sexta-feira, dezembro 25, 2009

Que venha 2010!!!

"Que dirão de minha poesia
os que não tocaram o meu sangue?"
Pablo Neruda
















O Natal passou...
2010 vem num galope de promessas - novos sonhos e amores.
Por favor sejam felizes!!!

Caridade

"Ainda que eu falasse todas as línguas dos homens, e mesmo a dos anjos, mas não tivesse caridade, não seria mais que um bronze que soa e um címbalo que retine. E se eu tivesse o dom de profecia, e penetrasse todos os mistérios, e tivesse uma ciência perfeita de todas as coisas; ainda que tivesse caridade, eu nada seria. E se eu tivesse distribuído meus bens para alimentar os pobres, e entregasse meu corpo para ser queimado, se não tivesse caridade, tudo isso de nada me serviria.

A caridade é paciente; é doce e benfazeja. A caridade não é invejosa; não é temerária e precipitada; não se enche de orgulho; não é desdenhosa; não busca seus próprios interesses; não se gaba e não se irrita com nada; não desconfia; não se recozija com a injustiça, mas com a verdade. Ela tudo suporta, em tudo crê, tudo espera, tudo sofre.

Permanecem hoje estas três virtudes: a fé, a esperança e a caridade. Mas a maior delas é a caridade. (Paulo, I Epístola aos Coríntios, cap. XIII, v. 1 a 7 e 13.)"

domingo, dezembro 20, 2009

Novamente Thiago de Mello.


"Não,
Não tenho caminho novo.
O que tenho de novo,
É o jeito de caminhar.
Aprendi,
(O caminho me ensinou)
A caminhar cantando como
Convém a mim,
E aos que vão comigo.
Pois, já não vou mais sozinho..."
Thiago de Mello

Releitura: Dante Milano, o poeta esquecido.

Estava relendo os meus posts e resolvi republicar um post que considero muito singelo, pela revelação por parte do amigo Nilton Atayde do poeta esquecido: Dante Milano.

Dante Milano, o poeta esquecido. (27/08/06)

"Quando nos encontramos em tertúlia, o amigo Nilton Atayde gosta de declamar a poesia de um brasileiro desconhecido, desconhecido mesmo, ou melhor dizendo, desconhecido para o grande público, porque pessoas como o nosso amigo estão sempre atentas ao bom alimento da alma – a poesia.
Não esqueço de um certo dia que estávamos em estágio alfa, tudo em decorrência da ingestão de destilados, fermentados e o líquido dionisíaco... O locobueres com a mão direita erguia uma taça transbordante de tinto chileno, com a língua pesada, palavras balbuciadas e os olhos quase que fechados, pergunta ao Nilton – Irmão como é o nome daquele poeta que tu gostas pra caramba?!
O indefectível Atayde responde ponderadamente – Qual deles, parceiro?!
O locobueres não responde, mas a sua mão direita agitada conduz a taça ao encontro dos lábios dissolutos... Bueres com a respiração presa e os olhos cerrados, verte goela a dentro o delicioso líquido vermelho, em pouco menos de 4 segundos restava apenas a taça vazia sobre a mesa, é isso mesmo, uma taça vazia e cheia de ar...
O locobueres recobrando o fôlego, complementa a pergunta feita antes ao amigo Nilton com a voz nasalar – É aquele poeta desconhecido e que o Manuel Bandeira também gostava.
Atayde agora alegre diz com todas as letras – Dante Milano!
Nilton não apenas declamou a poesia de Dante Milano, como fez questão de discorrer sobre a vida e parte da obra do poeta e assim aquela tarde findou-se alegremente.
Chegando em casa fiquei pensando, elucubrando em torno dos ensinamentos literários...
A brisa da madrugada a confirmar que só a experiência pode proporcionar aos pobres mortais, como nós, tesouros intangíveis, amealhados com a convivência dos justos e sábios...
A sabedoria nada tem a ver com a cultura acadêmica, a própria obra de Dante Milano não percorreu esses caminhos tortuosos tão bem guardados pela nossa intelligentsia tupiniquim.
Em um encontro recente com o amigo Atayde, trocamos muitas idéias e pedi que enviasse um e-mail sobre Dante Milano para que socializássemos com outros amigos e leitores informações sobre este grande poeta brasileiro, não tão conhecido como Vinícius e Mário Quintana.
Recebo as informações e abaixo publico na íntegra:

“Meu caro Pedro.
Eu não entendo porque algumas pessoas brilhantes têm o reconhecimento público e outras, igualmente brilhantes, não conseguem se destacar. Isso ocorre em todos os ramos do conhecimento, nas artes, na literatura, etc., e em todo lugar do mundo. No Brasil, por exemplo, e particularmente na poesia, existiu um poeta cuja qualidade nada deixava a desejar a outros como Drummond ou Manoel Bandeira, para ficar nessas duas expressões. Trata-se de Dante Milano (1899-1991), poeta carioca que, por muito pouco, não é absolutamente desconhecido na literatura brasileira. Aliás, pelo que lemos a seu respeito, ele fazia questão do anonimato, achava-se "avesso ao rumor de falsa glória", pois entendia que "só o silêncio é musical".
Dante Milano freqüentou as rodas literárias do Rio de Janeiro, onde nasceu e viveu, mas nunca esteve próximo da fama. Seu primeiro e único livro, "Poesias", foi publicado quando tinha 49 anos de idade e foi recebido efusivamente pela crítica. Embora convidado, recusou-se em candidatar-se à Academia Brasileira de Letras. Foi considerado por Carlos Drummond de Andrade "um poeta de extraordinária qualidade".
Incito-vos, portanto, a procurar conhecer melhor esse "extraordinário" poeta.
À propósito, existe amor falso e amor verdadeiro?
Com a palavra, Dante Milano, que além de poetizar, filosofa.

"O falso amor imita o verdadeiro
Com tanta perfeição que a diferença
Existente entre o falso e o verdadeiro

É nula. O falso amor é verdadeiro
E o verdadeiro, falso. A diferença
Onde está ? Qual dos dois é verdadeiro?

Se o verdadeiro amor pode ser falso
E o falso ser o verdadeiro amor,
Isso faz crer que todo amor é falso

Ou crer que é verdadeiro todo amor.
Ó verdadeiro amor, pensam que és falso
Pensam que és verdadeiro, ó falso amor "
(POEMA DO FALSO AMOR)
Um forte abraço do teu irmão,

Nilton Atayde.”

Agradeço a colaboração do Nilton, e resolvi encerrar este post com mais uma poesia de Milano, eu sei que neste momento alguns amigos estão chateados com o post eles gostam de coisas rápidas, são jovens por isso estão perdoados, mas prometo amigos que será rápida, uma pequena poesia muito linda e comovente, que só acrescenta ao grande poeta que Atayde nos revelou acima, trata-se do poema a Pietà, nele Dante Milano trata singularmente da dor. Não fala da dor de uma santa, mas da dor de uma mulher, acima de tudo – humana...

PIETÀ

Essa Mulher causa piedade
Com o filho morto no regaço
Como se ainda o embalasse.
Não ergue os olhos para o céu
À espera de algum milagre,
Mas baixa as pálpebras pesadas
Sobre o adorado cadáver.
Ressuscitá-lo ela não pode,
Ressuscitá-lo ela não sabe.
Curva-se toda sobre o filho
Para no seio guardá-lo,
Apertando-o contra o ventre
Com dor maior que a do parto.
Mãe, de Dor te vejo grávida,
Oh, mãe do filho morto! "

sábado, dezembro 19, 2009

Chupetinha bem feita!

Acho que o capitalismo é versátil, só eu?
Vejam como tudo é pretexto para ganhar dinheiro.
A Nanci mandou as imagens abaixo, dizendo: - Chupetinha bem feita!
Concordo.
Chupetinha bem feita, e os caras vão ganhar muito dinheiro, pode anotar aí.

Oração da amizade.

Tenho amigos tranquilos, outros nem tanto...
Não irei desejar o mal para ninguém, pois o mal por si só se destrói...
Vamos orar, né?!


sexta-feira, dezembro 18, 2009

Sr. Burns ou Sr. Serra?

Vamos brincar???

Bené Nunes. Filosofia ou poesia?

É um olhar simples, humilde e cabôclo...
Eis um dos maiores filósofos e críticos literários do Brasil.
O nome?
Benedito Nunes.
Reconhecido na Alemanha e outros mundos...
Ele vive entre nós, a simplicidade do sábio que sabe das complexidades da vida, ele é um cara simples e só.
Filósofos e poetas se misturam, não?!

"O filósofo - diz S. Tomás comentando Aristóteles - assemelha-se ao poeta; o filosofar e o ato poético têm algo em comum.
(...)
O ato poético e o filosófico têm seu princípio no mirandum, naquilo que causa admiração.
(...)
Por isso, na base da Filosofia e da Poesia encontra-se a sensibilidade, que é, na frase feliz do filósofo inglês Copleston, “reparar naquilo que todo mundo tinha visto (mas não notado)”. Acho que é isso o que Orwell queria dizer quando escreveu em seu 1984: “Os melhores livros são os que nos dizem o que já sabíamos”."
(Jean Lauand)

quarta-feira, dezembro 16, 2009

Tupã e o pré-sal.

Nós aqui no norte do Brasil, na Amazônia... Esquecidos.
O homem amazônida esquecido... seu estilo de vida sufocado pela globalização, agonizam o homem, a floresta, os animais. A vida se esvai...

Contam os morubixabas, murumuxauas e tuxauas de antigas tribos que o deus Tupã em sua infinita bondade, no momento da criação do mundo, quis povoar de seres luminosos o céu, e surgiram as estrelas... Para ficar mais bonito o céu, Tupã criou a bela deusa Jaci (a Lua) para ser a Rainha da Noite e deu a ela uma irmã, a quem chamou de Iara, a deusa dos igarapés. Depois criou Guaraci, o deus do Sol, irmão de Jaci. Guaraci dava vida a todas criaturas e presidia o dia. Continuou criando, criando... fez surgir um lugar lindo e de prazeres para os bons e um lugar tenebroso para os maus, o lugar tenebroso deu o nome de Amazônia, neste lugar as almas sem vida e os espíritos dos guerreiros sem glórias ou foragidos de suas tribos ficavam vagando... Em seguida, Tupã derrotou e lançou na Amazônia o seu poderoso inimigo chamado Anhangá (deus do inferno) e mandou pra lá o Jurupari que virou mensageiro do deus cruel Anhangá, enviou também Xandoré, o deus do ódio, e mais Caramuru, Abaçaí, Guandiro e uma porrada de angás. Todos eles formavam o reino do medo, rancor, ódio, dor e vindita.
Nos píncaros dos céus, o bom deus Tupã, sentado em seu trono, resolveu criar milhares de criaturas celestes para o seu deleite, elas obedeciam e o louvavam... Sobre os mares verdejantes fez surgir os Sete Espíritos, e os gênios que governavam os oceanos sob as ordens do Boto, deus dos abismos dos mares... Tupã, satisfeito com a sua criação, resolveu depositar no fundo do mar um tesouro para os homens bondosos e virtuosos, chamou o tesouro de PRÉ-SAL.
Tupã mandou para a Amazônia outros angás: Imerys, Vale do Rio Doce, Albrás, mineradoras, madereiros, "tucanos", "democratas", "Dudu" e camelôs...
Anhangá percebeu que os angás enviados por Tupã estavam retirando a riqueza do solo da Amazônia, mas deixavam um trôco de ICMS para os homens maus que habitavam a Amazônia. Como era um deus cruel, resolveu conversar com um angá chamado Fernando Henrique Cardoso, e disse pra ele: - Espírito da maldade, não estás fazendo a coisa certa! Deves impedir que fique esse tal de ICMS dos minérios exportados. Entendeste?!
FHC responde dizendo: - Deixa comigo meu deus!
O angá FHC chamou outro encarregado de supliciar os amazônidas: - Antonio Kandir venha cá!
Kandir, imediatamente, se apresenta ao subchefe dos angás para tomar conhecimento da tarefa a realizar, escuta, atenciosamente, coça a cabeça, franze a testa, tira óculos, bota óculos, sua frio com o pedido, mas, manda "às favas os escrúpulos" e coloca mãos à obra...
Não demorando, retorna sorridente...
FHC bolinando uma tecla de computador aqui, uma jornalista acolá... Levanta a cabeça e pergunta ao sanguinolento Kandir: - E aí Antonio?
- Tudo resolvido chefe! Diz Kandir.
Continua: - A solução para sangrar até à morte os paraenses, amazonenses, aquele povo lá de cima, é uma lei para desonerar as exportações dos minérios, a gente não deixa nada lá.
FHC sorrindo e exultando de felicidade abraça Kandir e diz: - Anhangá vai adorar!
- Chefe, murmura Kandir, podes denominar a lei com o meu nome?
FHC, incontinenti responde: - É claro!
Contam os morubixabas que o deus cruel - Anhangá fez festa durante uma semana, comemorando o suplício a que os amazônidas seriam submetidos.

****************
O Estado do Pará, desde o advento da Lei Kandir até agosto de 2006, acumulou perdas decorrentes da desoneração do ICMS nas exportações em um total aproximado de R$ 10 bilhões, atualizados pelo IPCA médio de agosto de 2006.

****************
LEI COMPLEMENTAR Nº 87, DE 13 DE SETEMBRO DE 1996
Dispõe sobre o imposto dos Estados e do Distrito Federal sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação, e dá outras providências. (LEI KANDIR)
A lei Kandir isenta do tributo ICMS os produtos e serviços destinados à exportação. Seu autor foi o deputado Antônio Kandir - PSDB- SP.

****************
Os amazônidas estão fincados sobre as maiores jazidas de minerais do planeta, o poder econômico transnacional considera que esses cabôclos são um verdadeiro estorvo.
O argumento para a Lei Kandir era proporcionar competividade para as empresas brasileiras, o amazônida pode se sacrificar pelo "Brasil maravilha", mas... Segundo Sérgio Cabral Filho: o Pré-Sal é do Rio, não do Brasil!
Peço que leiam o post abaixo do blog O OLHO do blogueiro Jota Effe Esse, ele o blogueiro é amigo do Brasil. Do Brasil.

PRÉ-SAL 26/11/2009

Os Estados brasileiros estão disputando os lucros do pré-sal. Os que têm bacias petrolíferas localizadas em seus territórios querem ficar com a parte do leão, mas os outros dizem que esses lucros devem ser repartidos igualmente para todos. Outras formas de divisão também fazem parte dos debates. E agora o desgovernador do Estado do Rio teve o descaramento de chamar de ladrões os Estados que pleiteiam participar desses lucros futuros, como se o petróleo do Pré-Sal fosse um bem fabricado pelo governo do Rio.
Mas o povo merece ser governado, ou melhor, desgovernado por tipos desse quilate, basta ver as pesquisas pré-eleitorais para as próximas eleições: Serra está lá no alto, enquanto Marina, lá embaixo.
Se eu fosse presidente da República, eu disse da República, e não da Ré-Pública, decretaria: “Os lucros do pré-sal vão ser repartidos por todos os Estados, da seguinte forma: proporcionalmente ao IDH de cada Estado, sendo o maior percentual para o estado de menor IDH, e o menor percentual para o Estado de maior IDH. Cada Estado, por sua vez, fará nova divisão do que receber, para seus municípios, observando o mesmo princípio usado pela União: maior percentual para o município de menor IDH, e menor percentual para o município de maior IDH”.

domingo, dezembro 13, 2009

Guardando os bregueços, já!

O vídeo abaixo é muito legal!
Depois de assisti-lo, tenho certeza que todo mundo vai guardar os seus bregueços bem guardadinhos, hein?! ahahaha...

Fala André!

Como diria o mano André Nunes: - uma memória puxa outra...

O André é escritor de mão cheia, escreve pra garaio!
Vai escrevendo, puxando pela memória e ela puxando ele para os anos de chumbo, tempo em que se mandava arrancar os trilhos do trem e pronto, tempo de perseguição, tapa na cara, pau-de-arara, tempo de escroques...
Meu véio André caminha como os sábios, sem pressa, copo na mão, cabelos embranquiçados pelo tempo que passa sem passar...
Abaixo o relato de quem viveu e sentiu na pele a arrogância dos golpistas.

1964 – UM RELATO SUBVERSIVO (roman à cléf)

- Não é justo o que vocês estão fazendo comigo. Nunca foi assim. Nunca tive a primazia nas discussões. Quando vocês me deixavam falar primeiro era só pra sacanear depois. Tudo combinado, de caso pensado. Pois bem, eu é que tenho um mundo de perguntas a fazer. Não se trata mais de putaria, leviandade. O que está acontecendo aqui é da maior importância para Altamira, para a Amazônia e para o Brasil.

