quinta-feira, julho 03, 2008

Papo com Baco

Após um dia maravilhosamente duro, abracei uma garrafa de tinto chileno. Era necessário, tô ali no trampo, sem arredar o pé, ministrando um curso com 10 horas diárias de aula, quase uma semana...
Cheguei tarde em casa, e abri uma garrafa de vinho chileno, bebo a primeira taça e o deus Baco vem conversar comigo... Reprimo as emoções, mas como reprimir? Na eletrola João Bosco cantando "Memória da Pele"... O diabo é que com o vinho rolando na minha cabeça, o velho e bom deus Dionísio insiste em bater papo comigo. Depois de uma, mais uma e mais uma taça, não tem jeito, Baco põe a mão no meu ombro, me chama de "meu amigo", inclusive, vai abrindo a adega sem pedir licença, pega uma garrafa de "Periquita", despeja o licor dos dioses na minha taça, e não é que ele tem uma outra taça na mão esquerda e vai dizendo: - Relaxa meu amigo, as emoções humanas são assim, ficam adormecidas... Deixa comigo, sou encarregado de despertá-las, avassaladoramente, eis o vinho transbordando!
Esfreguei os olhos e disse pro imortal: - Deixa essa pôrra adormecida mermão! Não mexe nisso, por favor! Coração é terra que ninguém caminhou...
O enjoado Dionísio, como diria Tadeu Schumann, cheio de papo e com um cacho de uvas na mão direita, diz: - Viva intensamente suas emoções!
Respondo: - Se for para viver intensamente minhas emoções, vou arrepiar, né?!
Olha o que Baco me responde: - Vai fazer terapia!
O jeito é esperar o meu amigo Tadeu para terapiar no Ranulfo, meu eterno pé-sujo.
Fica abaixo a letra da música, que embalou todo o diálogo com Baco:

Memória da Pele (João Bosco / Waly Salomão)
Eu já esqueci você
Tento crer
Nesses lábios que meus lábios sugam de prazer
Sugo sempre
Busco sempre
A sonhar em vão
Cor vermelha carne da sua boca, coração
Eu já esqueci você, tento crer
Seu nome, sua cara, seu jeito, seu odor
Sua casa, sua cama
Sua carne, seu suor
Eu pertenço a raça da pedra dura
Quando enfim juro que esqueci
Quem se lembra de você em mim
Em mim
Não sou eu sofro e sei
Não sou eu finjo que não sei, não sou eu
Sonho bocas que murmuram
Tranço em pernas que procuram enfim
Não sou eu sofro e sei
Quem se lembra de você em mim
Eu sei, eu sei
Bate é na memória da minha pele
Bate é no sangue que bombeia
Na minha veia
Bate é no champanhe que borbulhava
Na sua taça e que borbulha agora na taça da minha cabeça
Eu já esqueci você, tento crer
Nesses lábios que meus lábios sugam de prazer
Sugo sempre
Busco sempre a sonhar em vão
Cor vermelha, carne da sua boca, coração

16 comentários:

Ivan Daniel disse...

Passei no teu ateliê hoje pela manhã, levava comigo uma garrafa de água mineral com nitrato 0,4 mg/l. Deixaria na porta com um recado, mas me faltou caneta e papel.

Tozé Franco disse...

Deposi do vinho chileno nada como um Periquita.
Um abraço.

elvira carvalho disse...

Como sou abstémia, não entro na discussão.
Um abraço e bom fim de semana

as-nunes disse...

uando nos pomos à conversa com Baco ou ele connosco a coisa começa a piar fino. Mas também pode engrossar.
Mas se o líquido é de boa qualidade não é fácil resistir...
Principalmente quando o caso é como o narrado.
Acima, abaixo, ao lado, adentro!
Um abraço
António

citadinokane disse...

Ivan,
Estamos de férias, agora poderemos beber a nossa água mineral com o mínimo de nitrato, né?
Vamos nos encontrar no meio de semana? Liga que eu te atendo, ok?
Abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Ei Tozé!
Que venha primeiramente o Periquita, não?
Depois vou querer indicação de vinhos, nas terras de além-mar o líquido dos deuses jorra abençoadamente... pá!
Abraços

citadinokane disse...

Elvira,
Eu também... fico abstêmio de pensar em maldade, por isso o vinho generosamente penetra os meus poros... ahahaha...
Obrigado pela visita, e que o domingo seja maravilhoso para ti e tua família.
Beijos

citadinokane disse...

António,
Com o tinto correndo nas veias, falamos com deuses, falamos línguas de fogo... tudo!
Mas o importante é não ficar chato, a vida é um segundo, uma experiência única... ahahaha... Voltemos ao vinho, saúde António!
Abraços

Diretoria disse...

Periquita...
muito bom....

Rogério Friza disse...

Ê Perdo,
não te mete com o baco rapá, t^te avisando! Esse amigo é só mau conselho. rerere
Um abraço e boa semana

citadinokane disse...

Diretoria,
Periquita eu quero!!!

citadinokane disse...

Rogério,
Baco, Dionísio... Não vendem conselhos, enchem as taças de vinho.
Depois da Lei seca, trago esse Baco pra bater papo por aqui mesmo, e vamos levando.
Abraços,
Pedro

Hellen Rêgo disse...

esse blog ta ficando mt alcoolico!
rsrsrs
bjinhos

citadinokane disse...

É o momento!
Tudo urgente e delicado, ahahaha...

Hellen Rêgo disse...

rsrsrsrsrs
ei pedro, vc usa msn?
me manda por email.
bj

citadinokane disse...

Hellen,
Uso.
Vou te enviar.
Beijos