quinta-feira, novembro 23, 2006

Minha Pátria!

Quero falar sobre a minha pátria.
Claro que sei, que toda discussão em torno de pátria, fica sem fundamentação quando defendemos uma específica.
Minha pátria é a humanidade.
Meus amigos, gostaria de somar minha voz a voz de milhares de pessoas.
Degusto "Santa Helena" e "Periquita" com Vinícius de Moraes, leio Cecília Meireles e Neruda com Chico Buarque, com Maria Betânia, Fernando Pessoa é uma constante, são todos por uma Pátria que está acima das questões étnicas, raciais e ideológicas... Eles declamam versos para minha Pátria: a humanidade. Portanto, Minha pátria esteja livre para afirmar que és livre!!!!!
Escutemos Vinícius, impagável em versos que tratam de uma Pátria do porvir, mais humana e poética, falam por ele Ferreira Gullar, Maria Betânia, Toquinho, Edu Lobo, Caetano Veloso,Chico Buarque e Camila Morgado.



8 comentários:

Carol disse...

Que delícia o teu blog, Pedro! Mais um para aumentar minhas boas companhias!
Um abraço.

Luciane Fiuza de Mello disse...

"O palco é a minha pátria", dizia o lendário bailarino Rudolf Nureyev.
Amei o clipe.
Abs!
Luciane.

Tozé Franco disse...

O video é excelente.
Gosto da ideia da minha pátria ser a humanidade.
Um abraço.

Nan disse...

poucas pessoas não se escandalizam quando digo que não me sinto particularmente portuguesa, que sou contra as fronteiras...essas coisas.
das quais falo num post meu de há meses, onde cito as seguintes frases, excelentes exemplos que tomo como meus:

" To me, it seems a dreadful indignity to have a soul controlled by geography "
George Santayana

" Patriotism is the last refuge of the scoundrels "
Samuel Johnson

" You'll never have a quiet world till you knock the patriotism out of the human race "
Bernard Shaw

citadinokane disse...

Carol,
Visitei o teu blog e fiquei encantado, és inteligente e teus posts prende a todos, gostei e irei linká-lo, ok?!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Li um livro de um jornalista americano, o título: Nenhum homem é estrangeiro.
Adorei o texto, relata o tempo da recessão americana, anos 30...
Aprendi com a leitura, que nossa pátria é o lugar onde as pessoas possam viver em paz e com muito amor>
A busca por esse instante se processa em todos os lugares do globo terrestre.
Concluo: sou um cidadão do mundo.
Beijos querida amiga da arte-bela-de-dançar.
Pedro

citadinokane disse...

Tozé,
Essa é a melhor idéia.
O patriostismo levou jovens em tenros anos, a morrerem por causas absurdas, sem sentido...
"Morrer pela pátria e viver sem razões" nunca mais.
Abraços irmão,
Pedro

citadinokane disse...

Nan,
Que saudades querida!
Considero o patriotismo uma imbecilidade também.
És uma pessoa interessante, gostaria de decifrar-te, és profunda em poucas linhas e isto te faz atraente, sem qualquer outro interesse, senão o intelectual, atravessaria os sete mares com uma garrafa de Periquita e duas taças e te ofereceria vários brindes... Um brinde ao sol, outro à lua e estrelas, por fim à vida.
Um grande abraço Nan, de além-mar...
Pedro