quinta-feira, janeiro 17, 2008

Nosso estranho amor...

A voz de Marina Lima deliciosamente derramada em meus ouvidos, marcava e dava um fecho numa relação, mais um flerte, algo mal resolvido, cheio de reticências e interrogações... A testosterona implacável, como a juventude, percorria cada milímetro do meu corpo, e quiçá, até o branco dos meus olhos... Esta substância envolvia não só o meu corpo, mas a minha alma, não esqueçam! Eu era apenas um baby búfalo marajoara, néscio na arte do amor... [Locobueres se estiver lendo vai abrir um largo sorriso, pode rir mermão! não tô nem aí!] Amores não correspondidos era um peso em tenra idade, mas, constituiu-se no aprendizado necessário para uma maturidade tranqüila; naquela época, os afetos eram urgentes, carícias pudicas e um coração com os pés-fora-do-chão... Ela uma mulher bela, um sorriso lindo e o olhar enigmático... Quando nos despedimos para sempre, em nossos corações! Marina e Caetano faziam o dueto abaixo, a minha relação estranha e a música de Caetano deixaram marcas indeléveis no meu pobre coração... Por onde anda a bela mulher de olhar enigmático? É médica em São Paulo, e cada um pro seu lado e assim foi.[será que ela irá ler? acho que não!]


Nosso Estranho Amor (Caetano Veloso)

Não quero sugar
Todo seu leite
Nem quero você enfeite
Do meu ser
Apenas te peço
Que respeite
O meu louco querer...

Não importa com quem
Você se deite
Que você se deleite
Seja com quem for
Apenas te peço que aceite
O meu estranho amor...

Deixa o ciúme chegar
Deixa o ciúme passar
E sigamos juntos...

Deixa eu gostar de você
Prá lá do meu coração
Não me diga nunca não...

Seu corpo combina
Com meu jeito
Nós dois fomos feitos
Muito prá nós dois
Não valem dramáticos efeitos
Mas o que está depois...

Não vamos fuçar
Nossos defeitos
Cravar sobre o peito
As unhas do rancor
Lutemos, mas só pelo direito
Ao nosso estranho amor...

Deixa o ciúme chegar
Deixa o ciúme passar
E sigamos juntos...

16 comentários:

Kaká disse...

AMOOO Marina Lima.

Nem precisa falar mais nada.

Beijo

citadinokane disse...

Kaká,
É verdade!
Beijos,
Pedro

Codinome Beija-Flor disse...

Simplesmente Lindo.
Bjo

Lia Noronha disse...

Já curti muito dor de cotovelo ao som do bolachão da Marina que comprei...no meu primeiro emprego...tempo bom!
Abraços e obrigada pelo carinho no meu Cotidiano.

Paloma disse...

Ah, gosto mesmo da voz rouca da Marina! A minha preferida é a mesma da minha adolescência, adoraria ter a voz certa para cantar: " eu tenho febre, eu sei...é um fogo leve que eu peguei do mar ou de amar, não sei. Mas deve ser da idade..."
Ah, e sou uma das muitas amantes de poesia que há nesse mundo, amante e amada.
Beijos!

Anônimo disse...

Tinha acabado de chegar de Belém e de me separar de uma das minhas grandes paixões a bela paraense Lena e assim que nem a Lia de aí de cima tinha uma bolacha dessas e me derramava em lágrimas ao som , lindo som desse som.
estranho amor e seguimos....
Abs
Tadeu

Patrícia Gabriela disse...

Quem nunca chorou ao escutar essa música? Acredito q todos já tenham tido um amor não correspondido, e se não, deveria ter. Não a nada mais belo do quê amar sozinho, sei q parece triste, mas é quando o ser humano aprende q sentimentos nem sempre precisam ser correspondidos para existirem.

Adoro essa passagem: "Nem quero você enfeite
Do meu ser"

Amigo, deixei um presentinho para vc no meu blog, passa lá depois,ta?

Beijos!!!

barb michelen disse...

Hi again, see tthis is the site i told you i signed up to. It has some nice information about how to make money using OPP, i think you might find it interesting. here it is. bye!

Amanda Bia disse...

toda linda relação, mesmo que não tenha durado é lembrada ao som de uma música! é essa foi muito bem escolhida!
beijos!

citadinokane disse...

Beija-flor,
Concordo contigo, é belo mesmo!

citadinokane disse...

Lia,
Ainda hoje guardo e coleciono os bolachões, eles carregam uma carga pesada das minhas melhores recordações... por isso nunca abri mão deles.
Beijos e continuarei indo ao Cotidiano,
Pedro

citadinokane disse...

Paloma,
Que bom ser amante e amada e com poesia... amar é bão demais!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Tadeu,
Pô mermão! Vê se não some, hein?!
Tava com saudades de ti!
Voltaste em alto estilo, lembrando da Lena, né?
Esses bolachões acabam desabotoando do nosso peito essas lembranças... huumm... estou um pouco nostálgico... vou parar por aqui.
Abraços mano!
Pedro

citadinokane disse...

Gabi,
Por isso seguimos amando... siempre!
Já vi o presente, obrigado!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Barb,
Thank you!
Tchau,
Pedro

citadinokane disse...

Bia,
Toda relação amorosa, inevitável, tem uma trilha sonora.
Beijos,
Pedro