terça-feira, agosto 08, 2006

A fome e uma outra história


Quando vi pela primeira vez a foto acima, senti uma tristeza profunda... Um mundo globalizado não impede que a fome se alastre e produza uma cena tão macabra... O abutre não tem culpa de nada, espera para fazer a parte dele, nesse ciclo...
Uma querida aluna de Direito contou-me que trabalhou durante muito tempo em instituições que prestavam auxílio às populações que na África sofrem o fragelo da fome. Durante uma visita a um país africano, viu uma menina(bebê) ser abandonada para morrer, semelhante a situação acima da fotografia, não se conteve, emocionada caminhou em direção à criança no chão e tomou-a no colo, com muitas dificuldades conseguiu a adoção da criança, trouxe para o Brasil. Mostrou-me as fotos da criança à época, só pele e osso, esquálida... Hoje uma linda pré-adolescente.

"O Senhor banirá a morte para sempre e enxugará as lágrimas." (Isaías 25, 6a.7-9)

15 comentários:

Moura disse...

E pensar que grande parte dos governantes africanos estão na lista dos homens mais ricos do planeta! As mulheres deles vão nos aviões a jacto comprar roupa a Paris...e uma delas vai frequentemente ao Brasil para mudar de ares e fazer compras!
Quem sofre é o povo, na expressão tipicamente portuguesa, o "Zé Povinho"!!
Aqueles dirigentes politicos precisavam de uma bela catequese...para que as crianças podessem ter um futuro digno.
Quem ajuda na maioria das vezes estas populações são associações não governamentais, que contam com o apoio de pessoas em regime de voluntariado que possuem um coração maior que este mundo! Conheço várias pessoas que já fizeram trabalhos deste tipo e contam histórias impressionantes!

Um abraço

incondicional disse...

Gracias por visitar mi blog y dejar tu huella.

Ví la foto en una revista en grande y a todo color, es sobrecogedor, vivimos en mundos que nada tienen que ver y encima nos quejamos por todo, viendo esas imágenes.....sobran las palabras.

Ójala algún día todos los seres humanos tengamos las mismas oportunidades en la vida.

Un abrazo.

Direito & Esquerdo disse...

Bonito Nelito
Abs
Bruno

citadinokane disse...

Moura,

É revoltante e lamentável o que ocorre com a África, não pode Deus ter esquecido esse lugar.
Os homens esqueceram com certeza. Como tenho fé, a esperança permanece.
"Quando a esperança desaparece, a vida termina, na realidade ou potencialmente. A esperança é um elemento intrínseco da estrutura da vida, da dinâmica do espírito do homem."(Erich Fromm)
Um abraço irmão,
Pedro

citadinokane disse...

Incondicional,
É um imenso prazer recebê-la aqui, a visita que fiz ao teu blog enriqueceu-me bastante, volte sempre.
Em tua homenagem:
"Soneto (a Cristo crucificado)
No me mueve, mi Dios, para quererte,
el cielo que me tienes prometido,
ni me mueve el infierno tan temido
para dejar por eso de ofenderte.

Tú me mueves, Señor; muéveme el verte
clavado en una cruz y escarnecido;
muéveme ver tu cuerpo tan herido;
muéveme tus afrentas y tu muerte.

Muéveme, al fin, tu amor, y en tal manera,
que aunque no hubiera cielo, yo te amara,
y aunque no hubiera infierno, te temiera.

No me tienes que dar porque te quiera;
pues aunque lo que espero no esperara,
lo mismo que te quiero te quisiera." (Anónimo*)

*o soneto segue anônimo desde 1628

Un millón de gracias

Lia Drumond disse...

Infelizmente, crianças não são consideradas bens da humanidade. Não há interesse na internacionalização da responsabilidade por elas. Só há interesse no acúmulo de lucros, e crianças significam despesas...

Cirilo Veloso Moraes disse...

Os governos vivem se preocupando com questões muitas vezes tão desimportantes, mas não lutam para dar solução a um problema bem mais grave: a miséria humana.
É triste esse mundo que vive para consumir e ganhar cada vez mais, deixando à margem o cuidado com seus iguais.
Vivo me perguntando onde está o sentimento de amor ao próximo que deveria existir dentro de cada pessoa?
É impressionante o descaso para com a própria espécie...

Cirilo Veloso Moraes disse...

Outro detalhe: é incrível como países tão ricos, como angola (por causa de seus diamantes, por exemplo), têm uma população tão miserável.
Eu mesmo pude constatar em várias viagens ao citado país, como convidado do seu presidente, a péssima situação em que vivem os habitantes. Na verdade nem sei se posso chamar aquilo de vida... Estranho ver pessoas deixadas ao léu enquanto eu comia e bebia do bom e do melhor no hotel cinco estrelas do próprio presidente. Em uma de minhas saídas à rua me deparei com pessoas pedindo, não dinheiro, mas a minha própria roupa. Resultado: voltei só de bermuda para o hotel, pois dei minhas sandálias e minha camisa.
Nelito, adorei as vezes que fui à africa. É um continente riquíssimo de cultura, culinária, musicalidade, festividade, etc, mas sempre fiquei impresisonado com a miséria. Aqui no Brasil é grande, mas lá é incrível.

citadinokane disse...

Lia,
Muito legal a sua visita aqui.
Vivemos uma transição constante, em alguns momentos parece que tudo está perdido...
Olho para a minha filha recobrando as energias para retomar a caminhada e digo mirando o céu - um outro mundo é possível!
Por isso continuo insistindo, viver é um desafio, viver e deixar viver é o construto para uma nova solidariedade.
Você é importantíssima nesse projeto, quem ama os gatos tem muito amor pela humanidade...
Um abraço,
Pedro

citadinokane disse...

Bruno,
Hasta la victória siempre!
Pedro

citadinokane disse...

Cirilo,
Haveremos de superar a condição de mero espectadores, para entrarmos em cena, como os verdadeiros agentes de nossa história... E aí a história será outra com certeza.
Um abraço irmão mauriciano,
Pedro

Tozé Franco disse...

Palavras para quê?
Um mundo que produz mais alimentos do que aqueles que precisa não pode ter imagens como esta.
Quando nos países ricos a obesidade é uma causa de morte, como é possível comtinuar a morrer à fome?
A cada 5 segundos morre uma criança à fome ou com doenças perfeitamente curáveis.
Haveremos com toda a certeza de arranjar uma solução para isto.
Um abraço

citadinokane disse...

Tozé,
Em alguns momentos realmente você tem razão, as palavras não servem pra nada... Deitar o olhar nessa situação que nossos irmãos africanos vivenciam é muito doloroso e revoltante...
Dias melhores virão.Espero.
Um forte abraço,
Pedro

marisanblog disse...

Pedro,

Teria tantas coisas para dizer, mas é tudo tão deprimente que prefiro nem comentar...

A única coisa que posso te dizer é que sinto uma profunda tristeza diante de tudo isso.

Um abraço.

Marinês

citadinokane disse...

Mari,
É difícil e chocante saber que nesse momento que escrevo a história contada acima está se repetindo...