sexta-feira, setembro 08, 2006

Walt Whitman e a Sociedade dos Poetas Mortos


Meu primeiro contato com este maravilhoso poeta foi através do filme/película: "A Sociedade dos Poetas Mortos". O ator Robin Williams interpreta o professor John Keating, um professor polêmico e que confronta e questiona os padrões da "Welton Academy", uma instituição de ensino extremamente conservadora, com um sistema acadêmico rígido e autoritário.
A proposta de John Keating em sala de aula, é acima de tudo a possibilidade dos jovens alunos romperem com os estereótipos impostos pela instituição.
Novos sentimentos são despertados sempre com o auxílio de John Keating, com a trágica conseqüência - a morte do jovem Neil Perry. Com os anseios e sonhos sempre sufocados pelo pai, o jovem tendo em mente a frase que Keating mencionara no início do filme e que remete à poesia de Walt Whitman: Carpe Diem (aproveite o dia), o jovem busca exercitar a frase em sua vida, no filme, ele resolve encenar uma peça teatral, se sentindo muito feliz pelo feito, mas seu pai não entende e recrimina a sua realização. Neil não conseguindo assimilar a insatisfação do seu pai, sacrifica a própria vida, o suicídio abala a instituição... Keating é demitido, mas existe o reconhecimento de seus alunos na derradeira cena que é muito bonita... É pegar o filme e rever tudo.
A poesia de Walt Whitman tem papel central na trama, é o ponto de partida para entendermos "A Sociedade dos Poetas Mortos", quero compartilhar com todos a poesia que mobiliza os jovens na Welton Academy.

APROVEITA O DIA (Walt Whitman)

Aproveita o dia,
Não deixes que termine sem teres crescido um pouco.
Sem teres sido feliz, sem teres alimentado teus sonhos.
Não te deixes vencer pelo desalento.
Não permitas que alguém te negue o direito de expressar-te, que é quase um dever.
Não abandones tua ânsia de fazer de tua vida algo extraordinário.
Não deixes de crer que as palavras e as poesias sim podem mudar o mundo.
Porque passe o que passar, nossa essência continuará intacta.
Somos seres humanos cheios de paixão.
A vida é deserto e oásis.
Nos derruba, nos lastima, nos ensina, nos converte em protagonistas de nossa própria história.
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua, tu podes trocar uma estrofe.
Não deixes nunca de sonhar, porque só nos sonhos pode ser livre o homem.
Não caias no pior dos erros: o silêncio.
A maioria vive num silêncio espantoso. Não te resignes, e nem fujas.
Valorize a beleza das coisas simples, se pode fazer poesia bela, sobre as pequenas coisas.
Não atraiçoes tuas crenças.
Todos necessitamos de aceitação, mas não podemos remar contra nós mesmos.
Isso transforma a vida em um inferno.
Desfruta o pânico que provoca ter a vida toda a diante.
Procures vivê-la intensamente sem mediocridades.
Pensa que em ti está o futuro, e encara a tarefa com orgulho e sem medo.
Aprendes com quem pode ensinar-te as experiências daqueles que nos precederam.
Não permitas que a vida se passe sem teres vivido...

12 comentários:

Navi Leinad disse...

Esse filme realmente vale a pena rever!

Carlos Ponte disse...

O Clube dos Poetas Mortos, é como aqui lhe chamamos, é realmente um belo filme. Já o vi, talvez, há mais de uma década, mas lembro-me ainda do essencial da mensagem. E então o poema: é da gente ir lendo e rebobinando o filme da nossa vida para ver se, realmente, temos vivido.
À VIDA!
Um abraço,
Carlos Ponte

citadinokane disse...

Ivan,
Vale!

citadinokane disse...

Carlos,
Viver intensamente, é o segredo da vida.
Abraços,
Pedro

Nan disse...

eis um dos muitos filmes de que gostei imenso mas que não coube no meu perfil, como tantos outros.
é arrepiante a cena final, em que os alunos homenageiam o professor em cima das mesas...

carpe diem!

gabriela disse...

Adorei teu post!!!
Walt Whitman é um de meus poetas preferidos e poesia que você escolheu faz refletir muito no valor de não deixar de viver cada instante intensamente, não continuar perdendo os trenes!!!
Também gostei muito desse filme.

um beijo

citadinokane disse...

Nan,
Sinceramente devemos aproveitar o dia.
Carpe diem! Para amarmos e sermos amados.
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Gabriela,
Walt Whitman foi muito polêmico.
Fico pensando como desafiar o mundo sem ser polêmico?
A poesia de Walt é maravilhosa, e a sensibilidade a flor da pele, a emoção se desabrocha em lágrimas...
Beijos,
Pedro

marisanblog disse...

A cena final do filme é um dos segredos do enredo. Muito Legal. De leve.

citadinokane disse...

Mari,
Yes!

AYANNE disse...

BOM EU NÃO ASSISTI O FILME, MAIS PELO QUE EU LI DO POEMA ELE É MUITO FORTE E FAZ A GENTE PENSAR EM TUDO QUE A GENTE VIVEU E PODE AINDA VIVER...
WALT WHITMAN MELHOR... ANNE

citadinokane disse...

Anne,
É isso mesmo, Walt Whitman é poesia que desperta o melhor da gente.
bjs