quinta-feira, dezembro 28, 2006

Compromisso urgente!

Queridos amigos e amigas da blogosfera, tenho um compromisso assumido com a blogueira Luciane Fiuza, para realizá-lo não tive outra escolha, devo me refugiar neste lugar horrível, aqui mesmo no Pará, próximo de Belém... Espero escrever a virtude que fiquei responsável para a política cultural do PT no governo do Pará. Retorno só ano que vem, sejam felizes e muita paz no ano que está chegando... Bye, bye!!!









quarta-feira, dezembro 27, 2006

Bailarinas & bailarinos & modéstia...

Quero brincar e aproveito para homenagear o pessoal da dança, essa turma acaba de publicar mais uma virtude de dez virtudes desejáveis para o governo do PT na política cultural do Estado do Pará, para conferir clica aqui, o título do post é MODÉSTIA (Por Rose Monteiro, Luciane Fiuza de Mello e Rubem Meireles). Só a bailarina que não tem... Vamos assistir a "Ciranda da bailarina" com Chico Buarque e Edu Lobo:

Lavando um pé

Quantos pés mesmo? Olha direitinho!

Velocidade mortal

O Futuro é hoje


Nesta quarta-feira(27/12) leio na internet que ano que vem, teremos à disposição uma novidade tecnológica que transforma óculos comuns em tela de cinema.
É isso mesmo blogueiros, o futuro é agora, o que antes só era visto em filmes como "Missão Impossível", estará no mercado para quem quiser abrir a carteira e sair com o seu óculos, ops! desculpe-me, levar o seu cinema para todo lugar.
É uma empresa israelense que desenvolveu um projetor de vídeo em miniatura que transforma óculos comuns em telas pessoais de cinema. Essa tecnologia projeta na lente do óculos uma imagem em vídeo em formato de cinema que é imperceptível por outras pessoas.
Mas a idéia vai além da tela de cinema, abre a possibilidade de em plena reunião, a pessoa com o óculos ler seu e-mail, sem deixar de ter o olhar atento para a outra pessoa que esteja fazendo alguma apresentação diante do portador do óculos. Para maiores informações, fazer contato com a Lumus (www.lumus-optical.com).

O futuro é hoje, aqui e agora... rsrsrs...

terça-feira, dezembro 26, 2006

Enigma Jurídico

O enigma jurídico, no vídeo abaixo várias situações de transgressão das leis, observe e identifique...

segunda-feira, dezembro 25, 2006

Poesia de Rui Barata


Poeta paraense, que conseguiu revelar a poesia que existe nas águas de nossos rios: Rui Paranatinga Barata.

Anjo dos Abismos

Quero chegar diante de ti
não como o vulto familiar que doura o teu
sossego,
não como a imagem do sonho
que se perde na bruma,
mas como o fantasma de dentro de ti
mesmo.
Quero chegar diante de ti,
e olharás minha longa cabeleira,
minhas faces esvoaçantes,
meus olhos incolores
e adivinharás que atravessei
os limites do eterno.
Ó esta noite todas as luzes estarão veladas
pelo sono,
todos os silêncios serão devorados
pela eternidade,
todas as chagas ressurgirão das dores,
todos os olhos estarão desmesuradamente
abertos
mas não poderemos sentir
a Sua mágica presença
porque então passamos à pátria das essências.
Esta noite chegarei diante de ti,
nossas almas se confundirão na grande viagem,
nossos olhos se alongarão ao paraíso dos símbolos
onde nasce o grande mar das almas moribundas.
Chegarei sobre a tranqüilidade dos teus cânticos
e te assombrarás com este vulto notívago de morto
que se suspende milagrosamente além dos tempos
e que conduz as asas multicores
no derradeiro vôo das espécies.
O sim sou eu por sobre as nebulosas,
fantasma que povoa quatro mundos,
imagem perdida e mais tarde encontrada
no ilimitado céu da poesia.

Intelectuais castos

domingo, dezembro 24, 2006

O Livro dos Abraços

O meu amigo David Carneiro, deixou-me um presente de Natal maravilhoso, um livro, mas não foi qualquer livro, foi um livro de Eduardo Galeano: O Livro dos Abraços.
David é uma pessoa que cultiva o hábito da leitura, não é à toa que tem a palavra fácil, a expressão oral já deixa antever que a esfera política paraense há de se enriquecer com este jovem lutador...
Marcelo Costa me alertava um-dia-desse: - esse garoto é um bom semeador! Eu um tanto distraído, indaguei: - Semeador de quê Marcelinho?! Ele retrucou, depois de ajeitar suas longas madeixas: - Semeador de sonhos!
Concordo com Marcelinho, David contribui e vai marchar ao lado daqueles que acreditam que um outro mundo é possível!
Meu amigo, te agradeço pela singela lembrança, adoro livros desde que era criança, gosto de livros novos pelo cheiro... ahahaha... E claro pelo conteúdo que pode me enriquecer, obrigado David!
E aproveito a ocasião para compartilhar uma pequena história que encontrei nO Livro dos Abraços:

