terça-feira, maio 06, 2008

Os homens, esses homens...

Ela disse-me com rancor: - Os homens não prestam... não valem o que o gato enterra...
As lágrimas escorriam.
Ela estava amargurada, amava, amava intensamente... e se achava uma pessoa que não pertencia a este mundo-cão.
As relações de gênero no mundo ocidental são confusas, complexas... A mulher idealiza o homem de sua vida, e como elas dizem entre suspiros - o príncipe encantado! E só encontram sapos...
Nem todos os sapos são cafajestes, tem sapos bacanas!
Tento falar, mas... impossível!
Ela levanta os olhos, lavados pelas lágrimas, e diz: - Também não quero sapos!
Recuo e percebo o quanto as mulheres precisam conhecer o homem, este estranho bicho...
O sociólogo italiano Francesco Alberoni, expressa a sua percepção sobre a maneira de ser do bicho-homem:
"Nos homens, após o ato sexual, há em geral um decréscimo de interesse pela mulher. É um fenômeno que tem muitas gradações, muitas nuances. Está apenas esboçado no homem apaixonado que abraça com força a amada, como se não quisesse mais separar-se dela. Atinge seu ponto máximo no relacionamento com a prostituta porque, neste caso, o desejo desaparece imediatamente, e o homem gostaria de já se ver vestido, fora do quarto, fora do hotel, bem longe. Existem ainda as situações intermediárias, em que o homem perde o interesse momentaneamente. Depois, aos poucos, reacende-se nele o desejo sexual e com este, a ternura, a vontade de ficar ao lado da mulher, de acariciá-la, olhá-la, fazer novamente amor. Num encontro amoroso o homem prefere falar, ler, brincar antes do ato sexual, e concluir o encontro com o êxtase amoroso. Depois do que, parte contente, realizado, enriquecido. Para ele, esse é o momento mais oportuno, mais bonito por causa da separação. É como largar um livro policial quando se revela o nome do criminoso. O que vem depois pode ser útil, interessante, mas não é mais essencial. Ou como quando, depois de um longo esforço, resolve-se um difícil problema. A demonstração mais acurada, o teor da relação podem vir mais tarde. O grito de Arquimedes, "Heureka", exprime esse estado de realização feliz, que é também vontade de mexer-se, de sair, de correr."(O Erotismo, Editora Rocco)

Retomarei o tema, com mais tempo...
Ela continua revoltada com todos os homens... O que será que os homens fizeram para ela???

12 comentários:

Monika Baumann disse...

Oi, obrigada pela sua visita no meu Cantinho, fico feliz que tenha gostado. Seu blog também é ótimo!
Estou adicionando o link no meu, tá bem?! Passarei sempre por aqui.
Bjuuu e bom restinho de semana pra ti.

Lorita disse...

Deve que foi "mal comida", ou "bem comida" e depois descartada! hehehehe

Bjm com sabor de açaí.

AH, vi o vinho periquita num restaurante que fui aqui! Lembrei de vc na hora! rs...

Dilberto disse...

E o que será que fizeste para a pobre mulher, hein, hein?! Rs. Belo post, interessante breque na narrativa para "informações científicas"...

Caro Nelito, há muito foste aos Morcegos e disseste que "estava perto de São Luís": onde, exatamente?

Abração! Espero sua vinda ao aniversáriod e 4 anos dos Morcegos!

citadinokane disse...

Oi Monika!
Conta com a gente, e farei o teu link aqui também.
Beijos

citadinokane disse...

Aline,
Será?
Uma questão de culinária?! Ahahaha...
Pensei que eras apenas uma jornalista... mas... Marta Suplicy ficou devendo pra ti, hein?!
Quem sabe um dia brindaremos, em plena Serra de Carajás, um Periquita, né?
Beijos

citadinokane disse...

Dilberto,
Eu???
Nada, é claro!
Apenas escuto e tento amenizar o sofrimento, mas às vezes não adianta.
Ei Beto! Eu moro aqui em Belém do Pará, sou teu vizinho mermão!
Convida que eu vou, hein?!
Abraços

Anônimo disse...

Ola meu velho , olha eu traveis.
Tem razão esta menina , homem não presta , por isso não gosto deles.
Abraços
Tadeu.

Luciana Cantanhede disse...

Ouvimos sempre falar que homens não prestam, mas também muitas mulheres não se valorizam.
Para ambos casos há excessões.
Eu acho que ela logo deixará o rancor de lado, afinal os homens são um mal necessário ;)
Beijos

citadinokane disse...

Meu irmãozinho Tadeu,
Tava com saudade de ti!
Por que sumiste? Aconteceu alguma coisa?!
Quanto mais conheço os homens, mais eu gosto das mulheres... ehehehe...
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Luciana,
Tens razão!
O melhor e o pior: homens e mulheres... uns prestam, outros... joga fora no lixo!
Quando ela encontrar a sua cara-metade, tudo resolvido.
Beijos,
Pedro

elvira carvalho disse...

Boa coisa não foi decerto. Na minha idade, eu já penso que os homens embora não sendo os princepes encantados, também não são sapos. São seres com virtudes e defeitos como as mulheres. E só não sofrem como nós tão intensamente as desilusões, porque também não são tão sonhadores, nem melodramáticos.
Um abraço e bom fim de semana

citadinokane disse...

Elvira,
Pincei uma frase certíssima:Homens e Mulheres são seres com virtudes e defeitos... e pronto!
Beijos