domingo, dezembro 24, 2006

O Livro dos Abraços

O meu amigo David Carneiro, deixou-me um presente de Natal maravilhoso, um livro, mas não foi qualquer livro, foi um livro de Eduardo Galeano: O Livro dos Abraços.
David é uma pessoa que cultiva o hábito da leitura, não é à toa que tem a palavra fácil, a expressão oral já deixa antever que a esfera política paraense há de se enriquecer com este jovem lutador...
Marcelo Costa me alertava um-dia-desse: - esse garoto é um bom semeador! Eu um tanto distraído, indaguei: - Semeador de quê Marcelinho?! Ele retrucou, depois de ajeitar suas longas madeixas: - Semeador de sonhos!
Concordo com Marcelinho, David contribui e vai marchar ao lado daqueles que acreditam que um outro mundo é possível!
Meu amigo, te agradeço pela singela lembrança, adoro livros desde que era criança, gosto de livros novos pelo cheiro... ahahaha... E claro pelo conteúdo que pode me enriquecer, obrigado David!
E aproveito a ocasião para compartilhar uma pequena história que encontrei nO Livro dos Abraços:

"O Mundo
Um homem da aldeia de Neguá, no litoral da Colômbia, conseguiu subir ao céus.
Quando voltou, contou. Disse que tinha contemplado, lá do alto, a vida humana. E disse que somos um mar de fogueirinhas.
- O mundo é isso - revelou. - Um montão de gente, um mar de fogueirinhas.
Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras. Não existem duas fogueiras iguais. Existem fogueiras grandes e fogueiras pequenas e fogueiras de todas as cores. Existe gente de fogo sereno, que nem percebe o vento, e gente de fogo louco, que enche o ar de chispas. Alguns fogos, fogos bobos, não alumiam nem queimam; mas outros incendeiam a vida com tamanha vontade que é impossível olhar para eles sem pestanejar, e quem chegar perto pega fogo."(Eduardo Galeano)

Pessoas que fazem a gente pegar fogo: David Carneiro, Duda Bueres, Flávio Portela, Dias, Xico Rocha, Nilton Atayde, Mari Santos, Luana Caldas, Luciane Fiuza, Osvaldo Jr, Marcelo Costa, Rogério Friza, Walter Jr, Dirceu Franco, Oliviomar Barros, Ivan Daniel, Mixikó, Lila Magritte, Carlos Pontes, Tozé, Carlos Moura, ASN, Augusto Nunes, Patrícia Sousa, Paola Vannuci, Fred Guerreiro, Yúdice Randol, Fátima Ferreira, Isadora Lis...
Todas elas e muitas outras fazem da vida uma aventura maravilhosa.
Feliz Natal e um grande abraço, ou melhor, muitos abraços.

11 comentários:

Luciane Fiuza de Mello disse...

Finalmente conseguir adentrar novamente neste blog. tava achando que havia um complô contra blogs-sapos ou uma espécie de boicote srrssr.
Adorei a histórinha das fogueira, fiquei pensando que fogueira devo ser...
Feliz Natal e um 2007 com muita blogosfera na cabeça. Vamos fazer aquela mobilização virtual, ok?
Salve simpatia!!!
Lu.

Dirceu Franco disse...

Valeu a lembrança Pedro. Ao final de cada ano, cada um de nós faz uma auto-análise do que passou e lembra que existem grupos de momentos que devemos perpetuar na alma e outros que devemos esquecer. A nossa amizade com certeza está no primeiro grupo.
Um grande abraço e boas festas.

citadinokane disse...

Lu,
Já coloquei aí no post, é se aproximar que a gente pega fogo...

___

Realmente havia uma modificação na definição do blog, tudo resolvido.
Paz na terra aos homens de boa vontade.
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Amigo Dirceu,
O humor refinado, sutil... O riso fácil e simpático...
Tudo isso faz com que a amizade seja reforçada, conte com a nossa amizade irmão, e com certeza o ano que bate à porta, será de grandes realizações para todos em tua casa.
Abraços na Ana,

Pedro

Direito & Esquerdo disse...

Nelito,

Abra um exceção e comento novamente no teu blog e sabes porquê.
Quanto às fogueiras, quem seria do homem sem suas fogueiras-amigas para esquentar e dar sabor à vida de todos nós.
Um abraço e feliz Natal
Bruno

citadinokane disse...

Bruno,
São muitas fogueiras...

Um abraço e paz no ano-novo!
Pedro

David Carneiro disse...

Meu amigo, espero que tenhas gostado do presente. A primeira vez que me senti um latino-americano foi quando lí o livro dos abraços. Parece que cada página contém um pouco da nossa identidade perdida em sonhos, lembranças não lembradas e coisas que ainda não conhecíamos, mas que parecem fazer parte de nós.
Gosto de um história desse livro chamada a função da arte. Era mais ou menos assim: o pai levou o filho para conhecer o mar. Quando finalmente avistaram-no, o filho, tremento, gaguejando, pediu ao pai: -Me ajuda a olhar?

Um grande abraço meu amigo! obrigado pelo post e feliz natal mais uma vez!

citadinokane disse...

David,
Valeu o presente, mergulhamos mais em nossa história latino-americana, é um sentimento de que não estamos sozinhos...
Abraços,
Pedro

Mixikó disse...

Gostei dessa passagem...dessa forma de olhar as pessoas..m mar de foguerinhas...cada uma com o seu brilho próprio...uns com mais outros com menos...gostei...interessante o livro.

citadinokane disse...

Mixikó,
É aproximar de ti pra gente pegar fogo... ehehehe...
Abraços,
Pedro

marisanblog disse...

Pedro,

Quero te dizer que já estou na área tá!?

Beijinhos e abracitos...

Mari