segunda-feira, setembro 22, 2008

Ridículas...


Todas as Cartas de Amor são Ridículas (Fernando Pessoa)

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.
Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

10 comentários:

Anônimo disse...

Pôxa, Pedro,é mesmo:
1/4°de orloff depois, tambem começo a desconfiar desse velho portugues bagaçeiro-tabagísta de chapeuzinho cúco.É, filho,...como é ridiculo ler sobre cartas de amor,né?;assim como é ridículo não ler sobre cartas de amor.É que o tema desperta tanto desamor e tanto amor que por uma só lembrançinha que me chega inédita do fundo d´alma, a pagina fica pequena... só mesmo sendo muito ridículo para ler sem escrever (porre,melhor ainda)sobre cartas de amor.
Um murrão na tua costa Velho Pedro
Eduardo Bueres
Ananindeua-Pará

Hellen Rêgo disse...

É verdade Pedro.
To levando essa p mim tbm.
;)
bjos

citadinokane disse...

El comandante!
Entre o descanso e a trincheira sobrou-lhe um tempinho para mandar os sinais de vida... com orlof?! Muito bolchevique para o meu gosto, ahahaha...
Prefiro a bagaceira que o Oliviomar trouxe da terra de Pessoa, forte que corta a garganta.
Sigamos em frente e à esquerda hermano, corra para o front.
abs,
Pedro

citadinokane disse...

Hellen,
Ridículo é não amar...
bjs

Sandra Leite disse...

Pedro

Saudades de ti. Lendo Pessoa fico pensando em como gosto de ser ridícula. Amar faz um bem danado!

beijos

citadinokane disse...

Sandra,
É só saudade meu peito. A regra é amar, faz bem ao coração. Sejamos ridículos, sempre! Ahahaha...
Beijos

anderson disse...

bem, as cartas de amor podem até ser em muitos quesitos ridículas,principalmente quando o amor virou apenas lembranças.
mas o amor...
ah esse absolutamente não é !


abraços !
e até mais prof°

citadinokane disse...

Anderson,
Concordo contigo.
Ah, o amor!!!
Terra de ninguém...

Mixikó disse...

Olá Pedro...
Não resisti a vir aqui ler-te...como sempre com enorme prazer...o tempo, esse é que é muito curto, o malandro...

Adoro Pessoa e tudo o que escreve...adoro cartas de amor...ridiculas...
bjs

citadinokane disse...

Minha querida Mixikó,
O tempo corre e rabisca imprudentemente suas marcas em mim, grisalhando-me... Huumm... Deixa pra lá!
Mas, qual não foi a minha surpresa em ver-te por aqui, quase despenquei da cadeira, muitas luas passaram e estás VIVA!!!
Seja "riícula" como as cartas e volte sempre, ok?! É muuuiiito bom!
bjs,
Pedro