terça-feira, novembro 07, 2006

Drummond e a "Carta a Stalingrado".

Como deixar de lembrar o poeta Carlos Drummond de Andrade e as suas lindas poesias de amor... Poesias carnais... Outras indecentes... E não poucas profundamente engajadas e prenhe de humanismo...
No livro "A rosa do povo", pag. 151, Drummond em plena 2ª Guerra Mundial toma conhecimento da resistência que Stalingrado oferece aos nazistas, e escreve um poema, uma carta, dá o título: "Carta a Stalingrado".
Pelo meio do poema me emociono com as palavras do poeta de Itabira:

(...)
Não mais livros para ler nem teatros funcionando nem
trabalho nas fábricas,
todos morreram, estropiaram-se, os últimos defendem
pedaços negros de parede,
mas a vida em ti é prodigiosa e pulula como insetos ao sol,
ó minha louca Stalingrado!

A tamanha distância procuro, indago, cheiro destroços
sangrentos,
apalpo as formas desmanteladas de teu corpo,
caminho solitariamente em tuas ruas onde há mãos soltas
e relógios partidos,
sinto-te como uma criatura humana, e que és tu, Stalingrado,
senão isto?

Uma criatura que não quer morrer e combate,
contra o céu, a água, o metal, a criatura combate,
contra milhões de braços e engenhos mecânicos a criatura
combate,
contra o frio, a fome, a noite, contra a morte a criatura
combate,
e vence.
(...)

Encontrei no YouTube um vídeo justamente sobre a "Carta a Stalingrado" de Drummond, grande poeta e militante político na juventude.

4 comentários:

Paola Vannucci disse...

Drumond,
não tem nem o que falar dele.
A única coisa que posso adiantar é que mais uma vez a doce alma do poeta vai além do curso normal ou anormal de todos os acontecimentos.....

Nelito

Tenha uma boa noite e espero que hoje reposes com o espírito de ter conquistado mais um dia de vitória.
Feliz e contente vou tb eu ao meu leito de desncanso para relaxar meu corpinho e amanhecer novamente sorrindo para objetivos reais cumprir....

Boa noite meu querido...

Salvo as brincadeiras, claro, rsrsrsrs

Leonardo Bruno disse...

Stalingrado é o retrato da uma das maiores tragédias da história: dois sistemas totalitários se matando entre si e esmagando seus respectivos povos.

citadinokane disse...

Paola,
Espero que amanheças sorrindo...

citadinokane disse...

Leo,
Stalingrado representou à época uma resistência espetacular, o próprio poeta Drummond ficou sensibilizado.
Abraços,
Pedro