quinta-feira, agosto 02, 2007

Tese de Binelli, uísque, neurônios e o escambau!

A colega de trabalho Érica Santos, enviou-me um artigo que saiu numa revista científica(ela jura que saiu), é uma tese... Mais conhecida como "Tese de Binelli".
Vamos entender a dita tese... Abaixo as linhas enviadas pela Érica:
"Quando uma manada de búfalos é caçada, só os búfalos mais fracos e lentos, em geral doentes, que estão atrás do rebanho são mortos.Essa seleção natural é boa para a manada como um todo, porque aumenta a velocidade média e a saúde de toda a manada pela matança regular dos seus membros mais fracos.
De forma parecida opera o cérebro humano: beber álcool em excesso, como nós sabemos, mata neurônios, mas, naturalmente, ele ataca os neurônios mais fracos e lentos primeiro.
Neste caso, o consumo regular de cerveja, aguardente, whisky, vinho, rum, vodka, elimina os neurônios mais lentos, tornando o cérebro uma máquina mais rápida e eficiente.
E mais: 23% dos acidentes de trânsito são provocados pelo consumo de álcool. Isto significa que os outros 77% dos acidentes são causados pelos energúmenos que bebem água, sucos, refrigerantes ou outra porcaria qualquer!!!
Colabore!!!
VÁ JÁ PRO BOTECO!!!"

Considero que todo excesso será castigado... Por isso, é bom lembrar, se for dirigir não beba!

4 comentários:

Patrícia Gabriela disse...

"Se for dirigir não beba! Se for beber me chama!" kkkkk... =P

Bom, eu achei a tese um tanto quanto aproveitadora, acho q quem a produziu deve gostar de beber e estava atrás de uma desculpa científica para isso,kkkk...

Beijos^^

=***

citadinokane disse...

Alô Gabi! Vou beber um "Periquita", e aí?! Ahahaha...
Beijos,
Pedro

Osc@r Luiz disse...

ABSTRACT
Apóio todo conhecimento científico produzido.
Vou procurar mais argumentos que venham a corroborar com a tese em questão.
CONCLUSÃO
A nobre colega que se importou em testar essa hipótese deve hoje estar em coma alcoólica e se é sua amiga deveria tentar ajudá-la.
AGRADECIMENTOS
Um abraço.

citadinokane disse...

Oscar,
Não posso ajudá-la!
Não percebeste, que ela é louca por "algo mais forte"?!
Abraços,
Pedro