quarta-feira, julho 19, 2006

Antoine Saint-Exupéry


Duda Bueres sustenta que a humanidade perdeu... A última gota de leite do seio secou e a criança tá no chão esquecida...
Antoine Saint-Exupéry que viveu um momento tumultuado da humanidade - as duas grandes guerras, diante da bárbarie, buscou refletir profundamente o ser adormecido que se revela na amizade...
Talvez, Exupéry repetisse exaustivamente ao descrente Bueres: "Não transformes as tuas convicções em pedras..."
Bueres, caro amigo de terço e terçado, não é possível amar e acreditar que um outro mundo é possível?!

Deixo a reflexão de Exupéry que tanto você (Bueres) desdenha, quiçá, por ser autor de um opúsculo com um título singelo "Pequeno Príncipe"...

"Liberta o Homem, e Ele criará

Eu hei-de esculpir o futuro ao jeito do criador que extrai a obra de mármore a golpes de cinzel. E caem uma a uma as escamas que escondiam o rosto do deus. E os outros dirão: Este mármore continha este deus. Ele o que fez foi encontrá-lo. E o gesto dele não passava de um meio. Mas eu cá digo que ele não calculava, ele forjava a pedra. O sorriso do rosto está muito longe de ser feito de suor, de faíscas, de golpes de cinzel e de mármore. O sorriso não é da pedra, mas sim do criador. Liberta o homem, e ele criará". (Antoine de Saint-Exupéry, in 'Cidadela')

Nenhum comentário: