quinta-feira, dezembro 07, 2006

Indecentes?! Quem cara-pálida?


Começou hoje em Jacarta na Indonésia, o julgamento do editor da revista Playboy-indonésia, Erwin Arnada, ele responde pela acusação de publicar material indecente.
O editor Arnada pode receber uma condenação de até 32 meses de prisão, tudo por supostamente ter "violado o sentido da decência", é o que afirma a promotoria.
Arnada, segundo a promotoria, autorizou o material publicado no número 1 da revista, que foi comercializado em abril deste ano, causando muita polêmica e protestos.
Um detalhe, a revista não apresenta nudez... rsrsrs...
O problema: a revista É a Playboy!!!
E só por ser a Playboy, acabou se tornando alvo dos radicais islâmicos... E haja manifestações violentas.
Em Jacarta o escritório central da revista havia sofrido vários atentados. A solução foi transferir a sede da revista para a ilha de Bali, que inclusive não faz muito tempo sofreu atentados terroristas com bombas numa danceteria com muitas vítimas. A população de Bali é majoritariamente hindu.
Para os radicais islâmicos a Playboy é um exemplo da "degradação moral" do país e exigem a aprovação imediata da lei antipornografia em debate no parlamento.
Há uma crescente islamização da Indonésia, esta contém a maior comunidade muçulmana do mundo...
Os grupos de direitos humanos se mobilizam para questionar junto ao judiciário, as irregularidades na tramitação da lei supramencionada e a violação de direitos fundamentais.
O projeto impõe restrições no vestuário feminino e prevê penas de prisão para responsáveis por publicações e filmes que incluam cenas consideradas imorais. A lei também pune com a prisão atos como beijos em público e danças que forem consideradas indecentes.
Agora cabe perguntar, o que não quer calar: o que é imoral e indecente?!
As leis nazistas, também proibiam que os alemães beijassem ou casassem com pessoas judias, as sanções iam desde a prisão até a pena de morte...
Muita calma povo da Indonésia, a rebordosa é terrível, a história sempre se encarrega de dar lições, hein!?
Antes que eu me esqueça, se o promotor indonésio invadisse o apartamento do Locobueres, encontraria um espaço entupido de revistas "decentes" e educativas: Playboy; Ele e Ela; Sexy; Private e Top 69... Imagino que o promotor nem levaria o loco ao Tribunal, puxaria da cintura sua espada sarracena, uma espada muito leve, ligeiramente curva e ultra tenaz, forjada em Aço de Damasco e a cabeça do Locobueres estaria na bandeja em nome da decência... Pobre decência, pobre homem e pobre mulher que se submetem aos extremismos de plantão.


Recado ao Locobueres:
Não confunda a espada sarracena com a cimitarra dos Mamelucos, esta era muito larga e pesada. Fui pesquisar rapidamente, não me pergunte onde encontrei a informação, não anotei o endereço, mas vale a pena ler sobre a espada que irá cortar o teu pescoço, seu indecente! Bueres és um árabe teluricamente impudico!!! Mas leia abaixo:

"No início do domínio Árabe, a Espada Sarracena era forjada e temperada em Damasco mesmo. Mais tarde, quando os Mouros ocuparam a Península Ibérica, começaram a forjar espadas também em Toledo. Portando "Espada Sarracena" e "Espada de Toledo" são sinônimos de uma das maiores conquistas da metalurgia! Durante as Cruzadas, os europeus ficaram atônitos quando suas enormes e pesadas espadas, tipo aquela do Rei Arthur, eram quebradas ao meio com um golpe rápido e firme de uma Espada Sarracena! Os primeiros Cruzados não eram páreo para os guerreiros Mouros e Sarracenos, pois eram lentos no manejo de espadas que pesavam mais de 12 quilos, enquanto a Espada Sarracena pesava menos de 3 quilos! Mas o grande segredo da Espada Sarracena estava na têmpera da mesma. Diz uma lenda que a lamina da espada era aquecida até a cor rubra (cerca de 980°C) e em seguida temperada no corpo de um escravo ou prisioneiro de guerra! "

12 comentários:

Tozé Franco disse...

"Quando os mouros ocuparam a Espanha".
Não gostei dessa parte da citação,
pois o mouros ocuparam a Península Ibérica, onde hoje encontramos Portugal e Espanha.
A Espanha, como país, só surge no século XV (finais), depois do casamento dos Reis Católicos - Isabel de Castela e Fernando de Aragão, faltando ainda anexar Nvarra e conquistar Granada - sendo, por isso, nesse aspecto, mais recente que Portugal.
Um abraço

Xico Rocha disse...

Todo meu apoio ao povo mulçumano. Acho um desrespeito tremendo o mundo ocidental querer impor padrões para todos os povos, quando sabidamente o mundo ocidental perdeu todas as noções de valores, da moral e da ética. Pelo menos respeitem os direitos que os outros povos possuem de preservar valores cultura e tudo que lhe é pertinente.
A playboy não tem compromisso com nenhum valor que não o de faturar, não quer saber de quem é a filha que eles irão expor o importante é $$$$$$$$$, o resto que se dane.
Todo minha torcida para que o tribunal cendene e mande açoitar o depravado.
Xico Rocha
PS respeitem o meu pensar, nada de evocar democracia ou seja lá o que valha quando o assunto é a promoção da destruição da familia. Chego quase a achar que a TFP tá certa.

Xico Rocha disse...

Quero me solidarizar com o Tozé quanto a informação, vamos procurar ser preciso nas informações.
Outra coisa é esta questão de cidadania de araque, se o cara nasce no Brasil vive no Brasil é brasileiro, o Bueres é um tupiniquim sim, tá mais para mojuense que pra qualquer outra coisa. Inclusive se existe uma coisa que sou muito puto com os judeus é esta questão de nascer num lugar e dizer que tem que ir pra casa duca por que é judeu, para com isso meu.
Xico Rocha

citadinokane disse...

Tozé,
Já foi feita a retificação, pra isso os professores de história não falham, jamais...

Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Xico,
A cultura de um determinado povo, não pode menosprezar as conquistas da humanidade, a dignidade da pessoa humana, liberdade e direito à vida...
Como sei que tu não és machista, quero te lembrar da condição das mulheres em regimes de totalitarismo religioso, basta o homem suspeitar da fidelidade da companheira para começar o martírio de pessoas inocentes... rsrsrs... a condição feminina não pode se sujeitar à opinião de um pastor, padre, ayatolá, sacerdotes, pitonisas e o escambau...
Dignidade para todo ser vivente, proteção ao ser humano, urgente!

citadinokane disse...

Xico,
Já foi feita a retificação.
O Eduardo Bueres é paulista, nasceu na Avenida Paulista.

Xico Rocha disse...

Não creio em conquistas da humanidade na medida que o homem impõe valores que destroem elementos básicos e vitais para a raça humana como espécie.
É como se alguém me tentar provar que a ciência é benéfica ao homem, não o é e nem nunca será.
Xico Rocha

Xico Rocha disse...

Equivoco seu cidadão, Duda Bueres rebentou no Moju (Distrito Livre Amazônico). Era buquinha da nuite, chovia bastante, era um temporal destes que balança as mangueiras e derriba muita manga, seu primeiro murmurio foi "cade minha babá". Depois de ingerir muito mingau de puba com crueira, o curumin zarpou num barco que não era de miriti em direção da kapitá, se alojando lá pelas bandas da cidade velha.
O resto da história estou elaborando para contar no meu blog, mas tenha certeza o cidadão é mojuense.

citadinokane disse...

Xico,
O Locobueres é nascido em São Paulo e se criou em Ipanema. Estás confuso?!

citadinokane disse...

Pelo menos assim está escrito nas urnas antropomorfas do Goeldi...

Anônimo disse...

Se você acha que a ciência não é benéfica ao homem jogue seu computador no lixo e não pague mais a conta de luz!

Vai viver na floresta!


"Xico Rocha said...
Não creio em conquistas da humanidade na medida que o homem impõe valores que destroem elementos básicos e vitais para a raça humana como espécie.
É como se alguém me tentar provar que a ciência é benéfica ao homem, não o é e nem nunca será.
Xico Rocha

8/12/06 15:54"

citadinokane disse...

É amigo anônimo, o velho Xico Rocha tem algumas posições extremas, acabaste tocando na ferida, como desprezar o avanço da ciência? Quantas vidas foram salvas com as novas tecnologias recentes?
Pois é, o velho Xico não percebe que é inevitável que o mundo incorpore os avanços da ciência ao nosso dia-a-dia...
Obrigado por comentar aqui no blog.
Um abraço,
Pedro