sábado, abril 07, 2007

ACABOU! ADEUS! PLUTÃO SE APROXIMA...

Meus amigos e amigas de toda a blogosfera, venho comunicar que a partir desta páscoa, estou me retirando da viagem maravilhosa pela blogosfera, minha blognave despejou pelo espaço virtual uma quantidade enorme de postagens, mais precisamente 685 postagens. Agora, é certo uma coisa, li e recolhi milhares de postagens, muitas estão guardadas em meu coração, assim como centenas de blogueiros e blogueiras.
Minha nave se encontra na órbita de Plutão e dentro de alguns momentos estarei desembarcando, são muitos compromissos em Plutão, retomo, após dois anos de licença sem remuneração, encargos profissionais que irão exigir de mim muita dedicação para adaptar-me novamente a uma dinâmica estressante...
Ainda tenho o compromisso de encerrar o mestrado no final do ano.
Nunca Plutão esteve tão próximo e eis a hora chegando...
Um peso e uma dor no peito, pô! é despedida... Sou ruim nisso, os olhos ficam marejados, a garganta com um nó seco.
Plutão é árido, o ar rarefeito, as pessoas se julgam importantes, e eu tô voltando...
Mas nem tudo é lamentação, retorno com a bagagem abarrotada de informações, poemas e histórias que arrebataram minh'alma, e quando não suportar, buscarei notícias da blogosfera com o amigo Vieirinha de Marapanim...
Deverei abandonar a minha nave no espaço virtual, provavelmente ela ficará girando em torno de Plutão, carregando todas as minhas emoções, alegrias, desilusões e revoltas...
Devo dentro de alguns minutos desligar o motor de minha nave, o som que está tocando neste momento é o da banda Rádio Táxi, eu tinha uns 15 anos quando eles fizeram sucesso com essa música - Eva, e como se encaixa na despedida:

Eva (Rádio Taxi)

Meu amor olha só hoje o sol não apareceu
É o fim da aventura humana na Terra
Meu planeta adeus fugiremos nós dois na arca de Noé
Mas olha bem, meu amor o final da odisséia terrestre
Sou Adão e você será...

Minha pequena Eva, o nosso amor na última astronave,
Além do infinito eu vou voar
Sozinho com você
E voando bem alto, me abraça pelo espaço de um instante,
Me cobre com teu corpo e me dá
A força pra viver...

E pelo espaço de um instante afinal, não há nada mais
Que o céu azul pra gente voar
Sobre o Rio, Beirute ou Madagascar
Toda a terra reduzida a nada a nada mais
E minha vida é um flash de controles, botões anti-atômicos
Mas olha, olha bem meu amor no final da odisséia terrestre
Sou Adão e você será... diz pra mim o que você será!


Quero que seja longo esse post, não estou nem aí se algumas pessoas não gostem de posts longos, como o "Vieirinha de Marapanim", é isso aí mermão dei o nome do Cabeção completo e pronto, é despedida, né?!
Escrevi o nome de algumas pessoas num pedacinho de papel, e vou guardar no cofre do meu coração, anotei: Carlos Ponte(o 1º português que abriu a blogosfera lá na terrinha), Tozé(escuto todo dia cantando em um coral maravilhoso), Moura(apesar de não visitar-me há muito tempo, mas vale a lembrança), António(e sua Zaida), Mixikó(espero do fundo do coração que esteja melhor de saúde), Xienra, Lila Magritte(o Chile em versos e prosa), Loredana Braghetto(um Chile com sotaque francês-canadense), Loira em fuga voando alto, Vera Fróes, Companheira da alma, Carolina do Silêncio lovers, Diana Siempre en prueba, Segredos da esfinge, Ivan Daniel, Grace Olsson, Juca do Quinta, Paola Vannuci, Luciane Fiuza, Jade e os seus olhos, O intimorato Fred, Notícias de lugar nenhum - David, Mulher Subjeto, Luana Caldas, Nan(a verdadeira esfinge - decifra-me ou devoro-te), Kalinka, Juana Banana, Fábio Castro - Hupomnemata, Lidiane - Giramundo gira eu girassol, Flávia Sereia, Flanar, Fernando - Fgiucich, Felícia Feliz, Complicadinha, Walter Jr - Caneta sem fronteira, Clarinha - brincando com palavras, Aline - bagaceira virtual, Yúdice Randol, Bruno - direito e esquerdo, Mari - aquarelas da mari, Edyr Augusto Proença, Cris Moreno(em pouco tempo já tenho por ti uma admiração platônica), Augusto Nunes(muita força para o blog), Marcelinho, Dirceu, Rogério, Wanderley Ladislau, Rocha, Eduardo Bueres, Nilton Atayde, Osvaldo Jr., Odinilson Dias (brecheiro virtual), Lisânia(chegaste e Plutão estava tão perto) e tantos outros...
Recebo uma comunicação dos controladores de vôos (eles são responsáveis de verdade) de Plutão, solicitam que eu desligue o motor da nave, e me lance na cápsula que me protegerá na entrada da atmosfera de meu planeta.
Aos muitos leitores que ficaram pensativos com as aventuras do Locobueres, uma palavra: o Locobueres é real, não se trata de um holograma, conversei com ele ontem, de verdade.
Aos leitores daqui de Plutão, vamos nos encontrar pelas nossas ruas.
Aos leitores distantes, um dia a gente se encontra, com certeza.
Adeus, estou ejetando a cápsula, valeuuuuu!!!
E deixo um vídeo para lembrá-los que aqui em Plutão Ele passou também, mas tirem suas conclusões...
Uma boa Páscoa e cheia de reflexões, e vamos nos encontrar um dia, quem sabe?!

