quinta-feira, maio 22, 2008

Cuba solidária y contra homofobia.

Recebi do professor Maurício Leal Dias um artigo sobre evento contra homofobia, ocorrido em Havana. E o mais importante, o evento foi coordenado pela sexóloga Mariela Castro Espín, filha de El Comandante Raúl Castro.
Considero um passo importantíssimo para a plena realização humana...
Não me venham com anedotas homofóbicas, não aceito! Temos um mundo de diferenças entre nós mesmos, mas, acredito que reconhecendo essa diversidade poderemos vivê-la sem preconceitos, tudo profundamente humano, bem humano... e como diria o poetinha Vinícius de Moraes: - o negócio é amar!!!
A notícia que vem de Cuba pelo Dia Mundial contra a Homofobia, é que houve palestras e shows de transformistas que movimentaram uma espécie de "Parada Gay" à cubana, com apoio oficial e cobertura de imprensa.
Mariela Castro considerou um momento muito importante para os homens e mulheres de Cuba, pela primeira vez foi possível reunir os cubanos para falar sobre os temas relacionados ao homossexualismo e o preconceito. E para tal houve todo um preparo com a TV oficial, um dia antes, exibindo em horário nobre, o premiado "O Segredo de Brokeback Mountain" (2005), filme que tratava de um affair entre dois cowboys americanos. Um cineclube mensal com temática gay também foi anunciado.
Meu Deus a Ilha está mudando!
Quando estive em Havana, acompanhei o debate sobre o filme "Fresa y Chocolate", filme cubano que tratava dessa temática, e quanta polêmica por conta do "amor que se nega a dizer o nome"...
O subcomandante Xico Rocha sabe do que estou falando.
O mais importante, o presidente do Parlamento cubano - Ricardo Alarcón, apoia a iniciativa, considera que erradicar a homofobia é ser solidário, e solidariedade é parte do socialismo.
Para encerrar o post, aos amigos cubanos com saudades, na voz de Chico Buarque:

"Como Se Fosse a Primavera (Pablo Milanés/Nicolas Guillén/Chico Buarque)
De que calada maneira
Você chega assim sorrindo
Como se fosse a primavera
Eu morrendo
E de que modo sutil
Me derramou na camisa
Todas as flores de abril

Quem lhe disse que eu era
Riso sempre e nunca pranto?
Como se fosse a primavera
Não sou tanto
No entanto, que espiritual
Você me dar uma rosa
De seu rosal principal

De que calada maneira
Você chega assim sorrindo
Como se fosse a primavera
Eu morrendo
Eu morrendo..."

10 comentários:

Monika Baumann disse...

Amo essa música.
Bjuuu e bom final de semana.

elvira carvalho disse...

Gostei.
Bom Domingo
Um abraço

David Carneiro disse...

A questão da homofobia sempre foi embaraçosa para a revolução cubana, como mostra a prórpia mea culpa de Fidel em sua Biografia em Duas vozes. Espero que nessa nova etapa a revolução salde sua dívida com os homossexuais e abra caminho para novas reformas democráticas. Quanto a música, me traz realmente lembranças de um amor ao qual eu dediquei essa música muitas e muitas vezes. Um grande abraço amigo nelito!

Anônimo disse...

Oi Pedro,
È Mami passando para "Te Ler".

Adorei o texto e a música.
Viva Cuba e suas mudanças oficialmente assumidas, bem ao contrário do que aquele "Chefe de Estado" africano está fazendo - degolando os homossexuais (ABSURDO)!
Trabalho semanalmente com homossexuais e compreendo perfeitamente a importância desta luta.
Estas noticias, texto e música, suavizam as coisas duras que ainda temos que encarar.

abs

Sonia Regly disse...

Obrigada pela visita. Volte outras vezes, sua visita me honrou!!! Agradeço os votos de felicitações.

citadinokane disse...

Oi Monikita!
Um bom final de semana querida.
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Bom domingo Elvira!
Beijos,
Pedro

citadinokane disse...

Pô irmão!
Fiquei aqui pensando qual a mina que mereceu essa música... Mas se tu dedicaste, tá dedicada, né?!
Abaixo a homofobia e viva a diferença!!!
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Mami,
Morrendo de saudade de ti!
Somes... e não deixas rastro!
Terrível o ódio e o desamor...
Paz e amor em tua vida,
Pedro

citadinokane disse...

Sonia,
Vou voltar, mesmo!
beijos,
Pedro