terça-feira, julho 25, 2006

Papão 1 x 0 Boca Juniors - La Bombonera

Golaço do Iarley para calar a boca dos remistas secadores. Homenagem aos amigos Nilton Atayde e Tico Futrika, e também à grande nação bicolor.



Para quem viveu aquele momento inesquecível.
Aos traíras e secadores morram de inveja...
Em especial, aos amigos Augusto Carmelino, Lúcio Puget, Arnaldo Delsefin, Xico Rocha e Duda Bueres, La Bombonera foi nossa naquela noite, não foi invenção da Globo.

5 comentários:

Anônimo disse...

Inesquecível!!!
Parabéns, fiquei emocionado, até rolou umas lágrimas...
Valeu!!!!
Fui!

Cy disse...

Ei, sou remista também!!! Hahaha Mas, parabéns pelo Blog pai dégua! E uma curiosidade! Um dos homenageados aqui, Lúcio Puget,é meu cunhado...hehehehe

citadinokane disse...

Cy,
Obrigado por visitar o nosso blog, o Lúcio coitado sofre muito...
Ia esquecendo parabéns, visitei o seu blog e é muito legal.
Um abraço,
Pedro

Cy disse...

Saudações azulinas Pedro! Hahahaha Vim agradecer a sua visita e parabenizar-te também pelo teu Blog e comentário no meu. Comentários como o seu e como o do Cirilo só fazem enriquecer e ensinar não só a mim como a quem por acaso aparecer por lá.

E quanto ao "sofrimento" do Lúcio, não se preocupe não... Esse cara aí é muito feliz! :)

Quanto ao péssimo desempenho do nosso querido Remo, ou até mesmo da nossa Seleção Brasileira, devemos tirar algumas lições:

Uma delas é sobre o significado dos problemas. Quando os problemas aparecem - sobretudo os mais graves como uma derrota - há dois caminhos a seguir: O primeiro é aquele do herói, e se caracteriza pela capacidade de mergulhar fundo dentro de si para buscar todas as suas forças, enfrentar e vencer os desafios que a situação apresenta. Nessa viagem corajosa e ousada, o indivíduo - além de conhecer poderes até então inimagináveis - pode também desenvolver sua sabedoria e a sua compreensão dos processos da vida.

O outro caminho é o da revolta.
Surge quando a pessoa se entrega ao desespero e à impotência, submetendo-se aos limites imaginários que suas crenças lhe impuseram. Dessa postura o indivíduo emerge fracassado...

Quando situações angustiantes se apresentarem, devemos enfrentar e buscar forças mais profundas para superar o momento. Está certo que somos seres humanos e temos toda a permissão para sentir medo e dor, mas não podemos nos entregar. Nem sempre ganhamos! Como na vida, mas, o importante é seguir em frente. :)

Vou te linkar! Beijos!

citadinokane disse...

Cylene,
Realmente fora a questão clubística, o Lúcio vive feliz e rindo... A irmã dele foi minha aluna, ela me contava o quanto ele era ciumento com ela, no estilo Paizão, mas deixa pra lá...
O que me chamou a atenção no teu blog, além dos textos bem construídos, foi o astral, é muito positivo, parabéns.
Obrigado por ter derramado um pouco desse astral aqui agora.
Já está linkado o teu blog.
Um forte abraço e não esqueça da gente,
Pedro