Essas coisas só se sabem como começam e, às vezes, o resultado final. Progresso, riqueza, desenvolvimento, energia, indústria, universidades, novos horizontes para as gerações futuras. É conhecido, o antes, e previsível o depois, como um moinho. O grão bruto antes e o pão depois. Tudo o que fica no meio é esmagado. Vira pó, farinha. E é essa farinha que vai permitir que haja o pão, o bolo, o espaguete, o brioche. Diante da iguaria quem se lembra da espiga, ou mesmo do grão? Houve um tempo em que cheguei a pensar que havia pé de macarrão. Já adulto foi que descobri que maisena era feita de milho. Não que aceite a teoria da necessidade de quebrar os ovos para fazer omelete, mas tem sido assim em todo o Mundo. Com ou sem violência.

O marasmo, a inércia, até por definição, apenas conduzem ao atraso. Lutar pela permanência do status quo ante é remar contra a maré. O máximo que resta é estarmos preparados para conduzir o processo e amenizar os impactos. Administrar as contradições. Proponho uma postura cartesiana: dividir o objeto do estudo para melhor compreensão. Partir do mais simples para o mais complexo…

- Ora não fode Herodes porra! Meu ouvido não é penico, interrompeu impaciente o Helio Miguez. Não é para ouvir essa merda de discurso acadêmico que estamos aqui onde sempre estivemos, desde meninos, na beira do Xingu. Pra ver a banda passar, ninguém precisa da tua opinião. Eu vou tirar o time. Ajudar a Mundica a fazer vinagre de manga dá mais futuro.

Ele, quando estava com raiva, chamava a mãe de Mundica.

- Demora aí, Helio. Foi mal. Passa a régua. Falei merda.

Inexplicavelmente o Eduardo Besouro veio em meu socorro.

- Deca, desde o início, quando começaste a falar bonito, latim e René Descartes, que sacamos que estavas em bundas, querendo ganhar tempo. Só o Helio Miguêz pegou corda. Nem notaste nossa cara de gozação. O Dimas fez menção de contestar, mas dei-lhe um beliscão. Queríamos ver até onde ias chegar. Esse discurso é mais velho de que a posição de cagar. Todo mundo sabe que não é isso que tu pensas. Podes até te empolgar como muitos de nós, mas no fundo, o velho Xingu fala mais alto. Vamos dar um tempo, mudar de assunto. Por enquanto.

- É isso aí, concordou o Afolemado. Pra começar, conta a cagada de como a revolução de sessenta e quatro te apanhou.

- Revolução o caralho. Golpe! Retrucou o Eduardo que não deixava passar nada.

- Tá bom, porra, golpe, mas conta o que sucedeu no dia exato. Antes, agente sabe, depois também, mas está faltando alguma coisa, inclusive da tua passagem por aqui. Não ficou claro, pelo menos para mim, o que aconteceu em Santarém, se foste preso, pegaste porrada, te cagaste, pediste penico. Alimenta, depois voltamos para a Transamazônica, não pensa que vais sair dessa de flosô.

- Vamos lá, mas porra, vê se não interrompe.

- Então não conta. Sem interromper, sem sacanear não tem a menor graça. Estás muito mal acostumado. Ninguém aqui é teu aluno. Falou o Chico Preto.

- Não sou mais professor, aliás, nunca fui. Quebrava o galho para descolar algum.

- Conta, caralho, mas não enrola nem busca muito fundamento. Começa assim: primeiro de abril de mil novecentos e sessenta e quatro.

- Primeiro de abril é o mote perfeito. Podes mentir a vontade. Provocou o Eduardo.

Quis protestar, mas resolvi ignorar. De outra maneira, não seria minha corriola.

***

SANTARÉM

Acordei por volta das seis, seis e meia da manhã, já nem me lembro bem. Era dia dois de abril do ano de mil novecentos e sessenta e quatro. Do lado de fora da porta do meu quartinho acanhado conversavam dois ou três colegas do Banco de Crédito da Amazônia onde trabalhávamos. De um, lembro-me bem. Era o Licurgo Anchieta, vocês conhecem, filho da D. Vanjoca, irmão da Coló e da Lucimar.

Comecei depois de algum tempo em silêncio como para organizar a memória. A corriola, para minha surpresa, permaneceu atenta e também silente. Eu estava numa espécie de transe, olhar vago, perdido, fitando algum ponto perdido no meio do rio Xingu, entre nós e a ilha do Arapujá. Continuei, sem impostação, pompa ou circunstancia. Como se sussurrasse em voz alta.

- Estão procurando pelo André. A polícia militar e o pessoal do Tiro de Guerra estão varejando toda a cidade. Diz-que é ordem expressa de Belém. Alguém falou em voz baixa.



para continuar a leitura clica aqui

quinta-feira, dezembro 10, 2009

Memória da terra II

Marcha
(Pedro Tierra)

Venho da pátria dos tormentos.
Venho de um tempo de crimes.
Venho das chagas que a noite
lavrou na carne dos homens.

Não pedirei perdão
à corte dos meus carrascos
pelo grito de rebeldia
arrancado do meu sangue,
pelo sonho,
pelo sonho,
pelas armas,
pela marcha do meu povo
contra os muros!

Como se desata o cereal da terra,
levanto meu corpo de trigo
do corpo estendido de Orocílio Martins
sementeira de fúrias e esperanças –,
sangrando nas ruas rebeladas de Minas.

Liberto meu canto de pássaro
da voz impossível dos mortos:
luz acesa no porão da treva,
memória enterrada do povo.

E canto pela boca destroçada
do Comandante Carlos Marighella
dez séculos depois do silêncio;
pela garganta emudecida
de Mário Alves,
grito eterno que anda;

pelos olhos vazados
de Bacuri,
estrelas sangrando na memória;

pelas cabeças cortadas
no vale do Araguaia,
terra de rebelião;

pelo peito metralhado
do Capitão Carlos Lamarca,
granito de sonho enterrado
entre as pedras do sertão;

pelo corpo mutilado
de Manoel Raimundo Soares,
nas águas do Rio Guaíba,
sangue dos ventos do sul;

pelas mãos atadas de Alexandre,
arados de terra livre;
pelo sangue derramado
de Aurora Maria do Nascimento,
promessa de amanhecer.