"O Mundo
Um homem da aldeia de Neguá, no litoral da Colômbia, conseguiu subir ao céus.
Quando voltou, contou. Disse que tinha contemplado, lá do alto, a vida humana. E disse que somos um mar de fogueirinhas.
- O mundo é isso - revelou. - Um montão de gente, um mar de fogueirinhas.
Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras. Não existem duas fogueiras iguais. Existem fogueiras grandes e fogueiras pequenas e fogueiras de todas as cores. Existe gente de fogo sereno, que nem percebe o vento, e gente de fogo louco, que enche o ar de chispas. Alguns fogos, fogos bobos, não alumiam nem queimam; mas outros incendeiam a vida com tamanha vontade que é impossível olhar para eles sem pestanejar, e quem chegar perto pega fogo."(Eduardo Galeano)

Pessoas que fazem a gente pegar fogo: David Carneiro, Duda Bueres, Flávio Portela, Dias, Xico Rocha, Nilton Atayde, Mari Santos, Luana Caldas, Luciane Fiuza, Osvaldo Jr, Marcelo Costa, Rogério Friza, Walter Jr, Dirceu Franco, Oliviomar Barros, Ivan Daniel, Mixikó, Lila Magritte, Carlos Pontes, Tozé, Carlos Moura, ASN, Augusto Nunes, Patrícia Sousa, Paola Vannuci, Fred Guerreiro, Yúdice Randol, Fátima Ferreira, Isadora Lis...
Todas elas e muitas outras fazem da vida uma aventura maravilhosa.
Feliz Natal e um grande abraço, ou melhor, muitos abraços.

Papai noel, velho batuta...

Estou aqui tentando escrever um post para o Natal ou sobre o Natal, mas confesso não estou conseguindo... Gostaria de falar da alegria de aqui-agora poder comemorar mais um Natal com saúde e muitos projetos para o ano que vem...
Sem inspiração ou cético em relação ao Natal?!
Talvez influência do papo com o Locobueres na semana que passou. O velho e bom Locobueres, que de médico e poeta tem um pouco, numa conversa animada, começou a lembrar da cena musical do início dos anos oitenta, anos estranhos, eu um jovem mancebo imberbe, repare o quanto ainda estava no albor de minha juventude, e o Locobueres já com uma filha no mundo, o blusão de couro e a sua Harley-Davidson tupiniquim, segundo relato do loco, o mesmo havia montado uma motocicleta com peças de ferro-velho, tudo legal, "sem sujeira"...
Começamos constatando que a MPB recuara e as bandas de rock e punk começavam a ocupar a cena musical daqueles anos estranhos, falamos de tantas bandas, mas não sei o que levou a centrarmos a atenção na Banda de punk-rock - "Os Garotos Podres", aí o Duda disse: - Te lembras que esses caras bateram forte no papai noel, olha a letra:"Papai Noel, velho batuta, rejeita os miseráveis / Eu quero matá-lo, aquele porco capitalista / Presenteia os ricos, cospe nos pobres". O loco com um sorriso nos lábios, soltando uma baforada do seu charuto "puro" cubano, gargalhava ao dizer: - Mermão, nos shows, o "velho batuta" era trocado pelo "filho da puta".
"Os Garotos Podres" formado hoje pelo Mao(vocais), Mauro(guitarra) e Sukata(baixo) - a trinca mais antiga do quarteto, e Nunes (baterista) - viveram tempos de ditadura militar e censura prévia. O vocalista Mao, foi militante sindicalista, com raízes fincadas no Partido dos Trabalhadores e no Trotskismo. A preocupação em mostrar as contradições de nossa sociedade capitalista, remetem ao velho papai noel, uma crítica ácida, ícone do comércio, papai noel representa para "Os garotos podres" o consumismo desenfreado, que tantos males acarretam às famílias desprovidas de qualquer perspectiva de superação da pobreza ou miséria...
Quantos pais estão jogados pelos cantos de nossas metrópolis, fragilizados e derrotados diante da impossibilidade de oferecer à família o conforto e os bens necessários para uma vida digna? A sociedade recebe um bombardeio diário da mídia de todos os matizes, que com uma propaganda massiva iguala a todos... "Como?! Não comprou o tênis da Nike, Adidas..." ou ainda, "Passe em nossa concessionária e faça um test drive no carro de seus sonhos..." Para quem a propaganda está falando?!
Frágeis e oprimidos por um sistema, que expurga e marginaliza quem não tem dinheiro, um preconceito vem à tona: os pobres!... mas, como são chatos! O que querem?!
Chico Science já dizia: "Se o país não for para todos, ele não será de ninguém..."

Peço nesta noite de Natal um minuto de reflexão, milhares, milhões em nossa aldeia estão abandonados, e o que é pior, no meio de outros milhares e milhões... Atenção, olhe ali na esquina da rua, bem pertinho de casa, olha aquele homem caído, talvez seja um pai caído e abandonado, por trás dele uma família caída e abandonada...








Mais ali adiante, olha lá a multidão querendo linchar, é um bandido ou mais um homem abandonado às vicissitudes da vida? Abandono de uma infância, regada pela indiferença e violência cotidiana, e aí todos chamam a polícia para resolver!?










Por que aquele vizinho nosso se matou? Mais um que no redemoinho de uma vida louca e competitiva, não se permitiu constatar a sua simples dimensão humana, falível e não máquina, não agüentou a pressão de todos, sucesso, sucesso, sucesso... Foi demais, e temos mais um homem caído, e junto arrasta outros tantos...










