domingo, maio 06, 2007

Emoções buerianas...

Tenho o hábito de imprimir algumas mensagens enviadas por e-mail de amigos, como diria o Tico, amigos diletos, ah! como ele gosta da palavra dileto, mas deixemos de lado as preferências do velho e bom Futrika, voltando ao que estava falando antes, imprimo para ler com calma e guardar com carinho e patchouli numa caixa de madeira, parecida com um baú, só parecida, é uma caixa que falta pintar... Remexe papéis aqui, ali e... olha o que encontrei, o meu amigo Atayde, falando sobre uma notícia no jornal aqui de Belém e emocionado relatando a dedicatória feita para ele pelo Loco Bueres num livro de Augusto dos Anjos, um poeta maldito, apesar de ser dos Anjos...
Amigo Nilton, fiquei emocionado também, a vida depois dos 40, deixa a gente besta para garaio, emoções se assomam aos borbotões, o olhar embaçado com recordações recentes, vagueia procurando um ponto no horizonte imaginário, para firmar as recordações... Já prometi mil vezes para o crucifixo pendurado na parede do meu atelier que não beberia mais uísque escutando Lupicínio Rodrigues, a gente fica com um nó na garganta e na verdade a gente sente no peito um vazio... e lá estou com o Lupicínio na vitrola...
"Eu não sei se o que trago no peito/É ciúme, despeito, amizade ou horror/Eu só sinto que quando a vejo/Me dá um desejo de morte ou de dor."

Amigos quebrei o LP.

Agora quero compartilhar com todos as anotações feitas pelo valente Atayde:
"Assunto: Coisas do (e para o) Bueres.
Nobre parceiro.
Consta no "Jornal Pessoal" (Lúcio Flávio Pinto) dessa quinzena, na matéria "Memória do Cotidiano", a seguinte nota sobre - já imagino o bueres loco - CHICO BUARQUE DE HOLANDA. Ei-la : " O I Festival da Música Paraense foi realizado há 39 anos, exatamente em 6 de setembro de 1967, abrilhantado com a presença de Chico Buarque de Holanda, que já estourara na praça. Dentre as 25 músicas classificadas, havia duas do atual governador, Simão Jatene, na época exclusivo personagem do mundo artístico, como compositor, instrumentista e cantor : eram "Meu Regato", em parceria com Raimundo Gondim, e "Unificação", com Dennys. Quem mais conseguiu classificar músicas foram Paulo André e Ruy Barata, Marily velho (por onde andará a excelente pianista ?), João de Jesus Paes Loureiro, De campos Ribeiro e José Maria Vilar Ferreira. A final, com arquibancadas lotadas, foi no ginásio Serra Freire, do Clube do Remo (arc!!!!). Chico teve que ser conduzido até o palco, no meio da quadra, e devidamente apresentado ao violão. Estava um pouco além da octanagem adequada. Mas deu seu recado. E que recado."
OBS: O grifo é meu, o (arc!!!) também.
________________________
Essa é do Bueres.
Outro dia, procurando um livro em casa, entre as caixas em que ainda estão depositados, pois ainda não consegui arrumá-los decentemente por conta de não ter concluído o local onde pretendo alocá-los (um mezzanino), encontrei o livro "Toda a Poesia de Augusto dos Anjos", com estudo crítico de Ferreira Gullar, que me fora presenteado,em janeiro de 1997, pelo meu, pelo teu, pelo nosso amigo "Locobueres".
Eis a dedicatória : "Ao amigo irmão Nilton Atayde, cão de bar, cervejeiro visionário, poeta nato de olho arguto e boca de inferno, ofereço essa arma PODEROSA para quando de seus delírios, quem sabe, nas luas praianas das margaritas ou nas rodas de viola da Bodeguita (Mui bien acompanhado, é claro). Louco, você suba em dunas ou mesas, quebrando copos e garrafas com os pés, para delírio dos presentes e possa saudar seus companheiros com uma baforada de conhaque da poesia do Anjo(s). Seus amigos erguem um brinde a você !!!.
Belém, 17/01/97.
Eduardo Bueres."
----------------------------
Após a releitura eu fiquei emocionado novamente, não tanto pelos excessos do Bueres, mas por sentir que esse "cabôco" é singular, é uma das mais fantásticas pessoas que já conheci. Tantas outras demonstrações de carinho e amizade já foram demonstradas pelo Bueres a nós, seus amigos.
Levantemos um brinde ao Bueres.
Quanto a ti, Pedro, não menos amigo-irmão, um forte abraço.
Nilton Atayde
13/09/2006"

4 comentários:

Anônimo disse...

Gostei!

citadinokane disse...

Anônimo,
Muito louco o Bueres...

Anônimo disse...

Se já gostavamos cá deste ilustre cidadão planetariano, passamos agora admira-lo mais ainda. Pelo odor do senhorio de poesia que transparece em sua dedicatória, trata-se de uma reserva que precisamos tratar de descobrir. Parabens Senhor Bueres ! Cá estamos a aguardar. Nuno Setubal

citadinokane disse...

Nuno,
Essa reserva está quase para apodrecer... Mas, se pudesse preservaria essa pessoa.