terça-feira, dezembro 05, 2006

Eu!!! Sentar ao lado de um negro?


Não poderia deixar de atender o pedido do amigo Nilton Atayde, num mundo bagunçado por preconceitos de todos os matizes, ainda persiste o preconceito racial, uma chaga ainda aberta no coração do Brasil, é velado o preconceito, temos que superá-lo. A história abaixo trata disso:

"Uma mulher branca, de aproximadamente 50 anos, chegou ao seu lugar na classe econômica e viu que estava ao lado de um passageiro negro.Visivelmente perturbada, chamou a comissária de bordo. "Qual o problema, senhora?" Pergunta uma comissária.
"Não está vendo? - respondeu a senhora."Vocês me colocaram ao lado de um negro. Não posso ficar aqui. Você precisa me dar outra cadeira".
"Por favor, acalme-se - disse a aeromoça -"infelizmente, todos os lugares estão ocupados. Porém, vou ver se ainda temos algum disponível".
A comissária se afasta e volta alguns minutos depois.
"Senhora, como eu disse, não há nenhum outro lugar livre na classe econômica. Falei com o comandante e ele confirmou que não temos mais nenhum lugar nem mesmo na classe econômica. Temos apenas um lugar na primeira classe". E antes que a mulher fizesse algum comentário, a comissária continua:"Veja, é incomum que a nossa companhia permita a um passageiro da classe econômica se assentar na primeira classe. Porém, tendo em vista as circunstâncias, o comandante pensa que seria escandaloso obrigar um passageiro a viajar ao lado de uma pessoa desagradável". E, dirigindo-se ao senhor negro, a comissária prosseguiu: "Portanto, senhor, caso queira, por favor, pegue a sua bagagem de mão, pois reservamos para o senhor um lugar na primeira classe..."
E todos os passageiros próximos, que, estupefatos, assistiam à cena, começaram a aplaudir, alguns de pé.

"O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons." (Martin Luther King)

21 comentários:

Luciane Fiuza de Mello disse...

Pedro, eu já tinha recebido este texto por e-mail, muito bom. Amo esta citação do Luther King. Gostei da foto tb.
Abs!
Lu.
Ps: tb já convoquei as blogueiras Ana Cália e Rita Soares.

Tozé Franco disse...

Grande texo, abençoada comissária.
Um abraço.

Walter Jr disse...

A estoria continua atual. Martin Luther King também...A foto é fantástica e o blog está ótimo, Pedro.

citadinokane disse...

Lu,
E o tema? Quais opções?

citadinokane disse...

Tozé,
Abençoado todo aquele que luta contra o racismo e outros preconceitos...
Um forte abraço irmão,
Pedro

citadinokane disse...

Walter,
A superação do preconceito racial, talvez leve muitos "Martins" serão sacrificados.

Luciane Fiuza de Mello disse...

Pedro, algumas sugestões:

De acordo com a WIKIPÉDIA, "existem numerosas virtudes que se relacionam entre si tornando virtuosa a própria vida. Entre as virtudes morais são constantemente destacadas as virtudes cardeais: a PRUDÊNCIA, considerada a virtude-mãe por ser instrumental e a base de todas as outras; a JUSTIÇA; a fortaleza ou CORAGEM e a TEMPERANÇA ou moderação que pode ser descrita como sendo a prudência aplicada aos prazeres. Estas quatro virtudes são consideradas as principais por serem os apoios à volta dos quais giram as demais virtudes."

Agora de acordo com o oposto dos "10 pecados" listados pelo professor Fábio, sugiro os seguintes temas: Diálogo com setores importantes da intelectualidade humana; Implantação de políticas de leitura; Compromisso com a cultura popular; Articulação com as políticas de comunicação; e Descentralização.

Que tal? Deu para inspirar? Sucesso para as cem mãos!

Abs!

Lu.

João Moutinho disse...

Essa história está muito gira.
Mas o racismo no Brasil deve ser semelhante ao do filme "os uns e os outros" em que o EUA justificavam a sua entrada na Guerra para combater o racismo, ao que para evitar alguma contradição inconscientemente consideraram "o racismo é sempre o dos outros".
Em Portugal até à vinda de imigrantes eramos o povo mais acolhedor do Mundo. O problema é quando eles começam a chegar.
Enquanto só partíamos a história era outra.

João Moutinho disse...

Aquela citação do Luther King vai ser utilizada no Blog do pai do meu filho.

Fred Guerreiro disse...

É. Eu me lembro. Acho que foi em 2000. Bela lição.

citadinokane disse...

Lu,
Compromisso com a cultura popular. Ok?
Besos,
Pedro

citadinokane disse...

João,
O racismo sempre é do outro, tens razão.
Gostei o "pai do meu filho", boa tirada, vou escrever um post com este título:"O pai da minha filha"... Ahahaha... Gostei muito.
Abraços de além-mar,
Pedro

citadinokane disse...

Fred o bom filho,
É realmente uma bela lição para essa gente covarde.
Abs,
Pedro

Luciane Fiuza de Mello disse...

Ok, fechado.

Blogue da Magui disse...

Eu DUVIDO que esta história seja verdadeira.Não no Brasil.Talvez seja texto copiado dos EUA.Lá é difícil mas não impossível.Eu sou latina e um preto lá me discriminou,Pode?!

citadinokane disse...

Lu,
Fechadíssimo... urgh!

citadinokane disse...

Magui,
Também acho que não aconteceu no Brasil, tá com pinta de americana mesmo.
O preconceito é preconceito, reprovável seja de onde vier...
Abraços,
Pedro

Mixikó disse...

Assino por baixo Pedro.Um beijo

citadinokane disse...

Mixikó,
Então, está assinado e tenho dito!

Abraços,
Pedro

marisanblog disse...

Preto, branco, azul, amarelo, enfim, a terra é para todos.

Bjs.

Mari

citadinokane disse...

Mari,
Para todos...