domingo, julho 01, 2007

Vou para o meio de Lisboa...


É para ti Mixikó, e como gostas de Pessoa, aí embaixo o poeta vai para a tua Lisboa.

"Escrito num livro abandonado em viagem(Fernando Pessoa)
Venho dos lados de Beja.
Vou para o meio de Lisboa.
Não trago nada e não acharei nada.
Tenho o cansaço antecipado do que não acharei,
E a saudade que sinto não é nem no passado nem no
[futuro.
Deixo escrita neste livro a imagem do meu desígnio
[morto:
Fui, como ervas, e não me arrancaram."

20 comentários:

Paola Vannucci disse...

Paola,
Infelizmente não poderás beber o Periquita, porquê?
Simplesmente, no teu caso, o líquido vermelho pode destrancar a caixa de Pandora e aí... Ai Jesus! Sai de perto, aí ninguém segura o Brasilsilsilsil... ahahaha... te peguei, né?!
Beijos,
Pedro

-----------------------------------

Respondendo Nelito,

Não tenho resposta

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Poxa adoro liquidos vermelhos, hummmmmmmmmmmmm

-----------------------------------
Bom a Matinha manda muito mal, acho que ela precisava de uma Periquita para sair logo da politica, o mulé sem nexo, viajandona.....

Mas meu livro de cabeceira é: O eu profundo e os outros eus, ganhei num concurso de redação da escola......

Nlito tenho muita saudades da vc aparecer em minha casinha e me oferecendo um pao de queijo para comer e tomar junto do meu chocolate quente........

Tem poemas, tem artigos, tem novidades.......

Boa semana

Bjsssssssssssss

Lorita disse...

Lisboa, ó Lisboa querida!
Nunca fui lá, mas isso é coisa de tempo! rs...

Pedro, vc é de onde heim?

Bjm

citadinokane disse...

Paola,
Todas as vezes que tento entrar pelo meu pc, aparece uma mensagem e desconecta da rede o pc.
Apesar de tudo isso, vou lá de novo, ok?!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Lorita,
Soy de Belém, bem pertinho do teu lugar, né?!
Beijos,
Pedro

Paula Estrela disse...

Pedro,

...já tentei comentar aqui, mas não consigo ..."as forças do universo" sempre conspiram contra...rs

Obrigada, de coração, por todos os elogios de ordem "mineral, animal e vegetal" que fizeste ao meu blogg e a minha pequena pessoa :))))

Aguardo sempre sua visita!

Bjos!!

P.s: Se os deuses da internet deixarem, vou ver se linko você ainda hj! kkkkkkkk

Paola Vannucci disse...

NELITO

ENTRE PELO OUTRO PC

BEIJOS

Tozé Franco disse...

Até com Fernando Pessoa vem à baila o Periquita. Naquela altura era mais absinto.
Um abraço.

Lu Rosário disse...

Não conheço Lisboa, mas um dia visitarei esta belíssima cidade e...João Pessoa é um excelente poeta. Adoro ler seus poemas.

Beijos.

Paola Vannucci disse...

Nelitou vc entrou pela tangente que legal.....

é verdade meu amigo essa questão da mulher e sua auto desvalorização me dana e muito, nao posso, nao devo e nem me calo

que bom que tomou do meu café

vc leu o poema da postagem anterior? rsrs

boa semana meu amigo

Bjs
Paola

Nilza disse...

Oi..Pedro!

Fernando Pessoa, sem igual.
Vc ainda não foi receber sua estatueta..estou esperando

Beijos e bom dia!!

Mixikó disse...

Olá Pedro...
Gostei muito...obrigada.
Para mim FERNANDO PESSOA será sempre...PESSOA.

Adoro Pessoa,adoro EÇA de Queiroz e adoro Mário de Sá-Carneiro

E a propósito de Ma´rio de Sá-Carneiro deixo-te este QUASE maravilhoso:

Quase

Um pouco mais de sol - eu era brasa,
Um pouco mais de azul - eu era além.
Para atingir, faltou-me um golpe de asa...
Se ao menos eu permanecesse aquém...

