domingo, agosto 17, 2008

Vita brevis!

Ao final da tarde uma vontade imensa de jogar-me numa rede e descansar... Será a lembrança tão recente de Dorival Caymmi que adorava uma rede? Eis que jogo o olhar sobre uns papéis que estavam na mesa em frente, e encontro o bilhete de Mário Quintana, de uma simplicidade profunda, simples, simples... Repetirei com ele bem baixinho - Deixa em paz a mim! a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

Bilhete

Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

Nenhum comentário: