segunda-feira, agosto 21, 2006

Mário Quintana


Recebi um pedido de uma amiga que freqüenta o blog, ela adora Mário Quintana, o ano do centenário do poeta gaúcho é comemorado por todo o país, além da singeleza das palavras a imagem de Quintana é ainda mais singela, um pouco de Mário Quintana para todos que nos acompanham:

"Olho em redor do bar em que escrevo estas linhas.
Aquele homem ali no balcão, caninha após caninha,
nem desconfia que se acha conosco desde o início
das eras.
Pensa que está somente afogando problemas
dele, João Silva...
Ele está é bebendo a milenar
inquietação do mundo!"

Mário de Miranda Quintana nasceu na cidade de Alegrete (RS), no dia 30 de julho de 1906. Falece, em Porto Alegre, no dia 5 de maio de 1994, próximo de seus 87 anos, o poeta e escritor.
O poeta gaúcho não conseguiu vaga na Academia Brasileira de Letras, por três vezes foi indicado mas não conseguiu ser eleito, tudo isso só fez aguçar seu conhecido humor e sarcasmo, e acabou compondo o conhecido poema:

Poeminho do Contra
Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!
(Prosa e Verso, 1978)

Sobre a morte escreveu Quintana: "Amigos não consultem os relógios quando um dia me for de vossas vidas... Porque o tempo é uma invenção da morte: não o conhece a vida - a verdadeira - em que basta um momento de poesia para nos dar a eternidade inteira".

E, brincando com a morte: "A morte é a libertação total: a morte é quando a gente pode, afinal, estar deitado de sapatos".

Mari escreve e pede que seja publicada a poesia abaixo, pedido feito, pedido atendido, afinal de contas é um grande poeta do Brasil:

Vida
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo
caminho, a casca dourada e inútil das horas...
Dessa forma eu digo:
Não deixe de fazer algo que goste
devido à faltade tempo,
a única falta que terá, será desse tempo
que infelizmente não voltará mais.

15 comentários:

Mario disse...

Olá
Adoro os poemas dele, alem de serem muito bons ele tem meu nome
sauashas
Continue me visitando

T+

citadinokane disse...

Mário,
Eu tenho te visitado todos os dias, o teu link tá aí ao lado, é só clicar e a gente sabe tudo sobre futebol pelo Brasil, legal.
Um abraço,
Pedro

Tozé Franco disse...

Grande poeta. Já conhecia algumas coisas dele e acho-as fantásticas.
Um abraço.

P.S.: Deixo-lhe aqui um blog que fala sobre profissões que estão a desaparecer e que, em minha opinião, vale a pena ler: http://alfazemaazul.blogspot.com/

citadinokane disse...

Tozé,
A língua portuguesa dispõe de grandes poetas, graças a Deus.
Com relação ao blog indicado fui lá e é ótimo, obrigado pela dica vou linkar no meu.
Querido amigo despeço-me agradecendo a sua visita.
Um abraço,
Pedro

marisanblog disse...

Pedro,
Tão linda poesia de Quintana, a Vida, realmente é a nossa vida. Emocionada e feliz estou pelo post. Obrigada por atender o meu pedido. Você é maravilhoso.

Abraços fraterníssimos.

Com carinho.

Mari

citadinokane disse...

Mari,
Sabemos o quanto o mundo precisa de poesia... Nós precisamos de poesia...
Viva Quintana!!!
Um abraço,
Pedro

Princesa Dariak disse...

Serà que tengo que aprender portugues...
Mi musica preferida està en portugues (Axe), mi lugar predilecto es, justamente, un lugar en donde se baila zouk, pagode, samba y axe, obviamente brasilero. Y ahora, este poeta, cuyas palabras entiendo a media lengua...

Vendrè seguido a aprender para poder leerte, leerlos...y entender!
Beijos pra vocè y gracias por visitar mi desierto...

Un abrazo de Luz.

citadinokane disse...

Princesa,
Que boa visita, o português é fácil fácil é só continuar nos visitando...
Continuarei visitando o teu deserto sem falta.
Un abrazo de luz também,
Pedro

asn disse...

Li este post com muita emoção. Que se passará comigo? Cada vez gosto mas de poesia e de conhecer da vida dos poetas. E de tentar escrever poesia, à minha maneira, ao modo como sinto os momentos da vida. Sem regras, ao meu estilo pessoal e anárquico.
Chego a pensar se a Ordem não acabará no Caos...
Que se estará a passar comigo, aos 59 anos do meu tempo?...
António

citadinokane disse...

Querido amigo António,

"...basta um momento de poesia para nos dar a eternidade inteira."

O Quintana foi conhecido por apresentar uma poesia simples, como a vida dele... Prenhe de beleza, a simplicidade é a essência da vida, e Mário Quintana brindou-nos com a essência da vida.
Quando ultrapassei os sete lustros de existência, fiquei a pensar sobre a vida que ainda me restava... E uma angústia insistente a apossar-me desesperadamente...
A leitura das poesias de Fernando Pessoa foi um lenitivo, bálsamo que me acompanha na caminhada rumo ao infinito de nossas vidas.
António, a tua poesia, a maneira que os sentimentos vazam por tuas mãos, desordenadamente, é o sinal de vida que continua a pulsar no coração e n'alma...
Viva Quintana!!!!
Viva António!!!
Abraços fraternais,
Pedro

marisanblog disse...

Olá Pedro!

Já, quase na metade do caminho, resolvi subir e me apresentar. Li o nosso cotidiado (Vida) e continuo a jornada.

Abraços.

Mari

citadinokane disse...

A jornada é longa, é como se fosse "um grão, uma semente de ilusão, tem que morrer pra germinar"... Entre aspas - Gilberto Gil.

gabriela disse...

Gostei muito de me encontrar mais uma vez com a poesia de Mario Quintana em meu caminho.
Fico pensando neste fragmento: " Porque o tempo é uma invenção da morte: não o conhece a vida - a verdadeira - em que basta um momento de poesia para nos dar a eternidade inteira".
Acredito plenamente e isso dá muita Luz aos meus dias e muita Paz!!!

Desfruto muito de ler teu blog :-)

citadinokane disse...

Gabriela,
Quintana é de uma região de meu país, bem próximo ao teu. O que sempre me chamou atenção nesse poeta foi a sua encantadora simplicidade no escrever, impregnada de sentimentos que todos vivemos diuturnamente, mas que temos dificuldades em expressá-los, Quintana fala e pronto... Os sentimentos fluem em borbotões na escrita do poeta dos gaúchos...
Desfruto também de tua presença aqui.
Não podemos esquecer:"...basta um momento de poesia para nos dar a eternidade inteira"

Um abraço,
Pedro

marisanblog disse...

A cada vez que leio este poema (Vida), sinto mais vontade de viver intensamente todas as coisas boas que a própria vida nos proporciona.

Sejamos felizes!!

Abraços

Mari