Parabéns a todos que conseguiram várias conquistas neste ano, conquistas resultantes do trabalho de uma vida e a tranqüilidade de quem sabe os seus limites, conquistas às vezes pequenas, mas muito preciosas para quem sabe valorizar cada pingo de suor despendido na labuta diária.









Coloca-se à cada homem bem sucedido, a tarefa de soerguer seu irmão decaído, assim poderemos transitar pelas ruas de nossa aldeia, sem o medo de encontrarmos mãos armadas a retribuir a indiferença com mais violência... Sem o medo de que no lugar do homem decaído se levante uma besta, criada pela violência que endurece corações e desumaniza pessoas...

Pois está escrito no Capítulo 17 do Evangelho de Lucas, que o reino de Deus está dentro de cada homem, não em um homem, não em um grupo de homens, mas em todos os homens, está em nós...
"Os Fariseus perguntaram um dia a Jesus quando viria o Reino de Deus. Respondeu-lhes: 'O Reino de Deus não virá de um modo ostensivo. Nem se dirá: Ei-lo aqui; ou: Ei-lo ali. Pois o reino de Deus já está no meio de vós.' "







Mantenho abaixo a letra um tanto ofensiva da Banda de rock-punk, aqui no meu país apesar de todos os esforços do governo Lula, muitos nesta noite de Natal não terão nada, comida, presentes e nem solidariedade...
A partir da nossa ação transformadora, mudamos nós e mudamos o mundo...
Um outro mundo é possível!

Papai Noel Velho Batuta
Garotos Podres
Composição: Mao

PAPAI NOEL velho batuta
Rejeita os miseráveis
Eu quero matá-lo
Aquele porco capitalista

Presenteia os ricos
E cospe nos pobres
Presenteia os ricos
E cospe nos pobres

PAPAI NOEL velho batuta
Rejeita os miseráveis
Eu quero matá-lo
Aquele porco capitalista

Presenteia os ricos
E cospe nos pobres
Presenteia os ricos
E cospe nos pobres
pobres
pobres

Mas nós vamos sequestrá – lo
E vamos matá-lo
Por que?

Aqui não existe natal
Aqui não existe natal
Aqui não existe natal
Aqui não existe natal

Por que?

PAPAI NOEL velho batuta
Rejeita os miseráveis
Eu quero matá-lo
Aquele porco capitalista

Presenteia os ricos
E cospe nos pobres
Presenteia os ricos

sábado, dezembro 23, 2006

Menininha do meu coração

Agora resolvi fazer outra homenagem, já é tarde da madrugada, o silêncio é minha companhia...
Tive uma conversa muito interessante com minha filha, nessa semana que se esvai, conversa de pessoas que acham que dominam alguma coisa nesse-mundo-de-meu-Deus, minha filha olhando nos meus olhos e falando com firmeza, com segurança, com pureza d'alma...
Os filhos estão no dia-a-dia com a gente, são bebês, e de repente a gente se depara com uma outra realidade: eles cresceram!
Minha filha pré-adolescente, expondo suas dúvidas sobre as pessoas, mundo... Sobre tudo!
Eu ali olhando, um pouco assustado, pensando não é mais o meu bebezinho, é uma mocinha se descobrindo e desnudando o mundo dos adultos.
Filha, sei que estás a ler essas linhas, te confesso que me veio à cabeça a letra da música abaixo, uma mensagem singela e desesperada de um pai para uma filha que vai descobrir um outro mundo, talvez sem a cor que adoras: cor-de-rosa...
Disciplina e firmeza para alcançar os teus sonhos, mas não se pode esquecer que sem amor nada vale a pena.
Beijos do teu pai.
Ao final veja o vídeo com o Toquinho cantando, é muito emocionante.
Pôxa vida! Por que não levei a sério as aulas de violão?

Menininha
( do Cd "Arca De Noé")
Composição: Vinicius de Moraes & Toquinho

Menininha do meu coração
Eu só quero você
A três palmos do chão

Menininha não cresça mais não
Fique pequenininha na minha canção
Senhorinha levada
Batendo palminha
Fingindo assustada
Do bicho-papão

Menininha, que graça é você
Uma coisinha assim
Começando a viver

Fique assim, meu amor
Sem crescer
Porque o mundo é ruim, é ruim e você
Vai sofrer de repente
Uma desilusão
Porque a vida é somente
Teu bicho-papão

Fique assim, fique assim
Sempre assim
E se lembre de mim
Pelas coisas que eu dei
Também não se esqueça de mim
Quando você souber enfim
De tudo o que eu amei.


sexta-feira, dezembro 22, 2006

Severino Dias de Oliveira - SIVUCA: Saudades...



