quarta-feira, março 14, 2007

Fidel si, Fidel no: Ramonet x Montaner(parte II)

Dando continuidade a reprodução aqui no blog do artigo publicado no Blog do Emir Sader da Agência Carta Maior. Dois intelectuais com focos distintos e que continuam expondo as suas impressões sobre Cuba com e sem Fidel, volto a alertar que estou publicando por parte para facilitar os meus leitores preguiçosos que odeiam posts longos, é o caso da Marinês Santos.

II. Montaner: “Os cubanos são pobres e estão escravizados”
“A razão pela qual o comunismo não caiu em Cuba, da mesma forma que na Coréia do Norte, é a repressão total. Trata-se de um tipo de opressão totalmente ligada a um homem que está morrendo. Quando ele desaparecer, também desaparecerá grande parte do medo que seu regime inspira no povo. Por cima das diferenças políticas, todos os seres humanos têm as mesmas aspirações. Preferem a liberdade à opressão, os direitos humanos à tirania, a paz à guerra e querem que melhorem suas condições de vida e as de suas famílias.”
“Quanto à idéia de que a ilha é hoje mais independente que nunca, é ridícula, dado que grande parte do crescimento econômico de que se fala está impulsionado pelos 2 bilhões de dólares anuais propiciados pela Venezuela.”

II. Ramonet: “O invejável histórico de Castro”
“Você tem que deixar de observar a ilha através de um prisma ideológico e de tergiversar os dados para que se ajustem a seus esquemas preconcebidos.” “Nenhuma organização séria nunca acusou Cuba de levar a cabo desaparições, execuções extra-judiciais, nem torturas físicas aos detidos. Não se pode dizer o mesmo dos EUA, em seus cinco anos de guerra contra o terror. Não existe um único caso desse tipo em Cuba. Ao contrário, o regime representa a vida. Conseguiu aumentar a esperança de vida e reduzir a mortalidade infantil. Como escreveu o colunista do The New York Times, Nicholas Kristol, em um artigo de 12/01/2005, “se os EUA tivessem um índice de mortalidade infantil tão baixo como o de Cuba, se salvariam a 2.212 crianças da morte por ano.”

8 comentários:

Lidiane disse...

Pedro.

Eu penso muito sobre Cuba.
Tenho me feito questionamentos sobre liberdade, sobre o que acontece lá e sobre quem somos nós, dentro de uma postura "pseudo" democrática.
Mas vejo o regime de Fidel como o regime de Fidel.
Fico com Bloch: "o historiador é filho do seu tempo".

citadinokane disse...

Lidiane,
Passei pouco tempo em Cuba, não posso dizer que conheço Cuba.
Mas, algumas histórias sobre a Ilha, são totalmente falsas...
Com certeza, o homem comum não sente a pressão da política, leva a vida como levamos aqui no Brasil, tomando a sua cerveja Bucanero, fumando o seu charuto e curtindo a vida, varando a madrugada em farra e de manhã muita ressaca...
Um dia iremos conversar sobre Cuba, prometo!
Beijos,
Pedro

M.S. disse...

tenho um problema sério em considerar fontes como Veja, Época...
e elas estão sempre a chama-lo de ditador sanguinário
me poupe.

digamos que elas façam uma propaganda ao contrário

citadinokane disse...

Mulher Subjeto,
Diria que exageram muitooooooo...

Fred Guerreiro disse...

Tá legal...
Compre uma passagem de ida para Cuba.
Ei, professor? Porque essa galera ainda viaja tanto, ein?

citadinokane disse...

Fred,
Qual galera?
Os brasileiros, argentinos, colombianos, bolivianos, peruanos...
Tudo clandestino!

Fred Guerreiro disse...

Essa galera que ainda sonha com o socialismo utópico, Pedro.
Falta leitura, amigo. Muita leitura e informação para descobrir que Cuba não passa de um símbolo do antiamericanismo. Fidel e sua tropa filtram o que é divulgado sobre a ilha. O regime vive do "samba-de-uma-nota-só", medicina.
Vai dizer que é melhor viver em Havana do que em Miami, vai...?
A hipocrisia é tanta que os "socialistas do século XXI" abominam os EUA mas adoram um jeans, bebem Coca-Cola, adoram filmes norte-americanos e só andam de automóvel particular, e falando ao celular.
Mas, se quiserem ver de perto, que comprem uma passagem de ida para Havana e fiquem por lá para descobrir e abrir a mente.

citadinokane disse...

Fred,
Havana é cosmopolita, a arte pulsa em cada esquina...
Ah! uma passagem para Cuba...

"O mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca..."(Fernando Pessoa)