sexta-feira, março 21, 2008

Ecos de 1989

Talvez porque esteja assistindo alguns capítulos da mini-série "Queridos Amigos", as lembranças em borbotões acabam me deixando ensopado daquele distante 1989...
Em decorrência de tanta fé que tínhamos na nossa militância, e a decepção que se seguiu ao momento da derrota de nossa proposta, com a ascensão da República de Alagoas e o cinismo da mídia, acabei rabiscando em um caderno, no calor da disputa, algumas linhas que não mostrei pra ninguém(queimei). Fica aqui o registro sem nenhuma outra pretensão, naquele momento a revolta e o gosto amargo na garganta... Havia tanta emoção e inocência em nossas vozes, braços e rostos... Deixo registrado esse momento e pronto.
"As minhas palavras voam,
encontram corações e
morrem...
Minhas palavras
entoam um cântico
ininteligível e de novo
morrem...
Palavras que morrem,
que voam
e entoam cânticos
são todas minhas!
Em cânticos
em vôos
em morte...
Vivo!"

10 comentários:

Patrique Lima disse...

Pedro, obrigado por comentar no meu blog, achei o seu super maneiro!!!
sua poesia é muito boa, fiquei emocionado, pois sou militante tbm... mas sobre "queridos Amigos" a globo pegou pesado com todos os lutadores da època, a mini-serie é uma fronta a sua luta!!!
mas é isso, esta sempre convidado a voltar no blog!!! se vc me autorizar posso linkar voce no meu e vice-versa!!! abraço

citadinokane disse...

Oi Patrique!
Está autorizado, eu te linkarei aqui com certeza.
Sei que a Globo enfoca do jeito que for mais conveniente aos seus interesses, mas, a lembrança daquele ano tocou-me profundamente, juntamente com a trilha sonora... ah, meudeus!
Abraços companheiro,
Pedro

Cris Moreno disse...

Oi, Poeta Pedro Nelito, esta poesia linda está no crisblogando.

Beijos.
Feliz Páscoa.
Bom final de semana.

citadinokane disse...

Ei Cris!
Te adoro amiga, buscas sempre cativar a amizade, mesmo sem tantos contatos, vais regando essa plantinha frágil, adorei!
Gosto muito da música abaixo do Geraldo Azevedo, uma linda mensagem:

"Adoro Você (Geraldo Azevedo)

Começo de tudo
Não dá pra saber
Passado ou futuro
Adoro você

Não só com palavras
Que a gente pode dizer

Amor para sempre
Amor quero ter
Se ontem ou amanhã
Adoro você

A vida não pára
Tempo que se tem pra viver
É agora
Hora melhor
Realizar
O futuro

Realizar
Hora melhor
É agora

Primeiro, o desejo
Depois o prazer
Até quando há lágrima
Adoro você

Não tem mais segredo
Nada que se possa esconder

No fim disso tudo
Não dá pra esquecer
Bons tempos e temporais
Adoro você

São tantas idéias
Mas com certeza não dá pra ver
O futuro
Realizar

Hora melhor
É agora

Hora melhor
Realizar
O futuro..."

Beijos amiga, e muito obrigado pelo carinho.
Pedro

Hellen Rêgo disse...

Poxa, perdi a série. Nao vi nem um trecho. Tremendamente arrependida...
Td lindo por aqui.
bjos

citadinokane disse...

Hellen,
O que vale na série são os sentimentos despertados e a trilha sonora... tão minha... uma geração.
Beijos,
Pedro

Anônimo disse...

Pedro, bons tempos aqueles. Muitas saudades... Aquela campanha de 1989 é inesquecível. "Tempo da delicadeza"

Abraços,

Wanderlei Ladislau

Hellen Rêgo disse...

è vero. Tds estao comentando os sentimentos despertados...
bj

citadinokane disse...

Fala Wandeco!
Foi a eleição das eleições, nada comparável, né?
Tô com saudades de ti mermão!
Vê se aparece, ok?
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Hellen,
Muitos sentimentos, ou melhor, todo sentimento!
Beijos,
Pedro