sábado, maio 05, 2007

Morrer de amor

Andei me perguntando o quanto de amor nos falta... Meu coração respondeu pulsando forte: é necessário amar!
Hoje observei as pessoas acenando umas para as outras, e perguntei-me o quanto elas amam? Em descompasso meu coração respondeu: é urgente amar!
Aos amigos Ivan, Lidiane, Jade, Esfinge, Mari e todos que visitam o nosso barraco virtual, fica a mensagem de alguém que morre de amor...
Adotarei o amor (Kalil Gibran Kalil)

Adotarei o amor por companheiro
e o escutarei cantando,
e o beberei como vinho,
e o usarei como vestimenta.
Na aurora,
o amor me acordará e
me conduzirá aos prados distantes.
Ao meio dia,
conduzir-me-á à sombra das árvores
onde me protegerei do sol como os pássaros.
Ao entardecer conduzir-me-á ao poente,
onde ouvirei a melodia da natureza
despedindo-se da luz,
e contemplarei as sombras da quietude
adejando no espaço.
À noite,
o amor abraçar-me-á,
e sonharei com os mundos superiores
onde moram as almas
dos enamorados e dos poetas.
Na primavera,
andarei com o amor, lado a lado,
e cantaremos juntos entre as colinas;
e seguiremos as pegadas da vida,
que são as violetas e as margaridas;
e beberemos a água da chuva,
acumulada nos poços,
em taças feitas de narciso e lírios.
No verão,
deitar-me-ei ao lado do amor
sobre camas feitas com feixes de espigas,
tendo o firmamento por cobertor
e a lua e as estrelas por companheiras.
No outono,
irei com o amor aos vinhedos
e nos sentaremos no lagar,
e contemplaremos as árvores se despindo
das suas vestimentas douradas
e os bandos de aves migratórias
voando para as costas do mar.
No inverno,
sentar-me-ei com o amor diante da lareira
e conversaremos sobre os
acontecimentos dos séculos
e os anais das nações e povos.
O amor será meu tutor na juventude,
meu apoio na maturidade,
e meu consolo na velhice.
O amor permanecerá comigo até o fim da vida,
até que a morte chegue,
e a mão de Deus nos reúna de novo.

14 comentários:

Navi Leinad disse...

Pedro, ofereço a pintura "Amor", de Gibran.
http://www.lebanonpostcard.com/images/gibranpost/gibr3.jpg

Cris disse...

É por isso que eu te amo...sempre!

mil beijos.

Mari disse...

Pedro,

Amo amar...

Segredos da Esfinge disse...

Pedro,
Quando a morte me chamar quero estar amando e sobre meu corpo quero todas as violetas, margaridas e rosas.
Qye encantamento teria a vida sem amor? Seja ele fraternal, maternal ou de um casal. Mas que seja amor sempre.
Beijos

J@de disse...

"É o amor... que mexe com minha cabeça e me deixa assim..." hehehehe!!
Foi só prá implicar, porque depois de Gibran, eu não tinha mais o que falar...
Beijos!!

Mixikó disse...

Adorei Pedro...não conhecia...vou postá-lo no meu blog, com a tua devida autorização
Best

Anônimo disse...

Pedro, classifico-me como uma eterna apaixonada. A vida seria bem mais simples que conseguíssemos amar um pouco mais.
Beijos!
Eliete

citadinokane disse...

Ivan,
Já copiei.

citadinokane disse...

Cris,
Amamos a palavra que liberta e que cativa o nosso ser... Ah! os poetas são médiuns...

citadinokane disse...

Mari,
Amar amo...

citadinokane disse...

Esfinge,
Por favor 100 gramas de amor, embrulha que eu levo, quando a gente mistura com feijão e acrescenta arroz, é "bão" e muito simples, né?!

citadinokane disse...

Jade,
Fala-se com o olhar... ahahaha...

citadinokane disse...

Mixikó,
És do bem, pode postar como quiser, espalhe o amor por aí...

citadinokane disse...

Eliete,
Procuro amar de manhã, tarde e noite. Sem alardes, porque o amor quer assim e só.