sexta-feira, dezembro 22, 2006

Severino Dias de Oliveira - SIVUCA: Saudades...



Após sete dias, aqui estou a falar sobre uma figura que marcou de maneira indelével a cena cultural brasileira, Sivuca, nascido em 23 de maio de 1930 em Itabaiana, interior da Paraíba, foi batizado com o nome de Severino Dias de Oliveira, mas no Brasil e internacionalmente ficou conhecido como Sivuca, somente Sivuca...
Morreu na noite do dia 14(quinta-feira) em João Pessoa (PB), aos 76 anos.
Foi grande instrumentista, arranjador e compositor, era casado com a compositora Glória Gadelha, o câncer na laringe emudeceu o nosso Sivuca.
Ontem foi a missa de sétimo dia do compositor na Igreja de São Francisco, no Centro de João Pessoa e contou com a participação da Orquestra Sinfônica da Paraíba, que emocionou ainda mais os participantes da celebração tocando várias músicas de Sivuca, "Feira de Mangaio", "João e Maria", "Aquariana"...
Glorinha Gadelha, muito emocionada, falou um pouco do “amado” (era assim que ela o chamava) durante a missa e leu um texto que fez em sua homenagem. “Como me sentiria feliz se pudesse revelar com exatidão o que foi o meu amado Sivuca”...
Sivuca quando morou no Rio de Janeiro, trabalhou na rádio e TV Tupi. Tocou na Europa pela primeira vez em 1958, gravando discos em Lisboa e Paris. Em 1964, o sanfoneiro passou a morar em Nova York - e a partir daí sua música encantou o público de quatro continentes. Fez shows em países da Europa, da África, da Ásia e das Américas do Norte e Sul.
No mês passado Sivuca gravou o seu primeiro DVD, em que dividiu o palco com vários artistas paraibanos. A sua última aparição em público foi no lançamento do DVD, que aconteceu no dia 30 de novembro, no Cine Bangüê. Lá emocionou os participantes tocando com a Orquestra Sinfônica da Paraíba.

Xico Rocha, Luciane Fiuza, todos na blogosfera prestaram homenagem ao grande Sivuca, quero também homenageá-lo, e aí fiquei lembrando de quando escutei pela primeira vez a música do Sivuca, provavelmente "No Tempo dos Quintais" não terá sido a primeira, mas como dizem os cientistas, a memória é seletiva, por mais que me esforce, imediatamente só vem ela...
A lembrança da minha pré-adolescência e "No tempo dos quintais" vem à tona, lembro que eu havia ficado encantado com os acordes, a melodia e a letra me envolviam por completo, um arrebatamento d'alma, arrastando-me para um lugar nenhum, para um tempo da delicadeza perdida, quando escutava essa música, bastava fechar os olhos e a alma sorria agradecida...
Eu morava em uma casa com quintal, e um enorme jambeiro dominava a paisagem no fundo do terreno, ai meu Deus! Quantas lembranças gostosas e com sabor de fruta fresquinha...
A letra e a música Sivuca compartilhou com Paulinho Tapajós, este compôs também "Sapato Velho" que o grupo vocal "Boca Livre" interpretava.
Consegui no YouTube o vídeo de um Coral paraibano interpretando 20 segundos "No tempo dos quintais", aproveitem...
Faço a minha saudação de despedida no estilo de Vinícius de Moraes: Saravá amigo Sivuca!!!

No Tempo Dos Quintais
Composição: Sivuca/ Paulinho Tapajos

Era uma vez um tempo de pardais
De verde nos quintais
Faz muito tempo atrás
Quando ainda havia fadas
Num bonde havia um anjo pra guiar
Outro pra dar lugar
Pra quem chegar sentar
De duvidar, de admirar
Havia frutos num pomar qualquer
De se tirar do pé
No tempo em que os casais
Podiam mais se namorar
Nos lampiões de gás
Sem os ladrões atrás
Tempo em que o medo se chamou- jamais

Veio um marquês de uma terra já perdida
E era uma vez se fez dono da vida
Mandou buscar cem dúzias de avenidas
Pra expulsar de vez as margaridas
Por nao ter filhos, talvez por nem gostar
Ou talvez por mania de mandar

Só sei que enquanto houver os corações
Nem mesmo mil ladrões podem roubar canções
E deixa estar que há de voltar
O tempo dos pardais, do verde dos quintais
Ou talvez em que o medo se chamou- jamais...

2 comentários:

marisanblog disse...

Parabéns. Grande homenagem. Sivuca merece, sempre...

Bjs

Mari

citadinokane disse...

Mari,
Toda homenagem será pequena diante da importância de Sivuca para o Brasil.