terça-feira, fevereiro 13, 2007

Mulheres do meu Brasil varonil...

Recebi um vídeo sobre uma sessão de fotos para a revista Playboy da modelo Ana di Biase (engraçado todo mundo que expõe as partes íntimas é chamada(o)de modelo, né?!)... rsrsrs...
Antes que os machões de plantão venham descer o malho em mim, vou antecipando, acho a maior besteira e sem futuro ver tantas garotas sonhando em um dia se tornarem uma grande estrela da passarela e com a conta bancária da Gisele Bundchen a top model brasileira (a 16ª mulher mais rica do mundo, de acordo com lista da revista Forbes); igual no futebol, muitos se dedicam ao esporte mais popular do mundo, poucos, pouquíssimos conseguem salários que possibilitam tomar banho de espumante e tirar gosto com caviar.
Mulheres do meu Brasil, é tudo ilusão!!! o melhor mesmo é estudar e ganhar indenpendência financeira dentro dos padrões que garantam a sobrevivência com dignidade e trabalhar com vontade, nada cai do céu ou vem de mão-beijada...
Sem pieguices, por favor!
Nada de ficar esperando por um homem (príncipe) que irá garantir uma vida melhor, com casa, carro, dinheiro para gastar no shopping e um cachorrinho poodle para os passeios matinais... Tranqüilidade, né?! Mas, tem preço...
Hesíodo na Grécia antiga já chamava a atenção, dizendo que a vida era labuta suada para garantir a sobrevivência, antes dele, Homero narrava em Ilíada e Odisséia histórias em que os deuses e homens compartilhavam o cotidiano, e os deuses até interferiam nos destinos dos homens; com Hesíodo a sensação de que os deuses abandonaram os homens fica bem explícita na obra "Os Trabalhos e os Dias", Hesíodo defende a necessidade do trabalho árduo como condição humana, visto que os deuses não mais interferem na vida dos homens. E não me venham com o sonho de se tornarem dançarina da banda Calypso ou da "Segura o tchan, amarra o tchan...", ou ainda da "Boquinha da garrafa" e pior de todas "Bonde do tigrão..."
A maioria das mulheres brasileiras está lutando por melhores dias e na blogosfera tenho enlaçado só mulheres honestas e que labutam duro.
Pausa no sermão blogosférico.
Faço aqui uma constatação, como é dura a vida do fotógrafo da revista Playboy, hein?! admira platonicamente as beldades que se estrebucham diante de sua câmera, escuta passivamente elas falarem que estão nervosas por ser a primeira vez... E como elas se arreganham, meu Deus! E o pobre profissional vai lá, ajeita aqui, ali... ai ai ai é pior que o tormento de Prometeu...
Espera aí, olha as fotos da Ana di Biase. Huumm... da maneira que vi, e que não posso mostrar, as fotos que estão abaixo são bem comportadas. Calma Cabeção! Sem afobação...


2 comentários:

dirceu franco disse...

Esse Pedro... sempre com a mente sã e a língua afiada e com muito bom gosto.

Vai longe esse rapaz...

Um motivo de orgulho para o filósofo búlgaro Joseph Lùkita.

Grande abraço irmão.

citadinokane disse...

Dirceu,
Joseph Lùkita olhando, olhando... Fico imaginando a profunda reflexão existencialista, talvez um suspiro seguido de um pedido, similar ao pedido de açougue: - Por favor, dois quilos do filé, embrulha que vou levar agora...
Joseph olhando, olhando...