quinta-feira, julho 31, 2008

Pronto pro amor...

"Todo mundo é parecido
Quando sente dor
Mas nu e só ao meio dia
Só quem está pronto pro amor..." Roberto Frejat

Quando o tempo me abraça preguiçosamente, vou lendo outros blogs e descobrindo outras emoções... Descobri ou fui descoberto por Solange Mazzeto? Não interessa. O mais importante - nos descobrimos... nos descobrimos pensando no labirinto da alma humana, nos descaminhos do relacionamento humano, na fragilidade dos laços humanos em plena sociedade globalizada.
Tenho ficado atento aos movimentos da maré, e percebo como os relacionamentos duradouros são cada vez mais raros. Se alguém consegue compartilhar dez anos de convivência plena com outra pessoa, parece um evento estranho para a nossa sociedade atual, é incrível!!!
Ainda gosto de pensar que podemos caminhar devagar, reparando na paisagem do caminho, apesar de todo o corre-corre de nossas vidas, é possível construirmos um oásis nesse deserto, e seguirmos adiante...
Fica a letra de Frejat para pensarmos.
Poeta Está Vivo (Roberto Frejat e Dulce Quental)

Baby, compra o jornal
E vem ver o sol
Ele continua a brilhar
Apesar de tanta barbaridade...

Baby escuta o galo cantar
A aurora de nossos tempos
Não é hora de chorar
Amanheceu o pensamento...

O poeta está vivo
Com seus moinhos de vento
A impulsionar
A grande roda da história...

Mas quem tem coragem de ouvir
Amanheceu o pensamento
Que vai mudar o mundo
Com seus moinhos de ventos...

Se você não pode ser forte
Seja pelo menos humana
Quando o papa e seu rebanho chegar
Não tenha pena...

Todo mundo é parecido
Quando sente dor
Mas nu e só ao meio dia
Só quem está pronto pro amor...

O poeta não morreu
Foi ao inferno e voltou
Conheceu os jardins do Éden
E nos contou...

Mas quem tem coragem de ouvir
Amanheceu o pensamento
Que vai mudar o mundo
Com seus moinhos de ventos...

domingo, julho 27, 2008

Woody Allen

"Eu caminhava pela floresta pensando em Cristo. Se ele era carpinteiro, quanto será que cobrava pelas prateleiras?"(Woody Allen)

E as prateleiras de nossas vidas, hein?!

Meus amigos...

Recebi certa vez esse texto abaixo(sem autoria), confesso... fiquei emocionado!
Amigos homens e mulheres... amizade não tem sexo! É amizade, e pronto!
Ainda me resta um pouquinho das férias sacrificadas.
Tenho tantos amigos e amigas... Dedicarei ainda muitas poesias para muitos amigos e amigas...
Mas... nesse momento direciono para dois amigos: Rogério e Marcelinho.
Para quem compartilho sempre estrelas e utopias...

Poema do amigo
A qualquer hora em que chegares, sentarás comigo em minha mesa.
A qualquer hora em que bateres a minha porta,
o meu coração também se abrirá.
A qualquer hora em que chamares, eu me apressarei.
A qualquer hora em que vieres, será o melhor tempo de te receber.
A qualquer hora em que te decidires, estarei pronto para te seguir.
A qualquer hora em que quiseres beber, eu irei a fonte.
A qualquer hora em que te alegrares, eu bendirei ao Senhor.
A qualquer hora em que sorrires,
será mais uma graça que o senhor me concede.
A qualquer hora em que quiseres partir; eu irei frente nos caminhos.
A qualquer hora em que cantares, eu estenderei os braços.
A qualquer hora, em que te cansares, eu levarei a cruz.
A qualquer hora em que te sentires triste, eu permanecerei contigo.
A qualquer hora em que te lembrares de mim, eu acharei a vida mais bela.
A qualquer hora em que partires, ficarás com a lembrança de uma flor.
A qualquer hora em que voltares, renovarás todas minhas alegrias.
A qualquer hora que quiseres uma rosa, eu te darei toda roseira.
Eu te digo tudo isso, porque não posso imaginar uma amizade
que não seja total, de todos os instantes e para todo bem.

Timbres de Osvaldo Belarmino

Já faz algum tempo que o nosso querido Osvaldo Belarmino Jr. apresenta um programa maravilhoso na TV Cultura, chama-se TIMBRES, quem gosta de jazz, música instrumental, a boa música, suspira de satisfação... É muiiito bom!
Osvaldo juntamente com a produção do programa consegue selecionar boas atrações, e sempre ancorando com muita tranqüilidade, deixa todo mundo bem à vontade, um dia desses ele convidou um cara que fala pouco e toca muito, é o Adriel Silva que sempre toca seu sax lá pelo Café da Sol Informática... Adriel é uma esfinge... Precisamos decifrá-lo.
Convido a decifrá-lo pela sua apresentação na TV Cultura-Pará no programa do nosso amigo Osvaldo Belarmino, inclusive, este confidenciou-me que talvez o programa entre para a Rede Brasil de Televisão, isto quer dizer que poderá ser assistido em todo Brasil pela Rede Cultura.
Assistam Adriel Silva, ou melhor, fica valendo a máxima da esfinge: Decifra-me ou devoro-te.

quarta-feira, julho 23, 2008

O meu amigo David voltou!!!

