e na minha arte, entre todos os homens e por todo o tempo; porém, se transigir e cair em perjúrio, aconteça-me o contrário".

Em todos os idiomas, as traduções oferecidas diferem entre si em alguns aspectos relativos à linguagem empregada, embora mantenham todas o núcleo central dos preceitos que compõem o juramento.

No Brasil, a maioria das Faculdades utiliza um modelo simplificado:

"Prometo que ao exercer a arte de curar, mostrar-me-ei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência. Penetrando no interior dos lares, meus olhos serão cegos, minha língua calará os segredos que me forem revelados, o que terei como preceito de honra. Nunca me servirei da profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime. Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu, para sempre, a minha vida e a minha arte, com boa reputação entre os homens. Se o infringir ou dele afastar-me, suceda-me o contrário."

O diabo desses juramentos é que no Juramento do tempo de Hipócrates, os antigos acreditavam que realmente os deuses poderiam desgraçá-los, caso não cumprissem o juramento. No nosso tempo, muitos profissionais da medicina estão mais preocupados com o tilintar das moedas mundanas... Achando que os deuses deviam estar loucos para exigir dos médicos esse comportamento ético.
Resumindo, muitos médicos são valorosos e dignos(verdadeiros médicos), e no entanto, são confundidos com uma pequena parcela que aprendeu a fazer cirurgia, clinicar, mas não incorporou o espírito MÉDICO.
Que os deuses protejam todos os verdadeiros Médicos (são muitos) e acalmem os nossos sonos.

domingo, junho 11, 2006

LOUCO BUERES E LORCA...


Louco Bueres certa vez confidenciou que devemos buscar a sublimação da dor pela arte... Esta seria a antimatéria da mediocridade.
O Louco Bueres é intolerante com os medíocres, resmunga e balbucia que o mundo seria melhor se eles perecessem em tenra idade, pelo menos seria possível um pranto sincero...
Em momento de profunda elevação o Louco-Bueres açodadamente levanta o punho e com o dedo em riste aponta uma estrela e declama o último texto de outro louco - o visionário Federico Garcia Lorca:

"As seis cordas

A guitarra
faz soluçar os sonhos.

O soluço das almas
perdidas
foge por sua boca
redonda.
E, assim como a tarântula,
tece uma grande estrela
para caçar suspiros
que bóiam no seu negro
abismo de madeira."

Puxa rapidamente o lenço, tenta disfarçar a lembrança de Lorca, mas o olhar marejado do louco, o denuncia...

Federico Garcia Lorca, um dos primeiros a ser sacrificado pelos nacionalistas espanhóis, nasceu na região de Granada, na Espanha, em 05 de junho de 1898, e faleceu nos arredores de Granada no dia 19 de agosto de 1936, assassinado pelos "Nacionalistas". Nessa ocasião o general Franco dava início à guerra civil espanhola. Apesar de nunca ter sido comunista - apenas um socialista convicto que havia tomado posição a favor da República - Lorca, então com 38 anos, foi preso por um deputado católico direitista que justificou sua prisão sob a alegação de que ele era "mais perigoso com a caneta do que outros com o revólver." Avesso à violência, o poeta, como homossexual que era, sabia muito bem o quanto era doloroso sentir-se ameaçado e perseguido. Nessa época, suas peças teatrais "A casa de Bernarda Alba", "Yerma", "Bodas de sangue", "Dona Rosita, a solteira" e outras, eram encenadas com sucesso. Sua execução, com um tiro na nuca, teve repercussão mundial.
A poesia acima pode ser encontrada na "Antologia Poética" de Lorca, Editora Leitura S. A.

sábado, junho 10, 2006

FLORBELA ESPANCA


"VOLÚPIA

No divino impudor da mocidade,
Nesse êxtase pagão que vence a sorte,
Num frêmito vibrante de ansiedade,
Dou-te meu corpo prometido à morte!

A sombra entre a mentira e a verdade...
A nuvem que arrastou o vento norte...
- Meu corpo! Trago nele um vinho forte:
Meus beijos de volúpia e de maldade!

Trago dálias vermelhas no regaço...
São os dedos do sol quando te abraço,
Cravados no teu peito como lanças!

E do meu corpo os leves arabescos
Vão-te envolvendo em círculos dantescos
Felinamente, em voluptuosas danças..."

A leitura da Antologia - Mensageira das Violetas de Florbela Espanca, primeiramente é inevitável o susto para em seguida uma satisfação indizível penetrar a noss'alma... Uma mulher ardentemente gritando para o mundo... A poesia foi para ela um caminho sem volta, amou desesperadamente... Quando o mundo perdeu o sentido, fez da poesia o seu patíbulo:
" Rasga estes versos que eu te fiz, amor!
Deita-os ao nada, ao pó, ao esquecimento,
Que a cinza os cubra, que os arraste o vento,
Que a tempestade os leve aonde for!"

Poetisa que expressou uma vontade louca de viver intensamente um amor impossível:
"Embriagada numa estranha lida,
Trago nas mãos o coração desfeito,
Mostra-me a luz, ensina-me o preceito
Que me salve e levante redimida!"

