quinta-feira, dezembro 13, 2007

Salvador Dalí e os loucos

"A minha única diferença em relação a um homem louco é que eu não sou louco!" (Salvador Dalí)

Com sua pintura surrealista, Salvador Dalí transmite na forma pictórica a mais pura poesia, é impossível não enlouquecer de satisfação diante das imagens que são reveladas pelo pincel do louco Dalí, as cores vivas, os temas, o humano em completa harmonia com a natureza, o poeta pintor insistindo em mostrar que tudo está interligado... somos o rio que passa, o vento que sobra, a chuva que cai, a onda que envolve os amantes, pernas, braços, corpos se confundindo com a própria natureza, somos nós... Ah, benditos loucos!!!
Para dar o fecho nesse post de louco, fica a composição dos Mutantes, uma banda brasileira que participou nos anos 70 do movimento capitaneado por Caetano Veloso - o Tropicalismo. E tô mandando essa pedra para os amigos locos: Duda Bueres, Nilton Atayde, Xico Rocha, Rogério Friza, Wanderlei Ladislau, Tadeu Schumann... Prestem atenção! Aí estão os loucos, todos loucos por loiras geladas!

Balada do Louco (Arnaldo Baptista/Rita Lee)
Dizem que sou louco por pensar assim
Se eu sou muito louco por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Se eles são bonitos, sou Alain Delon
Se eles são famosos, sou Napoleão
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Eu juro que é melhor
Não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu
Se eles têm três carros, eu posso voar
Se eles rezam muito, eu já estou no céu
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Eu juro que é melhor
Não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu
Sim sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, eu sou feliz!

2 comentários:

Mixikó disse...

lindooooooooooooo...

citadinokane disse...

Mixikó,
Loucura total...