Querido amigo David, a imagem acima, inevitável, elas insistiram, fizeram questão de dizer: Vem David!
Ahahaha...
Ficaste empolgado, hein?!
Pelo teu retorno entrego-te a poesia de Garcia Lorca, e pronto!

O POETA PEDE AO SEU AMOR QUE LHE ESCREVA
Amor de minhas entranhas, morte viva,
em vão espero tua palavra escrita
e penso, com a flor que se murcha,
que se vivo sem mim quero perder-te.

O ar é imortal. A pedra inerte
nem conhece a sombra nem a evita.
Coração interior não necessita
o mel gelado que a lua verte.

Porém eu te sofri. Rasguei-me as veias,
tigre e pomba, sobre tua cintura
em duelo de kordiscos e açucenas.

Enche, pois, de palavras minha loucura
ou deixa-me viver em minha serena
noite da alma para sempre escura.

( tradução: William Agel de Melo )

segunda-feira, julho 21, 2008

Prêmios

Recebi o Prêmio Dardos da Blogueira Monika Baumann que acrescenta: “Com o prêmio dardos se reconhece os valores que cada blogueiro mostra cada dia em seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc..., que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras."

O outro prêmio recebi da querida blogueira Renatinha. E diria o que não tem preço é o carinho da Renatinha...

Obrigado Monika e Renatinha!!!


sábado, julho 19, 2008

Eu Quero Eduardo Bueres!!!


Povo da blogosfera eu não sou tucano, não fico em cima do muro... Eu quero Eduardo Bueres!!!
Não sou partido, sou pleno e integral... Pagamos o preço por isso, algumas incompreensões dos amigos e família. Pago desde o tempo de estudante, tudo muito bem pago e as pazes feitas entre as gerações em minha casa, mãe e irmãs, tudo bem as utopias não foram realizadas, tudo bem... Mas, continuo jogando os dados, e sobrevivendo da "caridade" de quem me detesta... ahahaha... Cazuza presente! Eis o poeta maldito da minha geração.
Escrevo esse post para dizer que vou fazer campanha e votar no meu irmão-camarada Eduardo Bueres, o meu Locopoeta Bueres... Eu quero Eduardo Bueres!!!
Quando nasceu recebeu o nome estranho de Eduardo Felipe de Oliveira Bueres, o cara é Felipe, pode?!
O meu amigo Duda Bueres iniciou sua militância política pelo Partido Comunista do Brasil-PCB, através do movimento estudantil, chegou a ser diretor de esporte da UESP-União dos Estudantes Secundaristas do Pará. Participou do movimento de resistência à Ditadura Militar, luta que se deu através dos movimentos culturais, onde re-fundou com Raymundo José Pinto o Jornal “A LUTA”, Criado pelo jornalista Lúcio Flávio Pinto, que era distribuído nas escolas secundaristas, com informes da Rádio “Voz de Cuba”. O que marcou a militância política do nosso amigo foi a cassação de seu pai durante o golpe militar, inclusive tive o prazer de conhecê-lo - o engenheiro Mário Moura Palha Bueres.
Eduardo mudou-se para o Rio de Janeiro nos anos 80 e regressou em 1995, nos conhecemos num curso de fotografia avançado, e desde lá não nos descolamos mais... Construímos juntos com Fernando Maia e Oliviomar Barros em Ananindeua o movimento Coletivo Socialista, fizemos resistência contra a administração de Manoel Pioneiro através de trabalhos junto aos movimentos sociais.
Eduardo em Ananindeua foi eleito presidente do núcleo dos moradores do Conjunto Stélio Maroja, Coqueiro. Vice-presidente da Associação dos Moradores do Jardim Nova Esperança. Diretor de Meio Ambiente da UNESCOPAMA. Presidente do Conselho Fiscal do Sistema Interativo de Segurança Pública e Justiça – SISJU. Trabalhou no Governo do Povo em Belém com o prefeito Edmilson Rodrigues, mais precisamente na SEMMA- Secretaria Municipal de Meio Ambiente, na condição de Educador Ambiental.
É músico, poeta e compositor, escritor e artista plástico.
Bueres hoje, fora das atividades culturais, é acadêmico do curso de Direito e exerce as atividades de Juiz Arbitral do Tribunal de Justiça Arbitral do Estado do Pará, atividade da qual sobrevive, via Câmara de Pequenas Causas.
Nesses tantos anos juntos, conseguimos compartilhar alegrias e tristezas... E uma coisa certa, foram todas sinceras, diria desavergonhadamente sinceras, sinceras, sinceras...
Como? Se vou votar nele? Huumm... Avisa lá, avisa lá, avisa lá!!! Eu vou! Ahahaha... Pode avisar! Ehehehe... 13131 beijos no coração.
Eu quero Eduardo Bueres vereador!!!

sábado, julho 12, 2008

Os escanfandristas virão...

