quarta-feira, julho 19, 2006

Rosa de Hiroshima (Vinícius de Moraes)


Fico pensando que é possível aprendermos com os poetas, leio poesia para sentir-me vivo! Os poetas, esses seres encantados, médiuns de belezas invisíveis aos olhos dos mortais(nós)... Revelam a natureza humana em toda a sua dimensão - boa e ruim... E como disse em alhures o amigo Carlos Ponte "NÃO É POETA QUEM QUER..." , por isso recorremos aos poetas para discernir a nossa natureza.
Nesses tempos em que a humanidade assiste a mais uma guerra sem sentido. Vinícius de Moraes chama a atenção de todos que querem a paz. O poetinha conseguiu verter em melodia um alerta para toda a humanidade... Não podemos esquecer jamais das crianças, das mulheres e dos homens desarmados e indefesos.
Peço um minuto de reflexão: Paz e Amor!

"Rosa de Hiroshima

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas

Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas

Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária

A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica

Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada"

4 comentários:

Carlos Ponte disse...

Pois é amigo Pedro não há maneira de aprendermos, voltamos uma e outra vez a cometer os mesmos erros. Será que jamais conseguiremos viver num mundo fraterno?
Óptimo (desculpe o p) poema de Vinicius. Pena que nem todos o leiam.

citadinokane disse...

Carlos,
Estou pensativo, cada dia que passa mais me assusto com o futuro que nos aguarda.
Vi uma fotografia muito triste, crianças israelenses escrevendo mensagens nos mísseis que seriam lançados sobre o Líbano. Uma pena.

Anônimo disse...

Bela e triste poesia. Infeliz realidade do passado e ao que parece insiste no presente. Concordo com o que Carlos disse quanto as crianças israelenses. Lamentável.

Mari

citadinokane disse...

História que se repete insistentemente, uma pena...