quinta-feira, novembro 29, 2007

Nosso cárcere...

"A sociedade não só controla nossos movimentos, como ainda dá forma à nossa identidade, nosso pensamento e nossas emoções. As estruturas da sociedade tornam-se as estruturas da nossa própria consciência. A sociedade não se detém à superfície de nossa pele. Ela nos penetra, tanto quanto nos envolve. Nossa servidão para com a sociedade é estabelecida menos por conquista que por conluio. Às vezes, realmente, somos esmagados e subjugados. Com freqüência muito maior caímos na armadilha engendrada por nossa própria natureza social. As paredes de nosso cárcere já existiam antes de entrarmos em cena, mas nós a reconstruímos eternamente. Somos aprisionados com nossa própria cooperação."(Peter Berger in Perspectivas Sociológicas, Editora Vozes, p.136, 1978)

12 comentários:

Xico Rocha disse...

Querido amigo, Michel Foucault que o diga. Seu dispositivo panóptico está no nosso dia-a-dia
Abraços
Xico Rocha

Lilian Haber disse...

Super sábio querido Pedro, estou encarcerada. Quem tem a chave?

citadinokane disse...

Xico,
Estás lendo "Vigiar e punir", né?
Esse é o bom e velho Xico estudioso.
Abraços irmão,
Pedro

citadinokane disse...

Lilian,
A chave está contigo. Queres te libertar?

Cleopatra disse...

Só nos deixamos aprisionar se quisermos...Mas creio que todos temos as chaves agora é só abrir a porta...

Bom texto....

Bjo!!!!!

Xico Rocha disse...

Companheiro, estou lendo a verdade do Foucault.
Abraços
Xico Rocha

citadinokane disse...

Cleo,
Agora quem se habilita a abrir a porta, hein?!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Xico Rocha é cultura!

Lilian Haber disse...

Porta aberta; preciso de ar puro.

Tânia Defensora disse...

Oi Citadino Kane!
Muito bom esse post.
Te linkei!
Beijos

citadinokane disse...

Lilian,
Abra primeiro as janelas...

citadinokane disse...

Oi Tânia!
Vou te visitar agora mesmo.
Beijos,
Pedro