domingo, fevereiro 01, 2009

Da janela lateral

Da janela abaixo recentemente eu me debruçava, lendo Pessoa e bebericando um Red Label, inevitável a lembrança de Jorge Perugorría em "Morango com chocolate", dizendo "festejemos esse dia com o uísque do inimigo", ahahaha...
São nesses momentos que Fernando Pessoa fala mais alto...
Com a natureza do lugar emoldurada na janela, eu lia Pessoa com a desenvoltura de um louco:

"O caráter de minha mente é
tal que odeio os começos
e os fins das coisas, porque são
pontos definidos. Aflige-me a
idéia de que
se descubra uma solução para
os mais altos e
mais nobres problemas de
ciência e filosofia;
horroriza-me a idéia de que
uma coisa qualquer possa
ser determinada por Deus
ou pelo mundo. Enlouquece-me a
idéia de que as coisas
mais momentosas possam
realizar-se, de que os homens
pudessem todos ser felizes um dia,
de que se encontrasse
uma solução para os males
da sociedade, mas nas suas
concepções.
Contudo não sou mau
nem cruel;
sou louco e isso
dum modo difícil de
conceber".

4 comentários:

Olivio disse...

Da sua janela,
Proseando com Fernando Pessoa, bem que poderias deslocar esse papo para o Bar café Portela e lá, certamente, teriamos apreciado uma deliciosa moqueca baiana preparada pelo companheiro de Raul Seixas, o compositor e cantador baiano Wilson Aragão.
Sentimos a sua falta.

Codinome Beija-Flor disse...

É quando você abre a janela d´alma que você deixa aqui maravilhas.
Bjos

citadinokane disse...

Olivio,
Naquele dia deu tudo errado.
Quando cheguei lá, estava só o Flávio e a Ray... mas, deixa pra lá!
Tenho certeza que foi muito legal o colóquio.
abs

citadinokane disse...

Flor,
Vou abrir de novo a janela, ahahaha...
És generosa!
bjs