terça-feira, janeiro 09, 2007

Após demissão, homem descobre que não havia ganho na loteria

Após ler essa história na Internet, fiquei pensando quantas vezes ela se repetiu, por aqui mesmo, no Brasil. Olha o caso, um vendedor de carros inglês pediu demissão ao seu patrão após afirmar que tinha ganho uns US$ 2 milhões na loteria. O “felizardo” estava de fato exultante, afinal de conta era milionário, depois que passou a exaltação do “novo rico”, ele constatou que havia confudido os números sorteados da raspadinha. Steve Moseley de 36 anos, enquanto pensava que era milionário, mandou ver... é isso mesmo! O “milionário” saracoteou sobre a sua mesa na empresa que trabalhava, meteu a mão no bolso e jogou dinheiro aos colegas e pediu para que um deles comprasse um champanhe.
Steve mora em Fornums, em Hampshire, após tomar conhecimento que havia ficado “rico”, pediu demissão e ligou para a namorada, Theresa Parsons, 27 anos. Como felicidade de pobre dura pouco. Steve ligou para a Loteria Nacional para reivindicar seu prêmio e foi informado que aqueles não eram os números sorteados.
"Eu achava que tinha ficado milionário e, logo depois, tive que implorar para ter meu emprego de volta. Eu disse ao meu chefe que eu amava meu trabalho e pedi que ele considerasse me recontratar, pois eu tinha acabado de agir como um idiota", disse Moseley.
O vendedor de carros consegiu seu emprego de volta, mas dias depois pediu demissão novamente, por não agüentar as piadas dos colegas. Agora o “milionário” está trabalhando em outra empresa, segundo o The Sun.

Fonte: INVERTIA

10 comentários:

Fred Guerreiro disse...

Aconteceu parecido uma vez com uma tia minha. Nos anos 80, ao conferir a loteca na zebrinha do Fantástico, percebeu que havia acertado os 11 jogos. Pulou de alegria, mandou comprar carne para o churrasco, cerveja e tratou logo de mostrar seu lado arrogante de nova rica.
Na segunda, descobriu que como ela haviam ganho outros "trocentos" apostadores e o rateio não dava nem para pagar o guaraná (rsss). Há anos é aposentada pelo INSS e pobre. Sua única riquesa ficou na fantasia. Sua maior pobreza: lembrar daquele dia de jactância.

Tozé Franco disse...

Este é um problema que eu nunca tive pois nunca me saiu nada (nem em pensamento). Continuo esperando.... até já estou sentado para não me cansar...
Um abraço.

Navi Leinad disse...

Muita calma nessa hora... mas será que dá pra ter calma?? O "sortudo" meteu pé na jaca antes da hora de perder a calma, porque como eu sou um cara bastante racional, primeiro confirmaria, e depois... depois metia era a cabeça na jaca!

citadinokane disse...

Fred,
É uma pena.
Agora dizem que para conhecer o ser humano, basta dar dinheiro, poder e bebida.
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Tozé,
A esposa diz que eu tenho que jogar, mas não jogo nada... Por isso, continuo sonhando...

citadinokane disse...

Ivan,
Pé na jaca ou cara na jaca... Ai meu Deus, não castiga o Ivan, é um bom cidadão e temente...

Anônimo disse...

VOU-TE-FALAR.............

citadinokane disse...

Anônimo,
É para colocar as barbas de molho...

Carlos Ponte disse...

Por cá aconteceu uma mais engraçada no último fim-de-semana. Pelo menos com um desfecho muito mais feliz. Um apostador apostou três vezes no Totoloto mas "enganou-se" e, contra aquilo que desejava, meteu sempre a mesma chave. O primeiro prémio era cerca de 1,5 milhões de euros, suponho, e houve 4 apostas premiadas. Três eram do mesmo apostador, do tal que se "enganou".
Um dia tenho que começar a jogar.

citadinokane disse...

Carlos,
Ele não ficou aborrecido, não?!
Sortudo com raiva.
Abraços de além-mar,
Pedro