terça-feira, novembro 06, 2007

Costela de Tambaqui 2

Como ficaram algumas dúvidas com relação ao post "Costela de Tambaqui", para que os amigos Tozé e Mixikó possam compreender melhor a minha inesquecível "costela", resolvi pesquisar e escrever sobre o Tambaqui. Vamos lá:
TAMBAQUI
Nome Científico: Colossoma Macropomum.
Local de Origem: América do Sul – Bacia do Rio Amazonas
Generalidades: É o segundo maior peixe de escamas no Brasil (o primeiro é o pirarucu), podendo atingir até 55 Kg. No ambiente natural alimenta-se de frutos, folhas e caules. Esta espécie apresenta bom desempenho em cultivo, principalmente em regiões de clima quente. O cruzamento do macho do Pacu com a fêmea do Tambaqui produz o Tambacu, um híbrido interessante para o cultivo.
Fonte: Internet


Acima as imagens do Tambaqui exuberante, carne saborosa, pode ser preparada na brasa, verdadeiro churrasco de peixe, ou levada ao forno, a costela é enorme... Encontrei na internet o site do João Nunes que mostra um churrasco de Tambaqui, as imagens abaixo foram retiradas de lá, o melhor é visitá-lo, ok? Clica aí ao lado - http://joaonunes.com/category/culinaria/




Direto do Pará, o chef Paulo Martins do Restaurante "Lá em Casa" sugere para aqueles que pretendem servir uma ceia realmente diferente no revellion. O ingrediente principal são as costeletas de tambaqui (peixe de água doce, comum nos rios da Amazônia). O rendimento é suficiente para quatro pessoas e a execução está dentro do orçamento de R$ 150,00.

Tambaqui à revellion
Ingredientes:
8 costeletas de tambaqui
24 unidades de pupunhas (o fruto da palmeira pupunheira)
24 unidades de fruta-pão de caroço ou castanha portuguesa
24 unidades de castanha-do-pará
2 cebolas médias
A gosto temperos verdes (alfavaca, chicória e cheiro-verde)
2 pimentas-de-cheiro
3 limões
7 dentes de alho
250g de farinha d'água de mandioca
150g de manteiga
1/2 copo de vinho branco
A gosto leite de coco, leite em pó, farinha de trigo, azeite de oliva e sal
A gosto tapereba e acerola
Preparo das costeletas:
Lave as costeletas com bastante água fria corrente e dois limões. Com um limão, 3 dentes de alho, a pimenta-de-cheiro, o vinho branco, água, sal e azeite a gosto, prepare um vinha-d'alhos. Deixe as costeletas em vinha-d'alhos pelo menos por seis horas. Escorra e seque bem as costeletas. Passe cada costeleta levemente na farinha de trigo e leve-as à chapa bem quente com um pouco de azeite para achurrascar, virando de vez em quando até ficarem douradas.
Preparo da farofa de castanha, fruta-pão de caroço e cheiro-verde:
Corte a castanha-do-pará e a fruta-pão em pedacinhos bem pequenos. Em uma caçarola com azeite e manteiga refogue o alho, a cebola e os temperos verdes, todos cortados bem miudinho, a pimenta-de-cheiro inteira (dá gosto sem arder) e sal a gosto. Quando começar a dourar, retire a pimenta-de-cheiro e acrescente o leite de coco, água, farinha de mandioca e a manteiga. Mexer e remexer.
Preparo do purê de pupunha:
Em uma caçarola com bastante água e sal cozinhe as pupunhas, escorra e descasque. Em um processador de alimentos, faça um purê de consistência mole com manteiga, leite e 20 pupunhas. Pique as quatro pupunhas restantes até ficarem como farinha para decorar o prato.
Preparo da fruta-pão de caroço: Em uma caçarola com bastante água e sal cozinhe a fruta-pão, escorra e descasque.

6 comentários:

Tozé Franco disse...

Ora aí está um motivo para ir ao Brasil: comer uma costela de peixe....
Vamos lá ver se é agora....
Um abraço.

citadinokane disse...

Tozé,
Meu amigo estamos te esperando com o coração e os braços abertos... E vamos, com certeza, comprar muitos Tambaquis... ahahaha...
Um forte abraço,
Pedro

Mixikó disse...

eh páaaaaaaaaaaaaaa...Pedro...não posso esquecer esse nome...parece um manjar dos deuses...

citadinokane disse...

Mixikó,
É uma delícia...

Yúdice Andrade disse...

Maravilha, Pedro. Tambaqui é o meu peixe amazônico favorito. Deu uma vontaaade...

citadinokane disse...

Yúdice,
A vontade de degustar uma costela de tambaqui... huumm... eu topo!!!