terça-feira, agosto 01, 2006

Aulas de Nortista... a pura verdade!!!


Recebi um e-mail de Daniel Gomes com um texto sobre a maneira de ser dos paraenses, amazonenses, amapaenses... o nortista verdadeiro. Vamos à leitura, achei muito legal.

"Aulas de Nortista....a pura verdade!!!

Primeiramente, você tem que treinar falar com as pessoas pegando nelas. No braço, no ombro, no cotovelo. Mas tem de pegar. A linguagem corporal é tão importante para o nortista, quanto o descanso o é para o baiano e a desconfiança para o mineiro. Beijinhos de cumprimento são sempre dois. Os paulistas têm de diminuir um e os gaúchos têm de aumentar um. Isso pode causar uma série de beijos órfãos no ar para aqueles que estão em fase de adaptação. O pegar e o beijinho do nortista não devem ser entendidos, grosso modo, como invasivos, mas como parte mesmo de sua enunciação, parte do sentido do dizer. Outra coisa: nortista aponta com a boca. Pergunte a um nortista onde está algo e ele, muito provavelmente, em vez de levantar a mão e apontar, fará um biquinho em direção à coisa procurada. Aliás, um biquinho não, um beicinho. Nortista bom mesmo, típico, é aquele que não respeita sinais de trânsito. Faixa de velocidade, então, vixe! Nem pensar. Muitos até fazem da faixa uma espécie de guia para centralizar seu carro, como fazem os aviões. E vá tentar andar na faixa? Você é considerado o pior motorista do mundo, com direito a olhares feios e até alguns xingamentos. Por outro lado, se seu carro quebrar, logo aparecem muitos nortistas querendo dar uma mãozinha. Nortista é solidário. Muito. Pergunte e ele responderá. Peça e ele lhe ajudará. Dê trela e ele grudará. O Nortista é muito caloroso. Não só pelo calor que faz em toda a região norte, mas porque facilmente puxa papo e se integra a um grupo. Basta uma possibilidade de entrada na conversa e... zapt! Estamos dentro, na maior intimidade. Isso pode causar certo choque para as pessoas do sul e sudeste, mais reservadas no assunto amizade. É mais difícil "aprochegar-se" em SãoPaulo do que no norte, definitivamente. Mas há doces exceções, graças a DEUS..."

3 comentários:

Carlos Ponte disse...

Olá Pedro,
Bom observador, o seu amigo Daniel!
Lendo o seu post dei por mim a catalogar-me e concluí que se fosse Brasileiro seria, com toda a certeza, nortista. Humildemente confesso que muitas vezes falo também com as mãos. É a minha maneira de vincar as coisas. Embora não me reconheça em muitas das outras coisas. Por exemplo aquela de apontar com a boca faz-me lembrar os western's da minha juventude quando, com o sol a pique na rua principal o "artista" fazia uma pergunta e a resposta vinha com um aceno de cabeça. Mas descanse que quando cá vier vou me comportar!
Mas seria nortista por outra razão: é que aprecio tanto a música popular nordestina, o baião, Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro... Sorte a minha o "emule" não se fazer de rogado.
Um abraço cá do Norte

citadinokane disse...

Carlos,
É verdade falamos tocando nas pessoas, é incrível, mas é vero...
A nossa música é um pouco diferente da música nordestina, a inflência do sertão é muito forte no nordeste.
Os nossos músicos, compositores e cantores são influenciados pela floresta, os rios que são muitos, retiram uma sonoridade diferente.
Fafá de Belém, no início de sua carreira representava muito bem essa vertente musical.
Por falar em Fafá, ela passou um bom tempo aí em Portugal, agora ela está de volta a nossa terrinha, vira e mexe encontramos com ela por aqui em Belém, no aeroporto ou na rua.
Um abraço nortista,
Pedro Nelito

marisanblog disse...

Realmente, muito legal Pedro. Não vês, bastou dar uma confiança e todos os dias estou aqui no blog. Nortista saliente, rsrsrs

Um abraço bem nortista.

Mari