E me faço boca
de todas as bocas
assassinadas,
canto de todos os cantos
aprisionados,
sonho de todos os sonhos
submergidos
pela mão armada
dos carrascos do meu povo.

Hoje, o Poder se absolve dos seus crimes.
Mantém à sombra dos seus muros
os açoites e as vergastas.
Recolhe sob a manga verde-oliva
as mãos ensangüentadas dos verdugos
e espera...

E as mães aflitas do povo
tecem nos cegos teares da dor
um espesso tecido de agulhas infinitas:

quem responderá pela morte
dos meus filhos?

Quem responderá pelos torturados
até a loucura?

Quem assassinou a esperança
de Frei Tito?

Quem prestará contas ao meu coração
pelo destino dos devorados?

Pelas vidas, pelos sonhos
que a Noite transformou em cruzes?

Hoje, o Poder se absolve dos seus crimes.
Recolhe sob a manga verde-oliva
as mãos ensangüentadas dos verdugos
e espera...

Do ventre fecundo
das filhas do povo,
das cinzas dos ranchos,
da terra queimada,
das marchas, das greves,
das ruas feridas
nascerão seus julgadores!

Memória da terra: João Batista vive!!!

"E me faço boca
de todas as bocas
assassinadas,
canto de todos os cantos
aprisionados,
sonho de todos os sonhos
submergidos
pela mão armada
dos carrascos do meu povo."
(Pedro Tierra)

Aquele dia 6 de dezembro de 1988 foi trágico para mim, estava dentro do ônibus quando uma pessoa que estava com um radinho de pilha, colado no ouvido, dentro do busão falou em voz alta: - Mataram o deputado João Batista!
Exclamei revoltado: - Garaio! Não pode ser.
Naquele contexto, posso confessar que torcia para morrer os políticos da direita, mas eles eram “duros na queda”, parecia que eles tinham pacto com o diabo.
Na universidade comecei a militar na esquerda, e tinha um colega em Sociologia que era assessor do João Batista – o Oséas (por onde tu andas mermão?!), sendo assessor se revelava um fã do deputado e sempre conversávamos sobre a atuação do João Batista, destemido, valente frente os “senhores da guerra”, João Batista em alguns momentos para mim era um temerário... Talvez, quem sabe, acreditando em Vandré quando dizia:

“Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição...”


João Batista, assumia o risco, havia denunciado na Assembléia Legislativa as ameaças de morte que recebia de fazendeiros e grileiros, mas desdenhavam dele, faziam gracejos, os deputados de direita riam fazendo chacotas das denúncias.
João tombou... Sangue inocente foi derramado.
João foi assassinado numa rua movimentada, diante de seus filhos e esposa.
Morreu por denunciar a violência contra os trabalhadores na cidade e no campo, morreu por defender a reforma agrária e o socialismo.
João foi assassinado na frente de muita gente, e não esqueçam... João tombou diante de seus filhos e esposa...
Quem era João Batista?
João Batista era um filho do povo brasileiro, nasceu no interior de São Paulo e adolescente veio com a família para o interior do Pará, família de camponeses em busca de uma vida melhor no norte.
João estudou e se formou em Direito pela Universidade Federal do Pará, depois de 1980 passou a dedicar a sua militância na advocacia em favor das causas dos trabalhadores urbanos e rurais.
Depois que João Batista morreu, o Oséas confidenciou-me que ao entrar no elevador do prédio da Assembléia Legislativa do Pará, o dirigente máximo da UDR que estava saindo do elevador, ao encontrá-lo esboçou um sorriso e falou baixinho em forma de deboche: - Acabou pra vocês!
Vinte anos se passaram e não acabou pra gente, não acabou!
Continuamos acreditando que é possível viver com dignidade.
Sandra Batista assumiu o bastão passado por João seu esposo, exerceu por várias vezes o cargo de Deputada Estadual e hoje é vice-prefeita de Ananindeua, eu acredito nela!
Sandra me fala que a luta de João continua, que podemos construir uma sociedade justa, com oportunidades para todos, para todos!
Acredito no João, acredito na Sandra...

Livres do jugo da mentira...

Depois de assistir as imagens do mensalão dos "Democratas" de Brasília, me deu uma saudade danada do poeta Thiago de Mello...
Anos 80, redemocratização do nosso país, os militares ali, soberbos e ainda acreditavam que os nossos destinos eles deveriam comandar... A nossa santa rebeldia falava mais alto, em casa a incompreensão dos nossos familiares, e a gente seguia com a certeza de que o mundo nos pertencia.
A minha leitura do poeta nortista, cabôclo do Amazonas e do mundo - Thiago de Mello, um poema comprido, lindo porque falava da nossa essência humana, profundamente humana... E um romântismo operante, seria possível retornarmos a dimensão do fraterno, do amor, fé no homem, fé na vida...
Quando estudante universitário, os vários artigos do "Os Estatutos do Homem" de Thiago de Mello, lidos e relidos me arrebatavam a alma e muitas vezes afirmei, assentado nas linhas traçadas pelo poeta amazonense, ser possível sonhar e realizar essa utopia...

Thiago de Mello
Os Estatutos do Homem (Ato Institucional Permanente)
Artigo V
Fica decretado que os homens
estão livres do jugo da mentira.
Nunca mais será preciso usar
a couraça do silêncio
nem a armadura de palavras.
O homem se sentará à mesa
com seu olhar limpo
porque a verdade passará a ser servida
antes da sobremesa.

segunda-feira, dezembro 07, 2009

Luz na política

Para clarear a política em Belém e no Distrito Federal...
Vai um palito de fósforo, aí?!

