quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Amigos Meus...

Hoje quarta-feira de cinzas, faço meu o apelo do poetinha - Vinícius de Moraes, sabendo de antemão que os amigos Cabeção e Locobueres estão no bagaço, depois de se entregarem aos desejos de Baco, beberam e se divertiram além da conta... E os caras são malucos, se travestiram de dondocas no carnaval de Vigia de Nazaré e de São Luiz do Maranhão... Amigos, por favor! Evitem o exagero. Falei dos dois amigos saidinhos, mas, não esqueci dos demais: Nilton Atayde, Marcelinho, Rogério Fry, Dirceu Franco, Augusto Nunes, David Carneiro...

"Amigos meus (Vinícius de Moraes)
Ah, meus amigos, não vos deixeis morrer assim...

O ano que passou levou tantos de vós e agora os que restam se puseram mais tristes; deixam-se, por vezes, pensativos, os olhos perdidos em ontem, lembrando os ingratos, os ecos de sua passagem; lembrando que irão morrer também e cometer a mesma ingratidão.Ide ver vossos clínicos, vossos analistas, vossos macumbeiros, e tomai sol, tomai vento, tomai tento, amigos meus! – porque a Velha andou solta este último Bissexto e daqui a quatro anos sobrevirá mais um no Tempo e alguns dentre vós – eu próprio, quem sabe? – de tanto pensar na Última Viagem já estarão preparando os biscoitos para ela.
Eu me havia prometido não entrar este ano em curso – quando se comemora o 19640 aniversário de um judeu que acreditava na Igualdade e na justiça – de humor macabro ou ânimo pessimista. Anda tão coriácea esta República, tão difícil a vida, tão caros os gêneros, tão barato o amor que – pombas! – não há de ser a mim que hão de chamar ave de agouro. Eu creio, malgrado tudo, na vida generosa que está por aí; creio no amor e na amizade; nas mulheres em geral e na minha em particular; nas árvores ao sol e no canto da juriti; no uísque legítimo e na eficácia da aspirina contra os resfriados comuns. Sou um crente – e por que não o ser? A fé desentope as artérias; a descrença é que dá câncer.Pelo bem que me quereis, amigos meus, não vos deixeis morrer. Comprai vossas varas, vossos anzóis, vossos molinetes, e andai à Barra em vossos fuscas a pescar, a pescar, amigos meus! – que se for para engodar a isca da morte, eu vos perdoarei de estardes matando peixinhos que não vos fizeram mal algum. Muni-vos também de bons cajados e perlustrai montanhas, parando para observar os gordos besouros a sugar o mel das flores inocentes, que desmaiam de prazer e logo renascem mais vivas, relubrificadas pela seiva da terra. Parai diante dos Véus-de-Noiva que se despencam virginais, dos altos rios, e ride ao vos sentirdes borrifados pelas brancas águas iluminadas pelo sol da serra. Respirai fundo, três vezes o cheiro dos eucaliptos, a exsudar saúde, e depois ponde-vos a andar, para frente e para cima, até vos sentirdes levemente taquicárdicos. Tomai então uma ducha fria e almoçai boa comida roceira, bem calçada por pirão de milho. O milho era o sustentáculo das civilizações índias do Pacífico, e possuía status divino, não vos esqueçais! Não abuseis da carne de porco, nem dos ovos, nem das frituras, nem das massas. Mantende, se tiverdes mais de cinqüenta anos, uma dieta relativa durante a semana a fim de que vos possais esbaldar nos domingos com aveludadas e opulentas feijoadas e moquecas, rabadas, cozidos, peixadas à moda, vatapás e quantos. Fazei de seis em seis meses um check-up para ver como andam vossas artérias, vosso coração, vosso figado.
E amai, amigos meus! Amai em tempo integral, nunca sacrificando ao exercício de outros deveres, este, sagrado, do amor. Amai e bebei uísque. Não digo que bebais em quantidades federais, mas quatro, cinco uísques por dia nunca fizeram mal a ninguém. Amai, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido.Mas sobretudo não morrais, amigos meus!"

1965 in Para uma menina com uma flor (crônicas)in Poesia completa e prosa: "Para uma menina com uma flor"

9 comentários:

Companheira da alma disse...

fico muito feliz com sua visita... sempre te visitarei tambem...
vou te botar no meu link.

sou nova nesse negocio de blog to descobrindo como faço as coisas agora. bjao

Companheira da alma disse...

voce precisa conhecer joao pessoa eh muito bonito aqui, da proxima vez passe por aqui tem muita coisa legal. bjo

citadinokane disse...

Companheira da alma,
Não deixarei de visitar João Pessoa.
Pode linkar aí, eu vou te linkar aqui também.
Visite muitos blogs para ter retorno ok?!
Beijos,
Pedro

Paola Vannucci disse...

Nelito meu amor amado, kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Já que o que escrevo não some... estamos sumidos do mundo, kkkkkkkkkkkkk

Meu em meio a trabalho estou que nao paro de rir, e me contentar com suas preciosas postagens....
Vc é ximplesmente um ser divino....

Li tudinho não paro de rir.....

Pasese lá na minhya casinha tem muitoa aperitivos pra vc lá...

bjs

citadinokane disse...

Paola,
Tava com "sodade d'ocê", vou fazer a leitura do teu blog em outro computador, existe um programa que congela a imagem do computador, quando entro em teu blog...
Que tal as férias em Salvador foram renovadoras?!
Bom final de semana.
Abraços,
Pedro

Navi Leinad disse...

Pedro, acho que esse gato preto aí não é de ter amigos... tem cara de poucos.
Sugiro o nome Nelicat pra ele
hahahahahahahahahaha...
Abraço.

complicadinha disse...

Oi Nelito... e Vinícius sabiamente "sabe" colocar em palavras o amor. Bjos e ótimo fim de semana.

citadinokane disse...

Poeta Ivan,
Não pedi para colocarem o gato, mas...
Se ele está aí, não mexe com quem tá quieto, olha a maldição do gato preto, hein?!
Não vou tecer comentário com relação ao nome do bichano, isso acaba dando confusão.
Abraços poeta,
Pedro

citadinokane disse...

Complicadinha,
Sei o quanto estás complicada, desde já fico agradecido com a tua visita, um ótimo domingo para ti.
Escute Vinícius, hein?!
Beijos,
Pedro