Com o amigo Rogério ao fundo acompanhado de uma desavergonhada torre de choppe...
E Chico Buarque cantando: ...os escanfandristas virão
Explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas
Sua alma, desvãos

Sábios em vão
Tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização...

terça-feira, julho 08, 2008

Caminhada etílica, eu vou!

Quer beber?!
Vai pra tua casa! Ou vem caminhar com a gente!
Eu e o Eduardo Bueres vamos organizar uma caminhada etílica, com camisa e tudo... Apoiamos a "Lei Seca", já mandamos fazer as camisas com os dizeres: "100% Lei Seca".
A idéia não é minha, é do fabuloso Tico Futrika, ele conseguiu pensar algo num momento de "porre sideral", entupido de chopp, bebeu dez litros de água mineral com gás e saiu correndo para o apartamento dele... Chegou suado, é verdade, mas gostou da experiência, e telefonou me convidando para o novo empreendimento, a idéia é juntarmos dez parceiros de copo e sonhos, e caminharmos para os nossos bares preferidos e são muitos...
Anota aí, por essa causa nobre, eu vou voltar a beber, tomara que a minha médica não leia esse post.
Quem topar essa caminhada etílica, faz contato comigo e deixa o carro em casa, ok?!

Preste atenção!

"Em toda a vida, nunca me esforcei
por ganhar nem me espantei por perder. A noção
ou o sentimento da transitoriedade
de tudo é o fundamento mesmo
da minha personalidade".
(Cecília Meireles)
Vou aprendendo que realmente tudo é transitório, como no ônibus, tudo passageiro, menos o motorista e o cobrador...
Observo, observo... meu Deus! Como perdemos tempo com coisas sem importância, e vamos valorizando o supérfluo... Tanta gente boa para se conhecer e aprendizado. Como diria o Alberto de Lisânia: - Não se perde tempo, se perde vida!

quinta-feira, julho 03, 2008

Papo com Baco

Após um dia maravilhosamente duro, abracei uma garrafa de tinto chileno. Era necessário, tô ali no trampo, sem arredar o pé, ministrando um curso com 10 horas diárias de aula, quase uma semana...
Cheguei tarde em casa, e abri uma garrafa de vinho chileno, bebo a primeira taça e o deus Baco vem conversar comigo... Reprimo as emoções, mas como reprimir? Na eletrola João Bosco cantando "Memória da Pele"... O diabo é que com o vinho rolando na minha cabeça, o velho e bom deus Dionísio insiste em bater papo comigo. Depois de uma, mais uma e mais uma taça, não tem jeito, Baco põe a mão no meu ombro, me chama de "meu amigo", inclusive, vai abrindo a adega sem pedir licença, pega uma garrafa de "Periquita", despeja o licor dos dioses na minha taça, e não é que ele tem uma outra taça na mão esquerda e vai dizendo: - Relaxa meu amigo, as emoções humanas são assim, ficam adormecidas... Deixa comigo, sou encarregado de despertá-las, avassaladoramente, eis o vinho transbordando!
Esfreguei os olhos e disse pro imortal: - Deixa essa pôrra adormecida mermão! Não mexe nisso, por favor! Coração é terra que ninguém caminhou...
O enjoado Dionísio, como diria Tadeu Schumann, cheio de papo e com um cacho de uvas na mão direita, diz: - Viva intensamente suas emoções!
Respondo: - Se for para viver intensamente minhas emoções, vou arrepiar, né?!
Olha o que Baco me responde: - Vai fazer terapia!
O jeito é esperar o meu amigo Tadeu para terapiar no Ranulfo, meu eterno pé-sujo.
Fica abaixo a letra da música, que embalou todo o diálogo com Baco:

Memória da Pele (João Bosco / Waly Salomão)
Eu já esqueci você
Tento crer
Nesses lábios que meus lábios sugam de prazer
Sugo sempre
Busco sempre
A sonhar em vão
Cor vermelha carne da sua boca, coração
Eu já esqueci você, tento crer
Seu nome, sua cara, seu jeito, seu odor
Sua casa, sua cama
Sua carne, seu suor
Eu pertenço a raça da pedra dura
Quando enfim juro que esqueci
Quem se lembra de você em mim
Em mim
Não sou eu sofro e sei
Não sou eu finjo que não sei, não sou eu
Sonho bocas que murmuram
Tranço em pernas que procuram enfim
Não sou eu sofro e sei
Quem se lembra de você em mim
Eu sei, eu sei
Bate é na memória da minha pele
Bate é no sangue que bombeia
Na minha veia
Bate é no champanhe que borbulhava
Na sua taça e que borbulha agora na taça da minha cabeça
Eu já esqueci você, tento crer
Nesses lábios que meus lábios sugam de prazer
Sugo sempre
Busco sempre a sonhar em vão
Cor vermelha, carne da sua boca, coração