Após sete dias, aqui estou a falar sobre uma figura que marcou de maneira indelével a cena cultural brasileira, Sivuca, nascido em 23 de maio de 1930 em Itabaiana, interior da Paraíba, foi batizado com o nome de Severino Dias de Oliveira, mas no Brasil e internacionalmente ficou conhecido como Sivuca, somente Sivuca...
Morreu na noite do dia 14(quinta-feira) em João Pessoa (PB), aos 76 anos.
Foi grande instrumentista, arranjador e compositor, era casado com a compositora Glória Gadelha, o câncer na laringe emudeceu o nosso Sivuca.
Ontem foi a missa de sétimo dia do compositor na Igreja de São Francisco, no Centro de João Pessoa e contou com a participação da Orquestra Sinfônica da Paraíba, que emocionou ainda mais os participantes da celebração tocando várias músicas de Sivuca, "Feira de Mangaio", "João e Maria", "Aquariana"...
Glorinha Gadelha, muito emocionada, falou um pouco do “amado” (era assim que ela o chamava) durante a missa e leu um texto que fez em sua homenagem. “Como me sentiria feliz se pudesse revelar com exatidão o que foi o meu amado Sivuca”...
Sivuca quando morou no Rio de Janeiro, trabalhou na rádio e TV Tupi. Tocou na Europa pela primeira vez em 1958, gravando discos em Lisboa e Paris. Em 1964, o sanfoneiro passou a morar em Nova York - e a partir daí sua música encantou o público de quatro continentes. Fez shows em países da Europa, da África, da Ásia e das Américas do Norte e Sul.
No mês passado Sivuca gravou o seu primeiro DVD, em que dividiu o palco com vários artistas paraibanos. A sua última aparição em público foi no lançamento do DVD, que aconteceu no dia 30 de novembro, no Cine Bangüê. Lá emocionou os participantes tocando com a Orquestra Sinfônica da Paraíba.

Xico Rocha, Luciane Fiuza, todos na blogosfera prestaram homenagem ao grande Sivuca, quero também homenageá-lo, e aí fiquei lembrando de quando escutei pela primeira vez a música do Sivuca, provavelmente "No Tempo dos Quintais" não terá sido a primeira, mas como dizem os cientistas, a memória é seletiva, por mais que me esforce, imediatamente só vem ela...
A lembrança da minha pré-adolescência e "No tempo dos quintais" vem à tona, lembro que eu havia ficado encantado com os acordes, a melodia e a letra me envolviam por completo, um arrebatamento d'alma, arrastando-me para um lugar nenhum, para um tempo da delicadeza perdida, quando escutava essa música, bastava fechar os olhos e a alma sorria agradecida...
Eu morava em uma casa com quintal, e um enorme jambeiro dominava a paisagem no fundo do terreno, ai meu Deus! Quantas lembranças gostosas e com sabor de fruta fresquinha...
A letra e a música Sivuca compartilhou com Paulinho Tapajós, este compôs também "Sapato Velho" que o grupo vocal "Boca Livre" interpretava.
Consegui no YouTube o vídeo de um Coral paraibano interpretando 20 segundos "No tempo dos quintais", aproveitem...
Faço a minha saudação de despedida no estilo de Vinícius de Moraes: Saravá amigo Sivuca!!!

No Tempo Dos Quintais
Composição: Sivuca/ Paulinho Tapajos

Era uma vez um tempo de pardais
De verde nos quintais
Faz muito tempo atrás
Quando ainda havia fadas
Num bonde havia um anjo pra guiar
Outro pra dar lugar
Pra quem chegar sentar
De duvidar, de admirar
Havia frutos num pomar qualquer
De se tirar do pé
No tempo em que os casais
Podiam mais se namorar
Nos lampiões de gás
Sem os ladrões atrás
Tempo em que o medo se chamou- jamais

Veio um marquês de uma terra já perdida
E era uma vez se fez dono da vida
Mandou buscar cem dúzias de avenidas
Pra expulsar de vez as margaridas
Por nao ter filhos, talvez por nem gostar
Ou talvez por mania de mandar

Só sei que enquanto houver os corações
Nem mesmo mil ladrões podem roubar canções
E deixa estar que há de voltar
O tempo dos pardais, do verde dos quintais
Ou talvez em que o medo se chamou- jamais...

Um sotaque brasileiro: Márcio Farias
















O meu amigo Odinilson Dias fez o convite, e como eu adoro MPB(Música Popular Brasileira) não pensei duas vezes e comprei o meu ingresso para dar aquela força para o artista brasileiro.
Era o Show do cantor e compositor Márcio Farias, em um outro post aqui no blog falei do Café Portela, pois é, o Márcio é freqüentador e sempre dá a maior canja no Café Portela, é pessoa querida de todos lá.
Admiro a boa música, e considero o Márcio uma pessoa muito talentosa e que produz o que tem de melhor em Ananindeua e Belém, em termos musicais.
O espetáculo foi realizado num sábado dia 04 de novembro de 2006, no Teatro do Gasômetro, às 21h, fotografei os bastidores e o show.
Na seqüência das fotografias: no camarim sem camisa, o Márcio e sua esposa; Zé Luís Maneschy, Paulinho Assunção e Pedrinho Cavalléro; o baixista Baboo Meireles; Márcio no palco; na flauta Esdras Sousa; Dias, Zé Luís Maneschy e Pedrinho Cavalléro; o palco...
Viva o artista brasileiro!!!

Gostei do que Paulinho Assunção (grande percussionista) escreveu como apresentação no programa do Show do Márcio, material que foi distribuído a todos, gostei tanto que vou reproduzir abaixo:

"São muitos timbres, muitos gêneros, muitas levadas, muitas formas; um verdadeiro quebra-cabeça de sons que, aos poucos, tomam forma e '... se arrumam...' na cabeça do nosso compositor. Uma vida dedicada a ouvir, a observar, para compreender os diferentes sotaques e traduzir na sua maneira poética de fazer música. Profissão ou sina? Não importa! Sabemos que é, antes de tudo, uma invejável convivência com a beleza, com a delicadeza e com a simplicidade. As composições do 'filhão'(Márcio Farias) têm todos esses sabores, todas essas cores e, porque não dizer, tantos amores. Por falar em amor, quero lembrar nossa querida Dona Edila(mãe do Márcio), que nos deixou uma frase inesquecível: 'Esse menino faz umas músicas bonitas da própria cabeça dele'. É verdade Dona Edila, coração de mãe não se engana mesmo. Agora, Márcio... É hora de ocupar o seu lugar entre os cantadores deste Brasil." (Paulinho Assunção)

Salvador Dali

Um sonho de quem gosta de livros: mulher-livro ou livro-mulher... um sonho... para se abrir...

quarta-feira, dezembro 20, 2006

Vem polêmica aí...