Assombro ou paz? Em vão... Tudo esvaído
Num grande mar enganador de espuma;
E o grande sonho despertado em bruma,

O grande sonho - ó dor! - quase vivido...
Quase o amor, quase o triunfo e a chama,
Quase o princípio e o fim - quase a expansão...
Mas na minh'alma tudo se derrama...

Entanto nada foi só ilusão!
De tudo houve um começo ... e tudo errou...
- Ai a dor de ser - quase, dor sem fim...

Eu falhei-me entre os mais, falhei em mim,
Asa que se enlaçou mas não voou...
Momentos de alma que, desbaratei...
Templos aonde nunca pus um altar...
Rios que perdi sem os levar ao mar...
Ânsias que foram mas que não fixei...

Se me vagueio, encontro só indícios...
Ogivas para o sol - vejo-as cerradas;
E mãos de herói, sem fé, acobardadas,
Puseram grades sobre os precipícios...

Num ímpeto difuso de quebranto,
Tudo encetei e nada possuí...
Hoje, de mim, só resta o desencanto
Das coisas que beijei mas não vivi...

Um pouco mais de sol - e fora brasa,
Um pouco mais de azul - e fora além.
Para atingir faltou-me um golpe de asa...
Se ao menos eu permanecesse aquém...

Mário de Sá-Carneiro

Mixikó disse...

Ah...e por falar em LISBOA,deixo-te esta música divinal na voz de Carlos do Carmo:
Amoooooooooooooo:

Gaivota


SE UMA GAIVOTA VIESSE
TRAZER-ME O CÉU DE LISBOA
NO DESENHO QUE FIZESSE
NESSE CÉU ONDE O OLHAR
É UMA ASA QUE NÃO VOA
ESMORECE E CAI NO MAR

QUE PERFEITO CORAÇÃO, NO MEU PEITO BATERIA
MEU AMOR NA TUA MÃO, NESSA MÃO ONDE CABIA
PERFEITO O MEU CORAÇÃO

SE UM PORTUGUÊS MARINHEIRO
DOS SETE MARES ANDARILHO
FOSSE, QUEM Sabe, o primeiro
A contar-me o que inventasse
Se um olhar de novo brilho
Ao meu olhar se enlaçasse

QUE PERFEITO CORAÇÃO, NO MEU PEITO BATERIA
MEU AMOR NA TUA MÃO, NESSA MÃO ONDE CABIA
PERFEITO O MEU CORAÇÃO

Se ao dizer adeus à vida
As aves todas do céu
Me dessem na despedida
O teu olhar derradeiro
Esse olhar que era só teu
Amor, que foste o primeiro

QUE PERFEITO CORAÇÃO, NO MEU PEITO BATERIA
MEU AMOR NA TUA MÃO, NESSA MÃO ONDE CABIA
PERFEITO O MEU CORAÇÃO

citadinokane disse...

Paula,
Os elogios foram merecidos, ok?!
E o universo conspira a nosso favor, acredite!
Beijos

citadinokane disse...

Paola,
Entrei...

citadinokane disse...

Tozé,
Sério. No meu gosto e prazer, Fernando Pessoa e um Periquita, relax certo...

citadinokane disse...

Lu,
Quero pisar as ruas de Lisboa ano que vem...

citadinokane disse...

Paola,
Leio tudo. Até instrução para sobreviver na selva... rsrsrs...

citadinokane disse...

Nilza,
Adorei a indicação e já peguei a estatueta.
Mas, é claro que irei te visitar.
Beijos

citadinokane disse...

Mixikó,
Me deste uma pérola de poeta, já anotei o nome, viu?!
Tua visita é cheia de luz.
Bela poesia, minha amiga.
Beijos

citadinokane disse...

Mixikó,
"QUE PERFEITO CORAÇÃO, NO MEU PEITO BATERIA
MEU AMOR NA TUA MÃO, NESSA MÃO ONDE CABIA
PERFEITO O MEU CORAÇÃO"
Pura emoção portuguesa, sinto que és feita disso, não?!
Abraços que a gaivota há de levar para além-mar...
Pedro