sexta-feira, agosto 17, 2007

Cumplicidade

O meu querido amigo Osvaldo Jr.(foto), também enviou-me e-mail, preocupado com o "moralismo" da direita, coisa que o Marcelinho já havia comentado, alertando sobre os golpistas de plantão. Osvaldo juntou o texto de Fernando Veríssimo, é bom refletir...
"Pedro,
li o texto abaixo.
Muito interessante.
Abraços
Ontem, ao final da tarde, fomos ao Ver-o-Peso, e presenciamos, com muita cerveja, dois espetáculos da natureza: um, o Pôr-do-Sol, belíssimo às margens da baía do Guajará; dois, o passeio de dois botos, em inacreditável poluição da baía e o trânsito, intenso, de embarcações.
Estou sendo injusto com um animal, o Urubu do Ver-o-Peso. Ele também estava por lá, justiça seja feita: não obstante repugnante à percepção superficial, aquela ave desempenha uma função ecológica importante.
Osvaldo Guimarães"
CUMPLICIDADE (Luís Fernando Veríssimo)
Uma comprida palavra em alemão (há uma comprida palavra em alemão para tudo) descreve a "guerra de mentira" que começou com os primeiros avanços da Alemanha nazista sobre seus vizinhos. A pouca resistência aos ataques e o entendimento com Hitler buscado pela diplomacia européia mesmo quando os tanques já rolavam se explicam pelo temor comum ao comunismo.
A ameaça maior vinha do Leste, dos bolcheviques, e da subversão interna. Só o fascismo em marcha poderia enfrentá-la. Assim, muita gente boa escolheu Hitler como o mal menor. Ou, comparado a Stalin, o mau menor. Era notório o entusiasmo pelo nazismo em setores da aristocracia inglesa, por exemplo, e dizem até que o rei Edward VIII foi obrigado a renunciar não só pelo seu amor a uma plebéia, mas pela sua simpatia à suástica.
Não tardou para Hitler desiludir seus apologistas e a guerra falsa se transformar em guerra mesmo, todos contra o fascismo. Mas, por algum tempo, os nazistas tiveram seu coro de admiradores bem-intencionados na Europa e no resto do mundo — inclusive no Brasil do Estado Novo. Mais tarde estes veriam, em retrospecto, do que exatamente tinham sido cúmplices sem saber. Na hora, aderir ao coro parecia a coisa certa.Comunistas aqui e no resto do mundo tiveram experiência parecida: apegarem-se sem fazer perguntas ao seu ideal, que, em muitos casos, nascera da oposição ao fascismo, mesmo já sabendo que o ideal estava sendo desvirtuado pela experiência soviética, foi uma opção pela cumplicidade.
Fosse por sentimentalismo, ingenuidade ou convicção, quem continuou fiel à ortodoxia comunista foi cúmplice dos crimes do stalinismo. A coisa certa teria sido pular fora do coro, inclusive para preservar o ideal.
Se estes dois exemplos ensinam alguma coisa é isto: antes de participar de um coro, veja quem estará do seu lado. No Brasil do Lula, é grande a tentação de entrar no coro que vaia o presidente. Ao seu lado no coro poderá estar alguém que pensa como você, que também acha que Lula ainda não fez o que precisa fazer e que há muita mutreta a ser explicada e muita coisa a ser vaiada. Mas olhe os outros.
Veja onde você está metido, com quem está fazendo coro, de quem está sendo cúmplice. A companhia do que há de mais preconceituoso e reacionário no país inibe qualquer crítica ao Lula, mesmo as que ele merece.
Enfim: antes de entrar num coro, olhe em volta.

10 comentários:

Tozé Franco disse...

Já voltei, embora temporariamente, e já postei qualquer coisa.
Parabéns pela escrita. Foi muito o que tive de ler, pois a produção foi muita durante a minha ausência.
Um abraço.

crisblog disse...

"Olhe para os lados"...sempre tem alguma coisa...

Reflita. É isso !

Os olhos são ferramentas do cérebro, também !

Então...alimente-o com conhecimento e aplique "sabedoria" !

Só a inteligência não basta !

Beijos, Pedrão, te amo !

carla granja disse...

olá! entrei no teu blog e aki caí,agora me machuuei e tens k vir cuidar de mim :) tou brincando. se kiseres conhecer o meu blog k é feito com poemas de minha autoria.não precisa vires de avião,pagar passagemetc :) é só vires a http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt
e já cá estás.
um bom domingo para ti e um bjo
carla granja

citadinokane disse...

Tozé,
Que férias maravilhosa, hein?!
Praia das caraíbas e etc...
Volte com toda a disposição para fazer os seus amigos e a blogosfera felizes.
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Cris,
Como diria aquela propaganda do Gelol - "não basta ser pai, tem que participar"...
Todos os sentidos atentos, né?!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Carla,
Muito obrigado por visitar-me.
É claro que irei retribuir a tua visita.
Beijos,
Pedro

Patrícia Gabriela disse...

"antes de entrar num coro, olhe em volta"

Com certeza haverá mais coisas q vc ainda não percebeu ou entendeu.

O.O

Anônimo disse...

Po Gente , preconceito de vcs .
Mó barato a gente com o ...Aguinaldo Rayol , .... João Dória Jr. , Hebe Camargo ( quem sabe ela não leva o Maluf , num movimento pela ética , tudo a ver né não?) , Ivete Sangalo ..... Quem mais ????
Cara , o Lula realmente não tem oposição e aí também se aproveita e deita e rola , sim senhor , viu sr. grande escritor mas petista oblíquo Veríssimo. E cuidado , temos que ter tb,pq as vezes parece que ao fazermos críticas ao Lula nos torna imediata e automaticamente : reacionários , direitistas .Não é assim não , Sr Veríssimo.Esse tipo de pensamento das "esquerdas" puras já foi responsável por muitas cagadas históricas tb.
Tchau
Tadeu

citadinokane disse...

Gabi,
É pra olhar mesmo.
bjs,
Pedro

citadinokane disse...

Tadeu,
Também tenho grandes preocupações com o "esquerdismo", todo extremismo é preocupante, porquê?
Acabam produzindo "muitas cagadas"...
Como sou "budista", escolho o caminho que possibilita o equilíbrio...