Tomei conhecimento agora no Portal Terra, que uma pequena estátua de barro representando o Papa Bento XVI defecando, está causando polêmica entre os fiéis católicos na Espanha. Imagine o papa defecando, só pode causar polêmica, mas é apenas uma estátua de barro e só.
A estátua é encontrada nos mercados de Barcelona, vende bastante, é um sucesso de venda.
Faz parte de uma tradição catalã as pessoas comprarem estátuas como a do papa Bento XVI, esses personagens recebem o nome de "caganer"(defecador ou cagão), acreditam que traz boa sorte.
O ritual manda que o anfitrião da festa de Natal ou Ano Novo esconda estátuas do "caganer" pela casa, e peça aos convidados que as procurem. Para o catalão, a imagem representa a fertilização da Terra e traz boa sorte e prosperidade para o ano seguinte.
O ritual não foi aceito por boa parte dos católicos espanhóis que pedem a retirada das imagens.
Sinceramente, acho que não é motivo de ninguém colocar fogo no corpo, não é?!

Rockeiro

É fogo!!!

Responsabilidade!!!

Um gesto vale mais que mil palavras...

Free Rita de Cássia


Eu vi no site dos "Malvados", o pedido de liberdade para a cidadã Rita de Cássia Sampaio, uma pessoa comum, mas que num momento de desespero arranhou com uma faca o deputado baiano ACM Neto, é claro que já foi autuada em flagrante e já foi encaminhada para o presídio feminino... urgh! Há muito mise-en-scêne por parte do deputado, talvez quem sabe busque conseguir a simpatia daqueles que defenestraram a política de seu avô, o velho e carcomido ACM, afinal de contas, ele foi vítima de uma facada.
O ACM Neto chegou andando e saiu andando do hospital, levou três pontos no ferimento, já está recuperado, até sorriu para as câmeras de televisão, as promessas dele nunca foram cumpridas com a revoltada Rita de Cássia...
Reproduzi abaixo a notícia dada pela Folha de São Paulo ontem, e após a entrevista de Rita de Cássia, publico o editorial de hoje do "Jornal Pequeno" do Maranhão que faz um raio-X da facada da mulher do povo, bastante elucidativo, não deixe de ler.
Até o momento da publicação deste post, nenhum parlamentar havia sido preso por mensalão, sanguessuga, aumento salarial desproporcional...
Rita de Cássia não oferece perigo para a sociedade, os deputados não-sei-não...
___________________
Deputados têm tudo, diz mulher que esfaqueou ACM Neto
Terça-feira, dia 19 de Dezembro de 2006 às 11:00hs
LUIZ FRANCISCO - da Agência Folha, em Salvador

Presa em flagrante e autuada por tentativa de homicídio por esfaquear o deputado federal Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA), a pensionista Rita de Cássia Sampaio de Souza, 45, disse ontem, antes de ser encaminhada ao Presídio Feminino de Salvador, "que os deputados têm tudo" e ela nem consegue sacar seu FGTS.
Folha -- Por que a sra. esfaqueou o deputado ACM Neto?
RITA DE CÁSSIA SAMPAIO DE SOUZA -- Estou muito revoltada com a classe política. Eles têm tudo, altos salários, mordomias, e eu nem sequer consigo sacar o meu FGTS.
Folha -- Quando começou a revolta da sra.?
RITA DE CÁSSIA -- Faz tempo que detesto deputados, porque eles não fazem nada. Mas este aumento [salarial de 91% aos parlamentares] aumentou a minha revolta.
Folha -- A sra. já esteve no escritório do deputado?
RITA DE CÁSSIA -- Duas vezes. Ele prometeu me ajudar e nada fez. Os assessores também prometeram a liberação, mas até agora, nada.
_____________________

O Jornal Pequeno (o órgão das multidões) on-line

Editorial
O tórax de ACM Neto
Edições » 2006 » Dezembro » Edição 21,408 » Editorial
Data de Publicação: 20 de dezembro de 2006

O tórax de ACM Neto

A família de ACM Neto sustentou, durante 30 anos, uma das mais furiosas oligarquias encravadas no Nordeste, tão poderosa e despótica que rendeu a seu avô, finalmente derrotado, o apelido de Toninho Malvadeza.

Esta semana uma, entre os milhões de brasileiros enlouquecidos pelas más notícias e pelos ataques à cidadania e dignidade dos que vivem à margem do poder político, esfaqueou pelas costas, o tórax do herdeiro do carlismo.

A moça louca, talvez que involuntariamente, feriu o poder. O poder que fez do Nordeste cidadela do crime político organizado, que enriqueceu muita gente industrializando a seca e as enchentes e encravou nessa região bolsões de miséria haitianos e epidemias sudanesas.