O perigoso é a Irmã Vera aparecer com o galão de gasolina por aqui e por lá...

Belém: sem Bispo, sem Prefeito, sem lenço e sem documento...













Non Habemus... Bispo e Prefeito.

Até hoje a arquidiocese de Belém não tem Bispo, depois que Dom Orani Tempesta foi transferido para o Rio de Janeiro.
Sexta-feira o Prefeito e o Vice de Belém foram cassados pela Justiça Eleitoral por abuso de poder econômico na última eleição.

Sábio e sereno


Todo Homem Sábio é Sereno

"Serenidade é conquista que se consegue a esforço pessoal e passo a passo.
Pequenos desafios que são superados; irritação que se faz controlada, desajustes emocionais corrigidos; vontade bem direcionada; ambição freada, são experiências para aquisição da serenidade.
Um Espírito sereno, já se encontrou consigo próprio, sabendo o que, exatamente deseja da vida.
A serenidade harmoniza, exteriorizando-se de forma agradável para os circundantes.
O homem sereno já venceu grande parte da luta."
Autora: Joanna de Ângelis
Psicografia de Divaldo Franco

domingo, dezembro 06, 2009

Assalto em Ananindeua


Assalto em Ananindeua

O ladrão entra num Banco em Ananindeua e com um revólver tresoitão na mão grita para o caixa: - Passa a grana garaio! O rapaz do caixa se mijando nem conta até três e entrega tudo, inclusive o redondo (relógio).
Quando o bandido ia saindo, olhou para um cliente e perguntou:
- Ei mano! Tu me viste roubando o Banco?
- Eu vi! Foi a resposta do cliente.
O bandido desapiedado atira friamente no cliente, matando-o.

Em seguida o bandido virou-se para outro cliente (vestia um abadá do "Chiclete com Banana")que estava ao lado de uma senhora e perguntou novamente:
- Ô baiano! Tu me viste assaltando o Banco?
Aí o Rui Baiano, passou a mão na cabeça, coçou a testa e disse:
- Olhe meu rei! Eu tava aqui meio distraído pensando no sarapatel de Oliviomar e não vi nada; Mas, oxente! a minha sogra aqui viu tudo.

sábado, dezembro 05, 2009

MANIFESTO PELO FIM DA PUBLICIDADE E DA COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA DIRIGIDA AO PÚBLICO INFANTIL


Assinei o manifesto abaixo, considerando a exposição de nossas crianças aos programas televisivos em que o apelo comercial é muito maior que a vontade de preparar as novas gerações para convivência cidadã, pautada no respeito do outro e às diferenças de todos os matizes...

Eu assino!

MANIFESTO PELO FIM DA PUBLICIDADE E DA COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA DIRIGIDA AO PÚBLICO INFANTIL

Em defesa dos diretos da infância, da Justiça e da construção de um futuro mais solidário e sustentável para a sociedade brasileira, pessoas, organizações e entidades abaixo assinadas reafirmam a importância da proteção da criança frente aos apelos mercadológicos e pedem o fim das mensagens publicitárias dirigidas ao público infantil.
A criança é hipervulnerável. Ainda está em processo de desenvolvimento bio-físico e psíquico. Por isso, não possui a totalidade das habilidades necessárias para o desempenho de uma adequada interpretação crítica dos inúmeros apelos mercadológicos que lhe são especialmente dirigidos.
Consideramos que a publicidade de produtos e serviços dirigidos à criança deveria ser voltada aos seus pais ou responsáveis, estes sim, com condições muito mais favoráveis de análise e discernimento. Acreditamos que a utilização da criança como meio para a venda de qualquer produto ou serviço constitui prática antiética e abusiva, principalmente quando se sabe que 27 milhões de crianças brasileiras vivem em condição de miséria e dificilmente têm atendidos os desejos despertados pelo marketing.
A publicidade voltada à criança contribui para a disseminação de valores materialistas e para o aumento de problemas sociais como a obesidade infantil, erotização precoce, estresse familiar, violência pela apropriação indevida de produtos caros e alcoolismo precoce.
Acreditamos que o fim da publicidade dirigida ao público infantil será um marco importante na história de um país que quer honrar suas crianças.
Por tudo isso, pedimos, respeitosamente, àqueles que representam os Poderes da Nação que se comprometam com a infância brasileira e efetivamente promovam o fim da publicidade e da comunicação mercadológica voltada ao público menor de 12 anos de idade.


