domingo, janeiro 07, 2007

Baby Junior um sobrevivente...

O sol estende seus raios por sobre a cidade, as mangueiras guardando em suas folhas as gotas de orvalho da madrugada, que inertes e silenciosas, esperam o toque da brisa matinal para lançar-lhes ao asfalto. Aos poucos o barulho dos automóveis, vai tomando conta das ruas, os ônibus começam a jorrar gente a todo momento e em todos os cantos...
As vozes das pessoas, vão cortando o ar...
Baby Junior, arregala os olhos assustados - que inferno é este? murmurra baixinho...
- Vamos cheira-cola! Se manda daí, pôrra!!! Baby Jr. assustado levanta-se rapidamente, conhece bem a truculência dos gambés, quantas vezes não teve as mãos esfoladas pela palmatória, que com sarcasmo, os gambés chamavam de "tieta"... E em seu corpo não trazia os garranchos da violência daqueles homens de capacete e cassetete-nas-mãos?!
Com a agilidade, que só é adquirida depois de muitos embates com o mundo dos adultos, desvencilha-se rapidamente dos dois gambés, não esquecendo de levar consigo os papelões que lhe envolvem o corpo na hora de dormir, protegendo-o do frio da madrugada.
- Meu Deus! eu não agüento mais tanta porrada... Suspira Baby Jr, e ainda se pergunta em silêncio e com os olhos marejados:- Será que não terei sossego na vida? Começa a lembrar da mãe em sua casa, sem condições de alimentar todos os filhos, e não foi outro motivo que levou Baby Jr. a enfrentar a terrível selva-de-pedra, não esquece do pai dizendo que não tinha condições de sustentar todos aqueles moleques e nunca mais apareceu em casa, sumiu...

Baby Junior esfrega os olhos, endurece o coração e sai correndo por entre os carros, desliza como se voasse, é hora de comer, tem que buscar alimento... Lá vai Baby Jr, voando e sem sonhos... Lá vai o menino...

7 comentários:

Fred Guerreiro disse...

Lá vai o Baby Júnior voando sobre as bolsas, carteiras, cordões, relógios... sem pensar no pai, na mãe, nos filhos dos outros, nas pessoas, que, como ele, em suas proporções, também guardam grandes dificuldades para sobreviver, dão um duro danado para por tudo a perder num vôo de um Babylóide.
Sim, porque Babies românticos não existem. Hoje eles são bem mais que meninos. É muito duro quando endurecem o coração. Muitos cidadãos de bem prefeririam um vôo mais sublime, no plano espirutual, metafísico.

citadinokane disse...

Fred,
A esperança nossa é que não exista mais nenhum Baby Jr perambulando pelas ruas sem futuro.
E como o futuro começa agora, é preciso o primeiro passo, precisamos desse primeiro passo...

Fred Guerreiro disse...

Dizer que há esperanças de que não exista mais Baby Jr. perambulando pelas ruas sem futuro, me desculpe caro amigo, é o mesmo que dizer que a doença, a fome e a pobreza vão acabar. Só o Lula acredita nisso.
Nós colheremos sempre no futuro o que plantamos no passado. Dar o primeiro passo é só uma questão de refletir se você está disposto a dividir o que é seu. E está? No mínimo poderia dar aulas de graça para crianças carentes da periferia. Que tal, para começar? Dê esse primeiro passo que eu dou o segundo: correndo. (rss)
Agora me mande logo para aquele lugar... (rsss)

citadinokane disse...

Fred,
Fui educador de rua, trabalhei alguns anos com essas crianças e adolescentes, sem esquecer da família das mesmas. É verdade que tudo é muito difícil quando se trata dos segmentos populares... Exclusão, indiferença, arrogância dos governantes, com projetos mirabolantes de burocratas de escritório.
Agora atenção! Cuidado! O teu ceticismo de hoje pode ser um veneno para o Frederico Guerreiro, estou falando daquele "cara", que há 30 anos atrás acreditava ser possível mudar o mundo, e hoje afaga suas conquistas individuais(resultado do esforço e suor de um cidadão honesto) sem esperanças e amargo... Não te esqueces que não é possível ser feliz sozinho.
Esqueça o Arnaldo Jabor, ele só fala "mierda", nunca enfrentou um trampo, tudo ali na mãozinha - papai e mamãe...

Baby Jr é conseqüência e não causa, e nem por isso acho que se deve passar a mão na cabeça e deixa de lado os ilícitos cometidos pelos "babies da vida", o resto é perfumaria.
Abraços,
Pedro
P.S.: e sem essa de "amigos da escola", passei uma vida me batendo por políticas consistentes em relação ao social; sem difundir o pavor comunista, de "dividir o que é meu..." O importante é compromisso político, entenda político e não partidário, mas se quiser participar de algum partido político, ótimo!
E outra coisa, vai praquele lugar...

Fred Guerreiro disse...

rssss...

citadinokane disse...

Fred,
Tu sabes, que é brincadeira a última linha do P.S.
Abraços irmão,
Pedro

Fred Guerreiro disse...

rssss