O povo nordestino, na maioria das vezes, não conseguiu o respeito dos líderes políticos que escolheu e a moça louca, involuntariamente ou não, por falência cívica ou desequilíbrio emocional, representa muitas dores: a fúria dos latifúndios, das grandes empresas agropecuárias construindo a diáspora violenta do êxodo rural; a pistolagem em conluio com a Polícia Militar matando lavradores e liquidando suas lideranças; a submissão pela taca e pelo ferro em brasa da mulher nordestina; a vitória do analfabetismo e a fulminação da infância empobrecida; a produção de prostíbulos como guetos salariais de sobrevivência e incontáveis fábricas de marginais produzindo bandidos 24 horas por dia nas periferias das grandes cidades. De fato, ela golpeou uma classe política que esfaqueou, por exemplo, até deixar sem sangue, organismos como a SUDENE a SUDAM.

Sem entender talvez, esfaqueou os microorganismos invasores de corpos que editam os mensalões da vida, os vírus da insensibilidade inoculados nos sanguessugas e o vampirismo de políticos que aprenderam a se alimentar do sangue cansado dos trabalhadores.

Em sua mente conturbada, uma última notícia: um salário de R4 24.500 que em pessoas como ela deve desafiar qualquer lógica da compreensão humana.

No tórax de ACM Neto - pois nos tórax se encontram os corações - ela esfaqueou a história. Uma história injusta de fome, de solidão e servidão humana, de desempregos e tristezas compradas nas quitandas onde facínoras da gestão pública ergueram mansões babilônicas e riquezas galáticas.

Imprudente, inocente, inadvertidamente, a moça louca golpeou os mega-salários do Poder Judiciário, os tetos e sub-tetos dos semi-deuses e a falta de teto dos que de fato produzem neste país; golpeou os ganhos de 100 mil reais dos deputados (que sabemos que são muito mais) e, querendo ou não, revelou o nível de desilusão dos brasileiros com as elites que governam e sacaneiam este país; golpeou também a pusilanimidade dos senhores presidentes da Câmara, Aldo Rebelo, e do Senado, Renan Calheiros.

Em outro front, mas agora intencionalmente, um aposentado se acorrentou à porta da Câmara e foi enquadrado em sabe-se lá quantos artigos do Código Penal, o que não aconteceu com mensaleiros e sanguessugas.

Um erro, por razões óbvias, foi a facada, mas ela penetrou o tórax do Poder. Quem sabe à procura de um coração solidário entre as autoridades que governam este Brasil.

Índice da edição - Edição 21,408

Jornal Pequeno - O Órgão das Multidões.
Copyright 2005 - 2006 Jornal Pequeno. Todos os direitos reservados.
Rua Afonso Pena, 171, Centro - São Luís - MA
(98) 3232-7642 Geral - redacao@jornalpequeno.com.br

terça-feira, dezembro 19, 2006

Blogues e solidariedade

A blogosfera tem demonstrado um peso nada desprezível, no Estado do Amapá (norte do Brasil) pelas informações que atravessaram o país on-line, o ex-presidente da República, senador José Sarney, segundo os marketeiros, com uma reeleição tida como certa e com uma larga vantagem, pelo menos nas projeções, iniciado o horário eleitoral, houve uma campanha movida pelos blogueiros amapaenses contra o senador Sarney, quase ele não se reelege. Outro caso recente, este na capital do Estado do Rio Grande do Norte - Natal, um blogueiro depois de tomar conhecimento de que uma construtora iria construir um conjunto de prédios próximo do "Morro do Careca", fez uma simulação eletrônica de como ficaria a paisagem, simplesmente chegou a conclusão que o "Morro do Careca" ficaria encoberto, tirando o direito das pessoas de visualizarem a referência da cidade, a sociedade civil se mobilizou, criou-se um movimento em torno dessa questão, e a prefeitura de Natal cassou a autorização.
Agora quero compartilhar com todos os blogueiros, a preocupação que o Locobueres demonstra ao enviar-me um texto que está circulando pela internet, o amigo pede para divulgarmos, peço que leiam o texto abaixo, por favor! E se possível divulguem, é importante solidarizarmos com os esquecidos, os invisíveis, os excluídos...