35 comentários:

Cris Moreno disse...

Isso é brincadeira? Se não for, sentirei a muito a sua falta. Também te conhecer foi muito bom. Nunca ri tanto em minha vida, principalmente nos momentos em que mais precisei.
Vamos nos encontrar no planeta terra, não se preocupe. Esse Plutão, dizem, não é de nada. Você voltará logo,logo.
Bjs,
Cris Moreno

Anônimo disse...

FERNANDO
PESSOA
Odes de
Ricardo Reis

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.


Ricardo Reis, 14-2-1933

Bjs,
Cris Moreno

Yúdice Randol disse...

Ei, Pedro, deixa de brincadeira. Dá para manter o blog, mesmo com atualizações sazonais. E podes usar o recurso de encaminhar um e-mail aos amigos, avisando quando houver postagem nova.
Não vais trabalhar nem escrever disertação 24 horas por dia, sete dias na semana. Sempre há de sobrar uns quinze minutinhos para dar um alô a quem te quer bem.
Outra alternativa é copiar o Flanar e tornar o blog um produto a quatro mãos, seis ou mais, dividindo com outros a missão de escrever.
Enfim, compreendo as necessidades atuais. Mas não nos deixes. Criei um blog por sugestão tua. Não nos relegues à orfandade!

Borboleta de sonho disse...

Citadinokane, não vá embora.
Onde irei posar?
És meu sonho preferido!
E um mascarado amigo!

Glória
Salvador Díaz Mirón

" ¡No intentes convencerme de torpeza
con los delirios de tu mente loca!
¡Mi razón es al par luz y firmeza,
firmeza y luz como el cristal de roca!

¡Semejante al nocturno peregrino
mi esperanza inmortal no mira el suelo:
no viendo más que sombra en el camino,
sólo contempla el esplendor del cielo!

¡Vanas son las imágenes que entraña
tu espíritu infantil, santuario oscuro!
¡Tu numen, como el oro en la montaña,
es virginal y por lo mismo impuro!

¡A través de este vórtice que crispa,
y ávido de brillar, vuelo o me arrastro,
oruga enamorada de una chispa
o águila seducida por un astro!

¡Inútil es que con tenaz murmullo
exageres el lance en que me enredo:
yo soy altivo, y el que alienta orgullo
lleva un broquel impenetrable al miedo!

Fiado en el instinto que me empuja
desprecio los peligros que señalas.
«¡El ave canta aunque la rama cruja:
como que sabe lo que son sus alas!»

Erguido bajo el golpe en la porfía
me siento superior a la victoria.
¡Tengo fe en mí: la adversidad podría
quitarme el triunfo pero no la gloria!

¡Deja que me persigan los abyectos!
¡Quiero atraer la envidia aunque me abrume!
¡La flor en que se posan los insectos
es rica de matiz y de perfume!

¡El mal es el teatro en cuyo foro
la virtud, esa trágica, descuella:
es la sibila de palabra de oro;
la sombra que hace resaltar la estrella!

¡Alumbrar es arder! ¡Estro encendido
será el fuego voraz que me consuma!
¡La perla brota del molusco herido
y Venus nace de la amarga espuma1

Los claros timbres de que estoy ufano
han de salir de la calumnia ilesos.
Hay plumajes que cruzan el pantano
y no se manchan... ¡Mi plumaje es de ésos!

¡Fuerza es que sufra mi pasión! La palma
crece en la orilla que el oleaje azota.
¡El mérito es el náufrago del alma:
vivo se hunde, pero muerto, flota!

