domingo, abril 01, 2007

Aranha

Eu sei que muita gente tem nojo desses bichinhos, são artrópodes e pertencem à ordem Araneae da classe dos aracnídeos, estou falando das aranhas. Existem cerca de 40.000 espécies de aranhas.
Na mitologia grega, conta o mito que um dia Aracna, a filha de um tintureiro grego, desafiou Palas Atena, a deusa da tecitura e da razão; entendia Aracna que somente ela tinha o talento para tecer e bordar. A deusa Atena advertiu a filha do tintureiro, que caso não fosse mais modesta, enfrentaria a sua cólera. Aracna menosprezou o alerta da deusa que, transformada em velha, apresentou-se para o desafio. Atena teceu numa tapeçaria doze majestosos deuses do Olimpo; e em cada canto do trabalho, registrou episódios mostrando a derrota dos mortais que tinham ousado desafiar os deuses. Em seu trabalho Aracna desenhou os amores vergonhosos dos deuses com os mortais. O trabalho de Aracna ficou perfeito, o que deixou Atena, furiosa, a deusa não se conteve e rasgou-o, além de ferir a sua rival... Humillhada, Aracna tenta se enforcar. Mas Atena não deixou que ela morresse e a transformou em uma aranha, que continua a fiar e a tecer na ponta do seu fio eternamente.
Quero dizer que gosto de ler, estudar e assistir tudo sobre a mitologia grega, aprendo muito.
Não tenho medo de aranha, algumas, aquelas peludas e venenosas, respeito e só.
Para encerrar esse papo de aranha, Raul Seixas já falava da aranha da vizinha, mas quero deixar a poesia de Fernando Pessoa...

Aranha (Fernando Pessoa)

Aranha do meu destino
Faz teias de eu não pensar.
Não soube o que era em menino,
Sou adulto sem o achar.
É que a teia, de espalhada
Apanhou-me o querer ir...
Sou uma vida baloiçada
Na consciência de existir.
A aranha da minha sorte
Faz teia de muro a muro...
Sou presa do meu suporte.

27 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

Também gosto de ler sobre a mitologia, aprendo bastante e entendo muitos porques.
Tenho pavor de aranhas, sabe o que é pânico? pois é o que eu sinto pelos repugnantes bichinhos, eca! rss
Não conhecia essa poesia de FP.
uma linda semana
beijosssssssss

Flávia Sereia disse...

De aranhas eu tenho certo medo, pego uma cobra na mão na boa ( opaaaa) mas de aranha eu corro de medo rs

Olha ainda bem que vc não colocou ai o rock das aranhas rs

bjs

Fred Guerreiro disse...

Aquelas de bundas grandes e pequenininhas são um perigo. O veneno é mortal. Endurece a vítima na hora.

Ana disse...

Também gosto de mitologia, poesia e não tenho medo de aranhas.

Dono do Bar disse...

Amigo, a única aranha que me apetece é aquela celebrada pelo mestre Raul. E até acho que a comparação não é injusta, pois nos tempos do Raul, a aranha ERA cabeluda. Hoje em dia, ela já perdeu quase todos os pêlos. Ainda bem, diga-se de passagem.

De qualquer forma, eu prefiro que elas fiquem bem distantes.

Abraços.

DB.

Dono do Bar disse...

Vamos explicar: que fiquem distantes as aranhas de verdade!

Lisânia disse...

Gostei muito da história, não sabia essa da Aracna, também não tenho medo de aranha apenas quero distância.
Forte abraço

Yúdice Randol disse...

Pedro, só mesmo tu para dar um outro sentido a esses animais repugnantes. Valeu pela mitologia e pelo Fernando Pessoa. De minha parte, contudo, prosseguirei achando o bichinho nefasto. Abraços.

Therese Bovary disse...

Hola Pedro, gracias por tus saludos en mi cumpleaños.

Me gustó este texto especialmente porque adoro el mito de Arácnice, la audaz que se atrevió a desafiar a la mismísima Minerva en las artes de los tejidos.

besos

Anônimo disse...

As aranhas sao a coisa ++++++ nojenta que eu já vi!
:)

J@de disse...

Eu tenho um medo danado de aranha!!
Mas adoro mitologia e Fernando Pessoa!! Só fechei os olhos e encolhi os dedinhos dos pés quando vi a foto...
Beijos!!

J@de disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lisânia disse...

então, imagine se essa aranha resolve se esconder em algum buraco??vália meu s. francisco do canindé!!! rsrsrs abcs.

Lila Magritte disse...

Larga y compleja historia tienen las arañas y así también son las redes que tejen para envolvernos.

Abrazos, Pedro.

citadinokane disse...

Poeta,
Que bom receber-te aqui, as aranhas são estranhas mesmas, e o "estranho" sempre faz ficarmos recuados.
Aprendo muito com os mitos.
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Sereia,
Tua sugestão foi ótima, cobra, aranha, tudo a ver com o Raul Seixas, né?! Então, toma o "Rock das Aranhas":
Rock Das Aranhas (Raul Seixas)

Subi no muro do quintal
E vi uma transa que não é normal
E ninguém vai acreditar
Eu vi duas mulheres
botando aranha prá brigar

Duas aranhas, duas aranhas
Duas aranhas, duas aranhas
Vem cá mulher deixa de manha
Minha cobra quer comer sua aranha

Meu corpo todo se tremeu
E nem minha cobra entendeu
Cumé que pode duas aranhas se esfregando
Eu tô sabendo, alguma coisa tá faltando

É minha cobra, cobra criada
É minha cobra, cobra criada
Vem cá mulher deixa de manha
Minha cobra quer comer sua aranha

Deve ter uma boa explicação
O que é que essas aranhas estão fazendo ali no chão
Uma em cima, outra embaixo
A cobra perguntando onde é que eu me encaixo?

É minha cobra...

Soltei a cobra e ela foi direto
Foi pro meio das aranha
Prá mostrar como é que é certo
Cobra com aranha é que dá pé
Aranha com aranha sempre deu jacaré

É minha cobra com aranha
É minha cobra com as aranha
Vem cá mulher...

É o rock das aranhas
É o rock das aranhas
Vem cá mulher deixa de manha
Minha cobra quer comer sua aranha

citadinokane disse...

Ei Fred!
Qualé a de bunda grande e pequenininha?! Tô curioso. Ainda mais que endurece a gente na hora.
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Ana,
Empatamos, gosto de mitologia, poesia e não tenho medo de aranha... Gostei da tua visita, já fui ao teu blog e comentei por lá também.
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Dono do bar,
Tens razão, há uns vinte e poucos anos atrás as aranhas eram mais cabeludas, consoante as afirmações de Raul Seixas...
As aranhas são misteriosas, vão tecendo a vida, e ai daqueles insetos que caiam em suas redes.
Um forte abraço irmão,
Pedro

citadinokane disse...

Dono do bar,
As aranhas de verdade que fiquem lá!
abs,
Pedro

citadinokane disse...

Lisânia,
Blog é cultura... ahahaha...

citadinokane disse...

Yúdice,
Então vamos lembrar de Fernando Pessoa e só.
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Teresa,
Siempre bienvinda!!!
Escritora a casa é tua.
Besos y abrazos,
Pedro

citadinokane disse...

Anônimo,
Para muitos é a pura verdade.
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Jade,
Fiquemos com o Fernando Pessoa, né?!
Bjs,
Pedro

citadinokane disse...

Lisânia,
Não existe buraco, somente abertura e pronto.
O que São Canindé fecha, Santo Antonio abre.
abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Lila,
Falaste poeticamente... Lindo!!!
Beijos,
Pedro