Conflitos que causam um enorme sofrimento humano como os que acontecem hoje na República Democrática do Congo (RDC), Haiti, Chechênia e nordeste da Índia estão entre as 10 crises mais negligenciadas pela mídia em 2005, de acordo com a lista anual 'Top Ten' divulgada pela organização de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF).
A oitava lista anual também destaca a falta de atenção por parte da imprensa ao desespero das pessoas encurraladas em guerras crônicas na Colômbia, norte de Uganda e Costa do Marfim; às crises na Somália e no sul do Sudão; assim como à falta de pesquisa e desenvolvimento (P&D) para novas ferramentas de combate ao HIV/Aids adaptadas às necessidades de populações que vivem nos lugares mais empobrecidos do planeta.
"A cobertura da imprensa pode ter um impacto positivo na ajuda humanitária – basta olharmos para a crise nutricional em Níger, no ano passado", disse Nicolas de Torrente, Diretor Executivo de MSF nos Estados Unidos. "Embora a ajuda tenha chegado com muito atraso para muitos, a única razão que justifica o aumento dos esforços humanitários foi a atenção dada pela mídia no auge da crise". De acordo com Andrew Tyndall, editor do jornal on-line The Tyndall Report, que rastreia o trabalho da imprensa, as 10 histórias destacadas por MSF representaram apenas 8 minutos dos 14.529 minutos dos noticiários noturnos das três maiores redes de TV dos Estados Unidos em 2005. Desastres naturais como as tsunamis no sudeste da Ásia e guerras como a do Iraque dominaram o noticiário internacional. Segundo Tyndall, num ano em que a cobertura internacional teve um número extraordinário de reportagens, apenas 6 minutos foram dedicados à RDC e 2 minutos à Chechênia. As demais histórias destacadas por MSF não receberam nenhuma cobertura. A crise da Aids recebeu 14 minutos de cobertura, nenhum deles, no entanto, dedicado à falta de P&D.
"As reportagens sobre o HIV/Aids jamais tocaram na questão da falta de pesquisa e desenvolvimento de instrumentos especialmente adaptados para os pacientes mais afetados pela epidemia", disse Nicolas de Torrente. "Um exemplo é o fato de não haver nenhuma versão pediátrica de combinações fáceis de usar (três-em-um) de anti-retrovirais como as existentes para adultos. Sem P&D de novos medicamentos, centenas de milhares de crianças continuarão morrendo desnecessariamente a cada ano". Embora tenha havido um aumento do número de reportagens internacionais, a insegurança em zonas de conflito novamente contribuiu para impedir os jornalistas de informarem sobre algumas das mais perigosas regiões do mundo. "Em todo os EUA, as pessoas nos dizem o quanto querem demonstrar solidariedade e fazer mais para ajudar outros indivíduos em crises ao redor do mundo. Mas como ajudar se na prática a crise está invisível?" pergunta o Diretor Executivo de MSF nos EUA.
"Milhões de pessoas lutam contra crises em lugares que raramente são mencionados nos noticiários, e pela nossa experiência, o silêncio é o principal aliado da injustiça".

Nós sós...

Depois de um dia estafante, procuro um porto seguro, ancoro a minha nau, busco abastecê-la com tudo que é necessário para as longas viagens... E por uns bons minutos, entro a fazer digressão sobre as várias viagens empreendidas no grande mar da vida, me penso neste momento - solitário, mas não estou tão assim... Eu sei que existem pessoas em derredor, mas existe uma pessoa loca no mezanino do Café da Sol, quem está lá?! É o Locobueres a me fotografar, tão distante... Na mesa ao centro, eu e o copo de suco, somos nós sós...

Bundomancia, uma nova ciência?!


O parapsicólogo cego alemão Ulf Buck é o criador de uma revolucionária "ciência" a bundomancia, o alemão que não enxerga, garante que pode prever o futuro das pessoas. Como ele faz?! É abaixar a calça e o resto é com ele... Calma! Ele faz apenas a leitura das nádegas (foto acima).
Cabeção o Ulf lê o destino apalpando o bumbum dos seus clientes.
Onde ele atende? Te interessa Cabeção?! Huumm... Tudo bem. O Buck atende em seu consultório na cidade de Meldorf, perto de Hamburgo, no norte da Alemanha, ele explica que a região das nádegas possui linhas e sulcos mais precisos que, quando lidos, podem revelar mais sobre a personalidade e o destino das pessoas do que as linhas das mãos ou que qualquer outra parte do corpo. Inclusive é possível também, prever o que vai acontecer a alguém através do formato das nádegas. Ulf Buck garante que, por meio da leitura das nádegas, pode saber detalhes da vida dos pacientes. Ulf neles!!!
Mais um embusteiro?
Quem se habilita para o teste?
Cabeção, qualquer viagem tua para a Alemanha é perigo na certa, hein!?

Surrealista de verdade

Trunksie y Luciane, aí embaixo temos um verdadeiro Surrealista, mais uma obra de Salvador Dali.
Onde está o velho e bom D. Quixote para a batalha com os moinhos borboletas?!
Existe em cada um de nós, um pouco de Quixote, não acham?! É só me entregar uma lança, juntamente com um Sancho Pança para trocarmos idéias, e todos verão do que um homem é capaz... rsrsrs...

Imagem surreal...




segunda-feira, dezembro 18, 2006

O ângulo certo...

O ângulo certo. O fotógrafo conseguiu captar a imagem no momento em que a ginasta inclinava a cabeça para trás, a sola do pé esquerdo... e a cabeça?! Onde estará?

Mãos em oração...


Recebi por e-mail, um slide que contava a história de Albrecht Durer...
Uma história que nos leva a refletir profundamente sobre a vida, oportunidades e acima de tudo sobre as pessoas que nos rodeiam...
Fui procurar na internet e encontrei o texto abaixo:

"Ninguém faz nada sozinho

Pelos idos do século XV, em uma minúscula vila perto de Nuremberg, viveu uma família com dezoito crianças.
Dezoito!
Para manter comida sobre a mesa para toda esta multidão, o pai, um ourives por profissão, trabalhava quase dezoito horas diárias em seu comércio e algum outro servicinho que encontrasse na vizinhança. Apesar da condição aparentemente impossível, duas das crianças mais velhas tinham um sonho. Ambos queriam perseguir seu talento para a arte, mas sabiam perfeitamente que seu pai nunca teria condição financeira para mandar qualquer um deles à Nuremberg, estudar na academia.
Depois de muitas e longas discussões durante a noite, os dois meninos decidiram fazer um pacto. Lançariam uma moeda. O perdedor iria trabalhar nas minas e, com seu salário, bancaria o irmão enquanto estivesse na academia. Então, quando o irmão ganhador terminasse os estudos, após quatro anos, bancaria o outro irmão na academia, com a venda de sua arte ou, se necessário, também trabalhando nas minas. Lançaram a moeda em uma manhã de domingo. Albrecht Durer ganhou o lance e foi para Nuremberg. Albert foi trabalhar nas perigosas minas e, pelos quatro anos seguintes, financiou seu irmão, cujo trabalho na academia foi um sucesso imediato. A arte de Albrecht superava, em muito a maioria de seus professores, e tão logo se formou, já ganhava consideráveis comissões por seus trabalhos.
Quando o artista voltou à sua vila, a família fez uma festa em seu gramado para comemorar o retorno triunfante de Albrecht. Após uma refeição farta e memorável, com música e risos, Albrecht levantou-se de sua posição na cabeceira da mesa para propor um brinde a seu amado irmão, pelos anos de sacrifício que tinha permitido a Albrecht realizar seu sonho.
Suas palavras foram: - E agora, Albert, meu irmão adorado, agora é a sua vez. Agora você pode ir à Nuremberg perseguir seu sonho, e eu cuidarei de você.Todas as cabeças giraram em ansiosa expectativa para a extremidade oposta da mesa onde Albert se sentou.
Lágrimas umedeceram sua pálida face.
Agitando a cabeça baixa repetiu,- Não... Não... Não... Não...Finalmente, Albert se levantou, limpou as teimosas lágrimas e, passando o olhar por todos à volta da mesa, disse suavemente: - Não, meu irmão. Eu não posso ir à Nuremberg. É muito tarde para mim. Veja o que quatro anos nas minas fizeram à minhas mãos! Os ossos de cada dedo foram despedaçados pelo menos uma vez, e ultimamente tenho sofrido de artrite. Com minha mão direita mal consigo segurar um copo para retornar seu brinde, faço muito menos, não conseguiria traçar linhas delicadas, no papel ou na tela, com uma pena ou um pincel. Não, meu irmão... para mim é muito tarde.
Mais de 450 anos se passaram. Agora, centenas de obras de Albrecht Durer estão expostas pelos grandes museus do mundo. E, provavelmente, lhe é familiar, tanto quanto para a maioria das pessoas, apenas um dos trabalhos de Albrecht Durer. Mais do que meramente familiar, talvez você tenha uma reprodução em sua casa ou escritório.
Um dia, por respeito e admiração a Albert por tudo que tinha sacrificado, Albrecht Durer detalhadamente desenhou as maltratadas mãos de seu irmão com as palmas juntas e os finos dedos voltados para o céu. Chamou sua obra simplesmente de "mãos", mas o mundo inteiro, quase imediatamente, abriu seus corações para esta grande obra prima e renomeou seu tributo ao amor de "Mãos em oração".
Na próxima vez que você estiver à frente de uma cópia dessa criação tocante, dê-lhe um segundo olhar. Deixe-a ser o seu lembrete, que você ainda precisa de alguém e que ninguém, ninguém mesmo, consegue se realizar sozinho!
Lembre-se de agradecer sinceramente a todos aqueles que lhe ajudaram a chegar onde você está!" (Tradução de Sergio Barros)

Abraçar, abraçar...

Não preciso falar mais nada, é só ler...

Foco no problema e foco na solução.


Ja comentei aqui no blog, sempre estou recebendo material para publicar e vou publicando...

Para refletir: DIFERENÇA ENTRE "FOCO NO PROBLEMA" E "FOCO NA SOLUÇÃO"

Quando a NASA iniciou o lançamento de astronautas, descobriu-se que as canetas não funcionariam com gravidade zero. Para resolver este enorme problema, contrataram a Andersen Consulting, hoje Accenture. Empregaram uma década e 12 milhões de dólares. Conseguiram desenvolver uma caneta que escrevesse com gravidade zero, de ponta-cabeça, debaixo d'água, em praticamente qualquer superfície incluindo cristal e em variações de temperatura desde abaixo de zero até mais de 300 graus Celsius.

Os russos usaram um lápis...

Pensem nisso!!!

Big Mac...

Mais uma obra de Banksy, para lembrar que enquanto muitas injustiças são comedidas contra a humanidade, o cidadão comum, às vezes está mais preocupado com o Big Mac...
As bombas americanas sobre civis no Vietnã, corpo queimando com produto químico, mas quem sabe se o Mickey e Ronald McDonald não aplacam a dor... urgh!!!

ALÔ: ATENÇÃO...

Não sei se é verdade, mas o Locobueres afirma que é vero, foi fotografado por um amigo dele em um certo Camping e etecetera e tal.
O diabo é que esse Loco não me dar maiores detalhes, mas quem quiser ler o cartaz fixado no camping está aí embaixo, não precisa dizer que todo mundo entendeu o recado, né?!
O Profº Pasquale de Cipro Neto, há de dizer: a mensagem foi entendida, tudo bem! A língua é dinâmica...
Mas bem que esse tal de Noel que assina o cartaz, deveria pelo menos ter caprichado na caligrafia, pô!!!