¡Depón el ceño y que tu voz me arrulle!
¡Consuela el corazón del que te ama!
Dios dijo al agua del torrente: ¡bulle!,
y al lirio de la margen: ¡embalsama!

¡Confórmate, mujer! ¡Hemos venido
a este valle de lágrimas que abate,
tú como la paloma para el nido,
y yo, como el león, para el combate. "

Luciane Fiuza de Mello disse...

Pedro, a Louise adorou a camisa, obrigada. Ela ficou muito feliz de ter notícias da tua filha, até já comentou no blog dela. A louise me falou que a Isadora já publicou três livros. Nossa!!! PARABÉNS!!!
Quanto à viagem para plutão, pode deixar de desculpa porque de lá dá para atualizar, mesmo que esporadicamente, como sugeriu o Yúdice. Fico triste de não poder mais ler teus posts irreverentes, sérios, proibidos para menores, enfim...
Boa sorte na nova fase, força para encarar a rotina com bom humor, pois imagino que para alguém como vc nem um trabalho é baixo astral.
Grande abraço e vê se dá notícias de vez em quando ou jogo uma bomba nesse blog e o detono de vez... srsrsrs
Lu.

Segredos da Esfinge disse...

Pedro,
A vida é assim mesmo, nos apresenta novos amigos e criamos afinidades, temos carinho. E a blogosfera tem permitido isso.
Não adianta pedir para ficar, adianta? Só você sabe o que é mais importante. Vai deixar na blogosfera um vazio enorme, mas seu lugar vai ficar sempre reservado até seu retorno.
Não tive coragem de ler seu post inteiro, fui tomada por´uma emoção sem entender qual o motivo, se cuida, mande notícias quando puder.
Um grande beijo no coração.
Fica pra você uma canção.

Encontros e despedidas
De: Milton Nascimento/ Fernando Brant

Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço, venha me despertar
To chegando
Coisa que gosto é poder partir
Sem ter plano
Melhor ainda é poder voltar
Quando quero
Todos os dias é um vai e vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar
E assim
Chegar e partir
São só dois lados da mesma viagem
O trem que chega é o mesmo trem
Da partida
A hora do encontro é também
Despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida

Navi Leinad disse...

Não acredito... vou aguardar.

Mari disse...

Pedro,

Minha nave estará partindo amanhã cedo, mas, é para Marabá à serviço. Quando eu retornar de lá, conversaremos seu mascarado!! Deixa de conversa fiada.

Bjs pra ti.

Mari

Augusto Nunes disse...

Meu Mestre e Guru,

Deixe de brincadeira, veja a legião de órfãos... Depois de tudo que passamos...

Sempre tem um jeitinho pra tudo, afinal, somos brasileiros, não é mesmo?

Augusto

Edyr Augusto disse...

Nem tudo é dias de sol
E a chuva, quando falta muito, pede-se
Por isso, tomo a felicidade com a infelicidade naturalmente,
como quem não estranha que haja montanhas e planícies
rochedos e erva
O que é preciso é ser natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade
Sentir como quem olha
Olhar como quem anda
E quando se vai morrer
Lembrar-se que o dia morre
O poente é belo
E é bela a noite que fica
Assim é e assim seja
Fernando Pessoa

Edyr Augusto disse...

Nem tudo é dias de sol
E a chuva, quando falta muito, pede-se
Por isso, tomo a felicidade com a infelicidade naturalmente,
como quem não estranha que haja montanhas e planícies
rochedos e erva
O que é preciso é ser natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade
Sentir como quem olha
Olhar como quem anda
E quando se vai morrer
Lembrar-se que o dia morre
O poente é belo
E é bela a noite que fica
Assim é e assim seja
Fernando Pessoa

Companheira da alma disse...

isso eh brincadeira ne???
entrar na net e nao ver seu blog atualizado vai ser horrivel ... ;/// ja estou com saudades!!!!
;*

Lisânia disse...

Mestre, Plutão é um planeta anão e ainda não recebeu a visita de uma nave espacial aqui da Terra, então, assim como não chegamos lá ele nunca conseguirá nos alcançar...E logo agora que cheguei estás querendo abandonar a nave??? O riso faz um bem enorme à alma,vou sentir saudades das boas risadas que dei por aqui...mas já que não se pode ter tudo, contento-me com sua presença na sala rsrsrs bjus e valeu mesmo!!!

Anônimo disse...

Seja bem vindo, companheiro. Em Plutão há vida, aliás, há vida em abundância. E sobra tempo !!!

Nilton Atayde

citadinokane disse...