INSTITUIÇÕES QUE ASSINAM O MANIFESTO:
Abraço Rio de Janeiro
ACTbr - Associação de Controle do Tabagismo
Agência Verde – Tamoios Tecnologia e Consultoria
Ágere Cooperação em Advocacy
Aliança pela Infância
ANDI - Agência de Notícias dos Direitos da Infância
Articulação Mulher e Mídia
Associação Comunitária Monte Azul
Associação dos Jornalistas do Serviço Público
Associação Nacional das Unidades Universitárias Federais de Educação Infantil (ANUUFEI)
Associação Niteroiense de Arte Cidadania e Comunicação Pop Goiaba - Rádio Pop Goiaba
Associação Palas Athena
Ato Cidadão
Avante Educação e Mobilização Social
Balangandança Cia.
Campanha pela Ética na TV
CEDAC - Centro de Educação e Documentação para a Ação Comunitária
CEDECA Interlagos – Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente
Centro de Cultura Luiz Freire
Childhood Brasil - Instituto WCF Brasil
Cia. Megamini de Teatro
CLADEM Brasil - Comitê Latino-americano e Caribenho para Defesa dos Direitos da Mulher
Comunicação e Cultura
ComunicAtivistas
Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais
Criança Segura Safe Kids Brasil
CUT - Central Única dos Trabalhadores
Escola de Educadores Bacuri
Escola de Governo
FEWB - Federação das Escolas Waldorf no Brasil
FNDC - Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação
Fórum Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Paulo
IBFAN Brasil
IDEC - Instituto Brasileiro de Defesa Consumidor
Ilê Axé Logum Cetomi
IMAIS - Instituto Mulheres pela Atenção à Saúde Integral e pelos Direitos Sexuais e Reprodutivos
Instituto Akatu
Instituto Alana
Instituto Avisa Lá
Instituto da Infância – IFAN
Instituto GENS de Educação e Cultura
Instituto Paulo Freire
Instituto Prevenir de Responsabilidade Socioambiental
Instituto Sedes Sapientiae
Instituto Zero a Seis
Intervozes - Coletivo Brasil de Comunicaçao Social
IPA Brasil - Associação Brasileira pelo Direito de Brincar
Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis
Movimento de Integração Social Éfeta
Movimento de Mulheres de Cabo Frio
Movimento Nacional de Direitos Humanos
Núcleo Piratininga de Comunicação
Observatório da Mulher
ONG Comunica
ONG Pulsar
Organização Mundial para Educação Pré-Escolar
Plan International Brasil
Pontão Pontinho de Cultura Bola de Meia
Portal Cultura Infância
Primeira Infância Melhor
Pro Teste
Procsadav - Projeto Conscientização sobre a através do Domínio Audiovisual
Projeto Anchieta
Rede da Primeira Infância do Estado do Ceara (REPI-CE)
Sindicato dos Engenheiros do Estado do Rio de Janeiro
Sindicato dos petroleiros do Estado do Rio de Janeiro
Solidariedade França Brasil
Themis Assessoria Jurídica e Estudos de Gênero
UNE - União Nacional dos Estudantes
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
Valor Cultural - Agência para o Desenvolvimento Social e Humano
Visão Mundial

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Xote da minha Comitiva...

A 2ª voz aprimorada (a minha é claro!), quase imperceptível... amén!
No vídeo abaixo estamos demonstrando que a nossa "Comitiva Estrelado"em seu Cd "Cuíra Urbana" prova que não canta só toadas de boi, a gente manda na moral um xotizinho, ahahaha...
Observe no vídeo o bilhete da Madalena para o Duda Bueres, ela foi malcriada com ele, hein?!
A minha voz saiu bem baixinha, o bom é escutar a safona do Piauí rasgando... ôpa! Vaaaiiiii...

quarta-feira, dezembro 02, 2009

Daniela Spielmann e o Rabo de Lagartixa.

A amiga Daniela Spielmann informa que o "Rabo de Lagartixa" está lançando um novo CD. A Dani é carioca, e nunca é demais lembrar que é uma das poucas saxofonistas brasileiras em atividade. Lidera o quinteto Rabo de Lagartixa, integra também a banda "Altas Horas" (do programa de Serginho Groisman na TV Globo). É nome obrigatório entre os craques do saxofone e flauta...
Daniela começou a tocar com 17 anos, fez curso de harmonia na Musiarte, freqüentou a Berklee School, em Boston, e graduou-se em licenciatura na Uni-Rio. Participou da Rio Jazz Orquestra, onde se destacava como solista em números de chorinho e gravou com vários artistas da MPB, como Jorge Ben Jor, Sandra de Sá, Zé Keti, Moraes Moreira e Victor Biglione.
A pedido da amiga Luciana, lá embaixo um vídeo dela com o grande Sivuca, quem gosta de chorinho, pela interpretação é de tirar lágrimas...

terça-feira, dezembro 01, 2009

Vai uma vírgula, aí?



Sobre a Vírgula

Muito legal a campanha dos 100 anos da ABI (Associação Brasileira de Imprensa).

Vírgula pode ser uma pausa... ou não.
Não, espere.
Não espere.

Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

Pode criar heróis..
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

A vírgula pode condenar ou salvar.
Não tenha clemência!
Não, tenha clemência!

Uma vírgula muda tudo.
ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.

Detalhes Adicionais:

SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.

-> Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER...
-> Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM...

segunda-feira, novembro 30, 2009

O mensalão do DEM - propina na cueca, na meia e sei lá!

Pandora na mitologia grega foi a primeira mulher que existiu na Terra. Criada por Zeus como um presente aos mortais - os homens. Zeus envia Pandora para a Terra com uma caixa onde cada um dos deuses havia colocado uma virtude, o todo-poderoso do Olimpo recomenda que ela só abrisse a caixa no meio dos homens, infelizmente, Pandora abriu a caixa na descida do Monte, e todas as virtudes dos deuses que eram etéreas escaparam retornando ao Monte Olimpo... Quando os homens se apossaram da caixa, o que havia restado no fundo da caixa? Sozinha, tristinha, acanhada: a esperança!
A esperança é considerada por muitos como a jóia mais preciosa, pois fortalece os homens para o enfrentamento dos dissabores da vida.
Feito o intróito, vamos aos fatos.

O governador José Roberto Arruda tem que explicar o que mesmo?!

A Polícia Federal deflagou na última sexta-feira(27/11) a operação Caixa de Pandora. A operação foi desencadeada para investigar a distribuição de recursos ilegais à base aliada do Governo do Distrito Federal - é o mensalão do DEM, hoje "Democratas", ontem "PFL".
As investigações tiveram o apoio do secretário de Relações Institucionais do Governo do Distrito Federal - Durval Barbosa, este aceitou colaborar com a Polícia e a Justiça em troca de uma punição mais branda em outro caso de corrupção, revelado pela Operação Megabyte, ainda na gestão de Joaquim Roriz. Durval Barbosa está envolvido, em muitos outros escândalos, como as irregularidades na terceirização de serviços prestados pelo Instituto Candango de Solidariedade (ICS) e pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).
Agora o que assusta até os padres?
A CNBB se diz perplexa com oração de aliados de Arruda após receberem propinas.
Sabe o que aconteceu?

Os deputados do DEM que recebiam as propinas, depois de recebê-las davam as mãos e oravam ao nosso Pai Todo-Poderoso em agradecimento... É sério mermão!!!

Os caras recebiam a grana e enfiavam os maços de verdinhas na cueca, bolsos e até dentro de meias.
O secretário geral da CNBB Dom Dimas, reafirmou ainda a perplexidade da entidade diante dos vídeos divulgados e cobrou apuração rigorosa dos fatos. "Estamos perplexos com o que já vimos nesse caso e queremos que as investigações sejam ágeis e que, o quanto antes, a ética possa prevalecer e os fatos possam ser esclarecidos."

FotoAtiva



domingo, novembro 29, 2009

Malvados

Serenidade.

Enviado pelo amigo Edilben.
Oração da Serenidade

Concede-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar as que eu posso e sabedoria para distinguir uma da outra – vivendo um dia de cada vez, desfrutando um momento de cada vez, aceitando as dificuldades como um caminho para alcançar a paz, considerando o mundo pecador como ele é, e não como gostaria que ele fosse, confiando em Deus para endireitar todas as coisas para que eu possa ser moderadamente feliz nesta vida e sumamente feliz contigo na eternidade.
Amém.

Salva vidas: poesia.

A poesia salva a vida.
Estava assistindo um programa na GloboNews, o entrevistado não lembro o nome, professor emérito de literatura na UNB, um grande intelectual...
Relatou durante a entrevista que um senhor chegou com ele e disse que pretendia se matar, mas, depois de escutar a poesia de Drummond não cometeu o suicídio. Explicou que tinha uma vida cheia de transtornos e que enfrentava dificuldades com o filho viciado em drogas, só passava na cabeça desse senhor cometer o suicídio, depois que escutou alguém declamar a poesia de Drummond, ele caiu em choro compulsivo e nunca mais pensou em se matar.
Qual a poesia?
Leia abaixo.

CONSOLO NA PRAIA (Carlos Drummond de Andrade)

Vamos, não chores...
A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.
O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.
Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis casa, navio, terra.
Mas tens um cão.
Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizam.
Mas, e o humour?
A injustiça não se resolve.
À sombra do mundo errado
murmuraste um protesto tímido.
Mas virão outros.
Tudo somado, devias
precipitar-te, de vez, nas águas.
Estás nu na areia, no vento...
Dorme, meu filho.

Salve os poetas!

Hoje resolvi homenagear neste post à blogueira Luciana Klopper, mãe, profesora de Educação Física, esposa e acima de tudo pessoa sensível, eis um Drummond para ti Luciana.

"E porque amo,
sinto um desejo imenso de dignificar o amor...
Que ele (o amor) ande calmamente
entre nós humanos,
e pela nossa condição
desgraçadamente humana
que nos acalme...
Que possa apascentar nossa fome,
matar a sede e agasalhar-nos
na sua paz..."

É necessário megulharmos na poesia para percebermos outras possibilidades sobre a vida...
A poesia se expressa como oração, como lenitivo para o coração e bússola para seguirmos adiante.
Não existe um dia em que não consulto meus poetas como os gregos antigos consultavam os oráculos. Drummond, Vinicius de Moraes, Neruda, Florbela Espanca, Fernando Pessoa... Bem vindos! Obrigado por suas existências!


"As Sem-razões do Amor (Carlos Drummond de Andrade)

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor. "

sábado, novembro 28, 2009

Vai pro "trono" com calma!

Fica o alerta.
Muito cuidado quando for utilizar o vaso sanitário de restaurante de beira de estrada. Deu aquele apêrto? Vai com calma, levantando a tampa do vaso sanitário devagar e rapare se tudo está dominado, ok?!
A sequência de fotos abaixo diz tudo. Com cobra não se brinca... Pelo menos com essa aí, né?

Românticos são loucos...

Amigo manda e-mail dizendo que não somente as mulheres entendem de romantismo, os homens são românticos, sim senhor!
Apesar do caldo cultural machista em nossas vidas, sabemos demonstrar o quanto somos sensíveis e românticos, basta olhar a imagem abaixo, né?!

Por entre meridianos e paralelos

Meridiano de quê?
Calma!
Um pouco de geografia, para refrescar a memória, ok?
Aprendi que meridiano e paralelo são grandes círculos que servem para contagem das latitudes e longitudes, conhecidas também como coordenadas geográficas... A professora Raimundinha ainda fazia lembrar que o Meridiano de Greenwich é aquele que passa sobre a localidade de Greenwich em Londres, por isso o nome em homenagem ao local, etecetera e tal...
Este tal de Greenwich divide a terra em ocidente e oriente, permitindo medir a longitude...
A partir de Greenwich se estabelecem os fusos horários, a cada faixa de quinze graus de longitude corresponde um fuso horário, a hora de Greenwich ficou conhecida como "Greenwich Mean Time" - GMT.

Sem esquecer de ressaltar que o paralelo mais importante é denominado de Equador.
A gente aprendia tudo isso através de métodos antiguados, chatos e pachorrentamente íamos levando e esquecendo, ahahaha...Agora tudo mudou, novas tecnologias, métodos e o ensino de geografia ficou uma beleza! Ninguém mais esquece paralelo e meridiano...
Dá pra esquecer com esse mapa mundi abaixo???
Preste atenção!
Pegue a lupa e olhe bem ali, ali embaixo, mermão! Ocidente e oriente se separando de maneira espetacular... A África dividida, como sempre.
Agora ficou fácil... Uma confissão, sempre gostei mais do meridiano do que do paralelo, que a professora Raimundinha não leia este post.