Infelizmente, Florbela Espanca, não resistiu a tanta emoção e partiu como em seus versos, numa madrugada trágica de seu 36º aniversário, a bela e carnal alentejana se calou para sempre:
"E se um dia hei de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar..."


Segue agora as informações básicas sobre a poetisa.

Florbela(d'Alma da Conceição) Espanca nasceu em Vila Viçosa, no Alentejo, a 8 de dezembro de 1894, filha de Antônia da Conceição Lobo e João Maria Espanca. Freqüenta o curso primário em Vila Viçosa e o secundário em Évora. Casa-se, em 1913, com Alberto de Jesus Silva Moutinho, vai residir em Redondo e retorna depois a Évora, onde conclui, em 1917, o Curso Complementar de Letras. No mesmo ano, já na capital, matricula-se na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, curso que abandona em 1920. No ano seguinte, divorcia-se de Alberto Moutinho e casa-se com o Alferes Antônio José Marques Guimarães, do qual se divorcia em 1925 para casar-se com o médico Mário Pereira Lage. Passa a viver em Matosinhos e trabalha como tradutora de romances franceses. A perda do irmão, Apeles, em acidente aviatório(1927), leva-a a um estado de constante depressão. Suicida-se na madrugada no dia de seu aniversário, em 1930, ingerindo uma dose excessiva de Veronal. Foi sepultada em matosinhos, mas, em 1964, seus restos mortais foram transferidos para a sua cidade natal.

quarta-feira, junho 07, 2006

A partir daqui termina o desespero e começa a tática



Aos amigos e amigas remistas(Xico Rocha, Edu Bueres, Melissa Vinagre e muitos outros),

A inveja é horrível!

Imagino o quanto mexe com o psicológico dos remistas, essa nossa alegria frugal, comedida e de acordo com a grandeza do objeto de nossa satisfação e felicidade, o campeão dos campeões - o Payzão (vocês entenderam!).

Após os resultados da última rodada do campeonato brasileiro da 2ª divisão, antes do início da Copa, de um lado os remistas estão arrefecidos, indóceis, amargurados...

Para homenageá-los separei uma parte do poema de Carlos Drummond de Andrade - Passagem do ano, que julgo retratar o espírito da torcida sofredora azulina:

"O recurso de se embriagar.
O recurso da dança e do grito,
o recurso da bola colorida,
o recurso de Kant e da poesia,
todos eles... e nenhum resolve".

Não gostaria de perder muito tempo falando daquela "coisa"...

O mais importante, passado o desespero das rodadas anteriores, já se pode perceber que as coisas vão se encaixando corretamente, a equipe do Payzão(Paysandú) começa a desenvolver aquele futebol que encantou a América do Sul na Copa Libertadores...

A equipe bicolor paraense já começa a se apresentar como uma das favoritas a levantar o troféu de campeão da 2ª Divisão (campeonato muito difícil de disputar).

Agora chegou o momento da tática, arte de dispor e manobrar as tropas(jogadores) no campo de batalha (mangueirão) para conseguir o máximo de eficácia durante um combate (vitórias). A equipe do Paysandú humilhou em São Paulo a Portuguesa de Desportos (6 x 2) e em seguida não deixou por menos com o Gama (3 x 1), temos que destacar a atuação do "craque" Zé Augusto e do eterno Robgol.

Com relação ao Clube do Remo, este é vice-lanterna, e segundo a análise mais criteriosa, deve ano que vem participar da 3ª Divisão, com amplas chances de retornar em 2008, quiçá, bi-campeã da terceirona.

Louis Armstrong dizia: "O céu é azul, as nuvens são brancas e o mundo é maravilhoso..."

sexta-feira, junho 02, 2006

Linguajar paraense do dia-a-dia


O grande amigo Nilton Atayde, enviou para o nosso blog e pede publicação do "Dicionário da Língua Paraense", é sem dúvida alguma expressão da comunicação coloquial do homem-comum, totalmente informal e engraçada... Pedido feito, pedido atendido. Para ilustrar, a fotografia é de um igarapé, tomar banho em igarapé é bem paraense.
Vamos entender o que o paraense fala, confira abaixo:

ÉGUA: vírgula do paraense, usada entre mil de mil frases ditas, e com essa expressão, ele não tem a menor chance de errar nas concordâncias...
LEVOU O FARELO! - se deu mal!
PITIÚ - cheiro característico de peixe, você consegue senti-lo com maior intensidade no VER-O-PESO, cheiro de ovo também é pitiú.
SÓ-TE-DIGO-VAI! - expressão usada pelas Mães para chamar a atenção dos filhos maluvidos (mal ouvidos, ou que não dão ouvidos), quando não as obedecem!
TE ACOCA - te abaixa.
MUITO PALHA! - muito ruim!
TUÍRA - pó da pele de quem não toma banho direito! rsrs (essa é boa!).
MAIS-COMO-ENTÃO? - "me explique, por favor!”
BORA LOGO! - se apresse!
BORIMBORA! - vamos embora!
"MAS QUANDO!" - "você está mentindo!"
"EU CHOOORO!!!"- significa " não tô nem aí pra ti!, te vira!, dá teu jeito!
"FILHO DUMA ÉGUA! - filho da mãe! Expressão usada para demonstrar insatisfação.
E-GU-Á - Pôxa vida!!!
PAI D'EGUA! – Excelente! Muito bom! Bom pra cacete!
MAS CREDO - cai fora.
OLHA JÁ - é mentira!!
JÁ ME VÚ – tchau!
ÊÊÊ... – quando algo que se conta é mentira.
TU ALOPRAS – você "apela".
HUM TÁ, CHEIROSO! – hahaha... eu adoro essa expressão.... "hum...tá bom, gatinho, tá bom lindo, tá bom bonito..." é uma forma de ironia, tipo "conta outra!"
PUTITANGA – sinônimo de "É-GU-A" que quer dizer: pôxa vida!!!
UUUULHA – expressão usada por nossas crianças quando querem se referir a algo.
ASSANHADO – para nossos amigos sulistas, esse adjetivo não quer dizer "ENXERIDO", e sim, seu cabelo está bagunçado!!
DESPOMBALECIDO – 1. estado de moleza e cansaço. 2. enfermidade.
MERDA N´ÁGUA! – é o famoso "maria vai com as outras".
CARAPANÃ – pernilongo, mosquito, borrachudo.
PÔ-PÔ-PÔ – embarcação típica composta por um a canoa coberta, movida a motor de Pôpa.
ARREDA AÍ – afasta aiií.
JÁ ESTÁS NO TEU MOMENTO – quando alguém faz algo que chame atenção, ou dá em cima de outra pessoa... aí usam isso!!!
DERRUBAR – cagoetar, entregar.
JÁ VALE??? – quando alguém faz algo que a outra pessoa não gosta, por exemplo: já vale me derrubar???
MAS QUANDO! – não se refere a data e sim a pessoa dizendo "não" por exemplo: a pessoa pergunta ao amigo: você vai ao show hoje?! O outro responde: mas quando! estou sem dinheiro.
ESBANDALHAR – quebrar.
RALHAR – brigar.
DIZQUE... – uma interjeição de ironia.
COQUE – um leve soco com a falange dos dedos na cabeça da criança peralta, chamado também de cascudo.
PAPUDINHO – cachaceiro.
DISPRÉ – algo ruim, vergonhoso.
CARAMBELA – cambalhota.
JÁ QUERES... – quando a pessoa esta interessada em outra, por exemplo: olha esse carinha é gatinho(a garota fala) / resp: Já queres, né!!!(a outra responde).
PAPA-CHIBÉ – paraense autêntico, aquele que não troca seu pirão de água com farinha com umas boas cabeças de camarão.
MANINHU – amigo, colega...
EBE = ÉGUA = CARAMBA – (Ebe era usado por pessoas que antigamente consideravam o Égua como um palavrão).
LÁ NO CANTO – lá na Esquina.
CABÔCU – pessoa matuta.
RABIOLA – pipa.
Axiiii CREDO! – expressão de desdém quando você não gosta de alguma coisa. SURARA – quando o caboclo termina o açaí, põe água na tigela e toma aquele líquido tinto, tá tomando a surara... Não desperdiça nada!
GITA ou GITITA – o mesmo que pequenina.
TEBA – quer dizer grande. Por exemplo: tem uma teba de uma orelha.
CHOPE – em todo canto vemos placas assim: vende-se chope, quem não sabe fica intrigado achando que vende cerveja em todas as casas quando na verdade é sacolé... Como os "pregos" falam pras bandas do sul...
ESPOCAR – estourar, encher de mais, explodir, etc...
DAR A FORRA – retribuir um favor prestado por alguém.
PIRA – 1. brincadeiras infantis (tipo pique lá pras bandas do sul) 2. ferimento causado por falta de higiene.
PIRENTO – alguém acometido de "pira", eheh.
TÁ RALADO – palavras usadas para expressar que algo está difícil de ser realizado (tá f...!).
POTOCA – papo furado, mentira.
TU VAIS DANÇAR UM CARIMBÓ JÁ-JÁ – Eu vou te dar uma surra.
VAREJEIRA – Mulher safada (uma mosca insistente, na praia do Outeiro tem aos montes).
ESPOCA FORA – te manda, rasga.
DE ROCHA – de verdade, pra valer.
BUIADO – endinheirado.
PAVULAGEM – metidez, frescura.
PERAÍ – espera um pouco, por exemplo: ei maninha peraí, já tô indo !!
RASGA – cai fora ! Exemplo: Ei muleque! rassssga !!!!!
ESCULHAMBAR - repreender, criticar ou censurar de maneira áspera, rude ou ofensiva; bagunçar, avacalhar...
NUMSEI - é a mesma coisa que "não sei", exemplo: - ei gito cadê o teu pai? o moleque responde fazendo um biquinho - Numsei, não!