Cris,
Hoje estou aqui com uma vontade louca de ficar.
Plutão é muito frio e as pessoas preocupadas em contar os metais...
Estou com saudades de ti, mas a Terra fica muito distante daqui, quem sabe um dia a gente volta a se falar, né?
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Cris,

AH, QUANTA MELANCOLIA

Ah, quanta melancolia!
Quanta, quanta solidão!
Aquela alma, que vazia,
Que sinto inútil e fria
Dentro do meu coração!
Que angústia desesperada!
Que mágoa que sabe a fim!
Se a nau foi abandonada,
E o cego caiu na estrada -
Deixai-os, que é tudo assim.

Sem sossego, sem sossego,
Nenhum momento de meu
Onde for que a alma emprego -
Na estrada morreu o cego
A nau desapareceu.


Fernando Pessoa, 3-9-1924.

citadinokane disse...

yÚDICE,
Estou considerando o que falaste.
O blog é uma cachaça...
Vou reconsiderar a minha decisão, só mais alguns meses e voltaremos, quem sabe?!
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Borboleta de sonho,
Entre mascarado e o melhor sonho, como ficarei?!
Adorei a poesia, volte sempre!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Luciane,
Primeiramente, quero dizer que uma das melhores alegrias da blogosfera, foi te conhecer... Sério! És autêntica e muito firme, o homem para te dominar tem que ser um cowboy... ehehehe... "Olha a faca"... Que bom a Louise ter gostado da camisa, a Isadora manda um abraço pra ela, hein!
Estou em Plutão, aqui a barra é pesada, viu?!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Minha amiga esfinge,
Não imaginas como gosto da música de Milton Nascimento.
A poesia que vem daquele pedaço de terra - Minas Gerais, é muito forte, a imagem poética é linda...
E te agradeço pela consideração, com o coração na palma da mão.
És maravilhosa! E muito sensível.
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Ivan Daniel,
Pode esperar, ok?
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Mari,
Sempre viajando.
Pensas que Plutão é perto?

citadinokane disse...

Augusto,
soy brasileiro e não desisto, nunca.
Irmão do meu coração, vamos deixar os planetas se alinharem novamente e quem sabe possamos retornar ao nosso planeta Terra, né?!
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Edyr Augusto,
Siempre Pessoa...
Assim é, e assim seja.
Belíssimo, querido poeta dos textos paroaras.
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Companheira da alma,
Estás em minha lembrança, viu?!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Lisânia,
Não acredite na Globo, Plutão tem vida estressante, não queira viver aqui...
Um dia voltarei para visitar os amigos, tá?!
Pedro

citadinokane disse...

Nilton,
As pessoas pensam que Plutão é uma ficção, pode?!
Tenho que te visitar, deixa eu acabar de corrigir as provas dos pluteanos, ok?!
E sobra tempo, é?
Abraços,
Pedro

Lisânia disse...

Nelito, acredito em vc e não esquece de mandar um cartão postal ou uma foto p meu celular(se tiver tempo) e quem sabe nas férias eu e meu Fofinho iremos dar uma volta por aí...curtir umas ¨férias sem lei¨rsrsrsrs beijokas.

Luciane Fiuza de Mello disse...

Pedro,
Fico lisonjeada com suas palavras, mas assim tu vais espantar os “heróis da resistência” que ainda surgem por aqui srsrsrsr... Por falar na “faca”, adoro ele, é fofo. Por sinal, é a única coisa que presta no Zorra. Ah, um paraense, Wendel Bendelack, estreará sábado um quadro no programa, vi na chamada.

Dei teu recado p Louise e ela mandou outro abraço p Isadora. Ah, ela tb pediu p tu avisares p tua filha do recado que deixou no blog dela.

Muita força aí em Plutão. Sei que sobreviverás e voltarás aqui para a blogosfera para nos contar notícias dessas bandas.

Um abraço,
Lu.

citadinokane disse...

Lisânia,
Assim que eu acabar de corrigir as provas dos pluteanos, mando uma foto de Plutão para o teu celular, ok?!
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Lu,
As tarefas em Plutão são muitas, o ar é úmido e quente de dia e muito frio de noite...
Recado anotado.
Beijos,
Pedro

Mari disse...

Pedro,

Vê se atende o teu telefone. Minha nave já pousou neste planeta. Plutão não te quer, aqui és mais querido que aí. Desce já daí mascarado!! Rsrsrs

Saudades de ti

Bjs

Mari

citadinokane disse...

Mari,
Plutão não deixa.

Mixikó disse...

não consigo comentar aqui

Mixikó disse...

afinal consigo....

Pedro..és muito valioso neste espaço, não te podes ausentar...

Eu estou bem agora, obrigada...
Como tu mesmo disseste aqui em tempos, nas "asas da maternidade", o AMOR VENCERÁ...por este andar.

Um beijinho