sexta-feira, outubro 19, 2007

Há vida...

Mas há a vida (Clarice Lispector)

Mas há a vida
que é para ser
intensamente vivida,
há o amor.
Que tem que ser vivido
até a última gota.
Sem nenhum medo.
Não mata.

20 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

Depois vc ainda espera que o coração agunete fortes emoções!!!!
Bjo

Cris Moreno disse...

ai...ai...

Beijos.

citadinokane disse...

Beija-flor,
E resistirá siempre!

citadinokane disse...

Cris,
Eu e o Oscar ficamos esperando por ti... Esperando Godot...

Osc@r Luiz disse...

Pedro, meu irmão querido,

Não poderia ter tido um anfitrião melhor e mais dedicado.
Conhecer os amigos virtuais já é por si só ótimo, mas superar em muito as expectativas não deve ser assim tão comum.
Ainda melhor do que ter estado no Pará, foi ter estado no Pará em companhia de Pedro Nelito!
Me proporcionou momentos que jamais vou esquecer, como aquela cerveja de bacuri da foto, que amanhã pretendo em post começar a explicar aos amigos...
Agora é Cuiabá que está de portas abertas pra tentar retribuir pelo menos uma parte da hospitalidade que me proporcionou.
Você é primeiro amigo que sai do meu mundo virtual e entra para a história dos meus amigos reais.
Muito obrigado por tudo, meu irmão.
Seja bem vindo a Cuiabá, quando quiser!
Grande abraço com saudades!

Renata Emy disse...

Pedro querido,

Tem presentinho p/ vc em meu blog, passa lá!

Bjus

Patrícia Gabriela disse...

A Clarice sempre perfeita!

E vivendo o q é para ser vivido realmente não se morre, e caso venha a morrer será com bastante felicidade ;)

Imagem de uma nudez sem vulgaridade, aprecio isso!

Beijos^^

Kiara Guedes disse...

Tenho medo é de um dia morrer de tédio...deve ser assim os que vivem sem morrer de amor. Ah, Clarice...sempre ela...

Lidiane disse...

Não conhecia esse texto.

Beijos.

Amanda_Bia disse...

e eu preciso me lembrar disso!
mas que foto sexy!
beijos!

citadinokane disse...

Oscar,
E Cuiabá não tardará...
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Renatinha,
Vou passar lá...
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Gabi,
Para viver sempre!
Beijos

citadinokane disse...

Kiara,
Amor não mata.
Viver até a última gota...
O pulso ainda pulsa...
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Lidiane,
Mas há a vida, né?!

citadinokane disse...

Bia,
Foto insinuante...

Edyr Augusto disse...

Se as mulheres soubessem o quanto ficam sexy deixando sem raspar os pelos pubianos..
Abaixo os bigodinhos!
Abs

citadinokane disse...

Edyr,
Concordo contigo, bem natural e provocante... o resto é com a imaginação, né?!
abraços

Mixikó disse...

Adorei...o amor não mata...todos devíamos de ser metade amor...e a outra metade também...Deixo-te com:

Oswaldo Montenegro

Metade

E que a força do medo que tenho, não me impessa de ver o que anseio.
Que a morte de tudo o que acredito não me tape os ouvidos nem a boca
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.
Que a música que eu ouço ao longe, seja linda, ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada mesmo que distante
Porque metade de mim é partida e a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece, nem repetidas com fervor,
apenas respeitadas, como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo
Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tenção que me corroe por dentro seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso e a outra metade é um vulcão
Que o medo da solidão se afaste, que convive comigo mesmo, se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto, um doce sorriso, que me lembro ter dado na infância
Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade eu não sei
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço
Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer
Porque metade de mim é a platéia, e a outra metade é canção
E que a minha loucura seja perdoada,
Porque metade de mim é amor, e a outra metade...
também.

citadinokane disse...

Mixikó,
Adorei! Já conhecia esse texto do Oswaldo e vou publicar... Incrível que lendo novamente, senti atravessar pelo meu corpo uma energia maravilhosa, carregada de emoções contidas e não ditas...
Obrigado por lembrar-me dessa outra metade, oculta, silente...
Beijos,
Pedro