domingo, setembro 16, 2007

Por quem merece amor... de verdade!


Volto a publicar sobre o poeta da revolução cubana - Silvio Rodriguez, resgato letra e música belíssimas, alguém consegue falar de amor despindo-se de todas as conveniências e imposições sociais, e como Silvio me emociona pela pureza de sentimentos... Num mundo globalizado, onde o capital e os interesses de mercado falam mais alto, eis uma voz rompendo e apontando uma outra direção...
Antes que venham falar que estou "jogando para a torcida", antecipo-me, faço minha as palavras de Jards Macalé e que Zeca Baleiro repete em gravação com Gal Costa em Vapor Barato: "Eu não preciso de muito dinheiro(graças a Deus!)". Consigo pagar minhas contas, e ainda sobra um trocado para os meus cd's e livros, e o melhor, me sinto em paz comigo mesmo... não compro alpiste de passarinho porque está em promoção, não tenho passarinho e nem impulso consumista, ok?! Faço só aquilo que o meu parco recurso permite, não sou revoltado por isto, e só mais uma coisinha - ninguém vai me tirar o direito de sonhar!
E como não sonhar escutando Por Quem Merece Amor??? Na voz de Miltinho do MPB4, a música data dos anos 80, e fala muito...
POR QUEM MERECE AMOR
“Te perturba esse amor? amor de juventude,
Meu amor é amor de virtude.
Te perturba esse amor? sem máscaras por trás,
Meu amor é uma arte de paz.
Te perturba esse amor? amor de humanidade,
Esse amor, é amor de verdade.
Te perturba esse amor? com todos ao redor,
Meu amor é uma arte maior.
Meu amor, minha prenda encantada,
Minha eterna morada, meu espaço sem fim.
Meu amor não aceita fronteira,
Como a primavera não escolhe jardim.
Meu amor não é amor de mercado,
Esse amor tão sangrado, não se tem pra lucrar.
Meu amor é tudo quanto tenho,
E se eu vendo ou empenho, pra que respirar?!
¿Te molesta mi amor? amor de juventud,
Y mi amor es un arte em virtud.
¿Te molesta mi amor? mi amor sin antifaz,
Y mi amor es un arte de paz.
¿Te molesta mi amor? mi amor de humanidad,
Y mi amor es un arte e su edad.
¿Te molesta mi amor? mi amor de surtidor,
Y mi amor es um arte mayor.
Meu amor, alivia e acalma,
É o remédio da alma pra quem quer se curar.
Meu amor é humilde, é singelo...
E o destino mais belo, é torná-lo maior.
Meu amor, o mais apaixonado
Pelo injustiçado, pelo mais sofredor...
Meu amor abre o peito pra morte
E se entrega pra sorte por um tempo melhor.
Meu amor, esse amor destemido,
Arde em fogo infinito:
Por quem merece amor.

6 comentários:

crisblog disse...

Caramba...que lindo mi amor !

Besos.

tadeu disse...

Caramba....que lindo meu camarada!
Bjs Cris e Monsenhor
Tadeu

citadinokane disse...

Cris,
Silvio Rodriguez ao falar de amor põe o "mercado" numa sinuca-de-bico, não?!

citadinokane disse...

Tadeu,
Caramba hermano!
Considero uma poesia belíssima.

Marcelo disse...

Pedro,

Prazer em conhecer. Me torno, deste momento em diante, fã do teu blog, pois grata é a surpresa de ver admiradores de Sílvio Rodriguez, a quem curto desde a década de 80, neste site. Parabéns pelo bom gosto e não permitas que te corrompam com o mau gosto que singra pelos mares hoje navegados, ou seja, não permita que sejam inseridos em teu site coisas de gosto mau ou duvidoso. Mantenha essa qualidade e manterás os admiradores. Me fizeste ter a vontade de abrir um blog também. Mais uma vez, parabéns.

Marcelo Avila

citadinokane disse...

Marcelo,
O prazer é todo meu, apesar de não ter mais o tempo que tinha antes para postar, continuo insistindo com o blog por se constituir um meio para compartilhar emoções e utopias... Obrigado por ter entrado sem bater e sem fazer alarde, pode voltar quantas vezes quiser, não tem porta e nem tramela... a casa é tua meu irmão!
Abraços,
Pedro