domingo, abril 06, 2008

Smith: mentira, sexo e vídeo-tape...

Sentadinho, quieto, comecei a escutar a história que um amigo havia vivenciado.
Com um ar de seriedade, ele começa dizendo que havia ficado responsável de ciceronear pela nossa Belém, cidade bela e morena, um alemão que veio fazer uma inspeção na empresa que ele trabalha, depois da semana inteira de trabalho pesado, o alemão que falava um portunhol confuso e sempre trocando o artigo dos substantivos, por exemplo: - "A homem..." Esse meu amigo achava muito engraçado, mas evitava expressar para o alemão, ficando sempre muito sério.
Pois bem, ao final de todo trabalho, numa sexta-feira ou seria sábado?! Nem ele lembrava ao certo... mas, retomando o "causo" contado pelo meu amigo, Smith, o alemão, queria conhecer a noite de Belém, ele dizia todo jocoso e libidinoso ao mesmo tempo: - "Smith quer saber agora, onde estão os mulher desse cidade..."
O meu amigo pediu o anonimato, é claro que vou respeitar, senão perco as historinhas românticas para publicar aqui no blog. Voltando, o meu amigo, então pensou: - "Pô! vou levar esse gringo lá no "Locomotiva", e aí eu quero ver ele pegar fogo com as meninas que brincam por lá!"
Ele virou-se para o Smith e disse: - "Smith vais gostar de uns garotas de uma casa de show, onde vou te levar", e ainda acrescentou: - "Nunca mais te esquecerás desse lugar!"
Passou num caixa eletrônico e sacou uma graninha para garantir a alegria do Smith, chegou ao hotel e interfonou para o gringo descer, Smith desceu todo perfumado e muito alegre, finalmente, depois de uma semana de intenso trabalho teria um merecido relax...
Segundo o relato do meu amigo, Smith explodia em libidinagem, só falava: "Cadê os mulher?!" Ele respondia: - "Calma Smith, vais te dar bem pra cacete!"
Depois que chegaram na casa de show, sentaram e pediram uns drinks, o meu amigo percebeu que tinha 1 mulher para 20 homens... Ele desesperado, chamou o garçom e disse: - "Que garaio é isso?! Só tem macho nessa pôrra!", o garçom com um sorriso amarelo, retrucou: - "Estão realizando um congresso de médicos na cidade e chegou um ônibus cheio de turistas, e as meninas sairam com esses caras..."
Smith sem muito entender e decepcionado, resmungou para o meu amigo depois de uma garrafa de uísque: - "Paraense sacaneia com Smith, trouxe Smith aqui pra empalação... só têm as homens, isso não se faz, não me esquecerei desse dia..."
Lá pelas 3h da madrugada, Smith estava de pileque e começou a dormir na mesa, o meu amigo colocou Smith no carro, voltou até o salão da boate e pegou um lenço de papel, em seguida pediu para uma moça deixar a marca de batom no lenço de papel, ela nem se incomodou e atendeu o pedido.
Chegando ao hotel, meu amigo se dirigiu à gerência e pediu ajuda para colocar Smith no quarto, antes já havia passado na sua casa e pedido para a esposa uma calcinha... Deitou Smith na cama, tirou a roupa dele, deixou Smith nuzinho, como veio ao mundo... arrumou uma garrafa de uísque pela metade, deixou virada ao lado da cama, a calcinha toda rasgada, despedaçada ao lado da garrafa e o bilhete(aquele lenço de papel, lembra?): -"Amor, você foi voraz, selvagem, rasgou a minha calcinha sem que eu terminasse de dizer o seu nome, foi maravilhoso, não te esquecerei, jamais! Beijos da sua amada Gio", e fechando o bilhete um beijo no papel a marca de batom indelével.
À noite, ele foi buscar Smith para levá-lo ao Aeroporto, já que o gringo iria para São Paulo, ficou esperando Smith, um pouquinho preocupado, mas, quando Smith apareceu todo contente e deu um abraço efusivo, incomum entre os germânicos, meu amigo entendeu que Smith estava feliz... No caminho para o Aeroporto, Smith disse: - "Ontem tive um dia de atleta sexual, fiz um mulher muito feliz, só que o uísque fez Smith perder um pouquinho a memória, não lembro muito bem do mulher que devorei na cama, mas ela deixou um bilhete que levarei comigo para sempre!"
Meu amigo, asseverou: - "Não te esquecerás nunca mais daquele lugar, não?!" O alemão com um sorriso nos lábios e um ar de quem-sabe-o-que-quer, apenas, assentiu balançando a cabeça com um suspiro de satisfação...

10 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Se de fato for verdade, essa foi a história mais legal que já lina blogosfera.
**Tá vendo! Como é que você ia ter coragem de abandonar a gente?
Quem é que ia me fazer rir tanto (como fez agora) numa noite de chuva, como a que está aqui em SP.
Bjos no seu coração

Hellen Rêgo disse...

rsrsrsrs
Fala serio, já escutei historias de homens bobs, mas esse se superou, rsrsrs
bjinhos

Anônimo disse...

Inda bem que vc voltou seu bestão , tava cheio de saudades e na defesa da raça germanica deixo aqui meu comentário:
Smith pra alemão é o mesmo que Ramirez pra brasileiro, nada a ver.
rsrsrsrs
Uma garrafa de whisky pra derrubar um alemão???? de que planeta o autor dessa história???? alemão em Belém, bebendo whisky , outro disparate.alemão em Belém tomaria cerveja com steinhaeger ou cachaça ou qq outro destilado pra acompanhar o refrigerante(soft drink) que é o que eles acham da nossa cerveja.Agora o chiste está bem posto
Pode falar pô Tadeu tu és chato pra caramba.
Abs
Tadeu

Dirceu Franco disse...

Pedro,

Neste lugar onde o Smith foi levado, também não era frequentado por aquela dupla conhecida: "Davis e Dennis"?

Um abrabço.

citadinokane disse...

Oi querida beija-flor!
A pessoa que me contou a história, disse que ela é verdadeira... É claro que o alemão não se chama Smith, ele não colocaria a cabeça na guilhontina, ao dar o nome do executivo germânico, sabe como é a net, não?
Que bom que consegues sorrir... sou contagiado por essa alegria, ehehehe...
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Hellen,
O Smith não foi bobo, apenas, huumm... diria, huumm... apaixonado, é isso, muito apaixonado, também foi uma noite intensa, né?!
Bjs,
Pedro

citadinokane disse...

Ei Tata!
Muita calma nesse momento, não era Smith, mas alemão com certeza!
Tu achas que um alemão globalizado, não iria curtir um "envelhecido em barril de carvalho"? Se até um marajoara, como eu, fica doido!
Estás chato pra galaio, mas, desculpado, o problema na mão, né?!
Saudades de ti mermão! Não desapareça mais, ok?
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Dirceu,
Cara já rolei no chão, lembrando a história que o Davis contou dele e do impagável Dennis... ahahaha... Não sei se eu conseguiria contar, mas vou tentar.
Vi na tua face hoje, aquele brilho de felicidade, nós iremos buscar essa criança na maternidade.Deus te envolve, e protege a mãe e o filho, tudo dominado mermão!
Abraços,
Pedro

Tânia Defensora disse...

Gostei do seu amigo que sacaneou legal o alemão "garanhão".
Abs

citadinokane disse...

Tânia,
Se todo garanhão tivesse uma lição parecida, o mundo estaria em paz... Ahahaha...
Beijos e abraços no Oscar,
Pedro