quinta-feira, maio 28, 2009

Procurando Nemo, ops... Remo.

O meu querido aluno Joércio presenteou-me com o banner abaixo, onde pendurei? Na sala de estudo...

Palín... O quê? Como é que é?!

O Vieirinha de Marapanim enviou-me a pergunta: - Sabes o que é um palíndromo? Pensei imediatamente que fosse alguma pegadinha, nunca sei quando ele fala sério, mas o cara não estava brincando. Depois enviou outro e-mail explicando tim-tim por tim-tim:

"SABES O QUE É UM PALÍNDROMO?

NÃO?!

Um palíndromo é uma palavra ou um número que se lê da mesma maneira nos dois sentidos, normalmente, da esquerda para a direita e ao contrário.

Exemplos:
OVO, OSSO, RADAR.
O mesmo se aplica às frases, embora a coincidência seja tanto mais difícil de conseguir quanto maior a frase;
é o caso do conhecido:

SOCORRAM-ME, SUBI NO ONIBUS EM MARROCOS.

Diante do interesse pelo assunto (confesse, já leu a frase ao contrário), tomei a liberdade de selecionar alguns dos melhores palíndromos da língua de Camões... Se souber de algum, acrescente e passe adiante.

ANOTARAM A DATA DA MARATONA

ASSIM A AIA IA A MISSA

A DIVA EM ARGEL ALEGRA-ME A VIDA

A DROGA DA GORDA

A MALA NADA NA LAMA

A TORRE DA DERROTA

LUZA ROCELINA, A NAMORADA DO MANUEL, LEU NA MODA DA ROMANA: ANIL É COR AZUL

O CÉU SUECO

O GALO AMA O LAGO

O LOBO AMA O BOLO

O ROMANO ACATA AMORES A DAMAS AMADAS E ROMA ATACA O NAMORO

RIR, O BREVE VERBO RIR

A CARA RAJADA DA JARARACA

SAIRAM O TIO E OITO MARIAS

ZÉ DE LIMA RUA LAURA MIL E DEZ

Profundo, não?!
É Cultura requintada!!!"

Amanhã vai ser outro dia!!!

Nós temos gente da Comitiva do Estrelado apoiando a oposição no DCE da UFPA, sempre estivemos juntos contando estrelas e acreditando que AMANHÃ VAI SER OUTRO DIA!!! Ahahaha... hoje você é quem manda falou tá falado...


TERRA DO MEIO - Eu Vou!!!

Se alguém perguntar por mim, pode dizer que eu fui para o Restaurante Terra do Meio...
Recebo o convite do amigo Lafayete para visitar o restaurante que o pai dele inaugura no dia 30/05.
EU VOU!!!


"Terra do Meio – restaurante rural
Um lugar para ser feliz.
Enfim um restaurante rural paraense!
Maniçoba, Pato no Tucupi, Caruru e vatapá (à moda do Pará), claro que tem, mas tem também as peixadas.
Filhote, pescada, tamuatá no tucupi, tucunaré, pirarucu, tambaqui, camarão e caranguejo, de toda maneira, galinha caipira, daqui mesmo, do terreiro, assada e ao molho pardo.
Baião de dois com torresmo.
Tem tartaruga, sim senhor! Paxicá, guisada, picadinho, meu Deus. São de comer rezando.
A inspiração foi, inicialmente, da maravilhosa cozinha do Baixo Amazonas, by Rose Salame.
Tem picanha e filé mignon. Alto, mal passado, bem passado, com fritas, purê, farofa de ovo.
E, agora, vem o mais importante:
Tudo isso em um parque ecológico, em Marituba, a 15 minutos de Belém, com 200.000 metros quadrados de rios, e floresta.
Dois quilômetros de trilhas. O silêncio, a toda hora é quebrado pelo cantar dos pássaros, ou pelo papo dos visitantes. E o assunto é sempre o mesmo, as plantas, as árvores, os pássaros e, quem sabe, uma cotia distraída almoçando debaixo de uma castanheira ou cumaruzeiro.
Tem ainda o passeio de canoa pelo rio, debaixo das árvores do igapó ou em meio ao tapete de mururé.
Pode até dar comida para os peixes. Comida que peixe gosta. Peixe e tartaruga.
É programa para homem, mulher, menino e menina, grandes e pequenos. Aquilo que os antigos chamavam de família.
É programa para a turma.
Para o almoço do executivo que tem pouco tempo durante a semana.
Enfim, é a Terra do Meio.
Um lugar para ser feliz.
Em tempo: Abre para o almoço a partir deste sábado, 30.05.
Venha. Vai ser bom."

sábado, maio 23, 2009

Eu Quero Uma Casa no Campo

Adeus Zé Rodrix!
Partiu dessa para uma melhor o grande artista José Rodrigues Trindade (*25/11/47 +22/05/09).Sempre fico incomodado em ver gente boa indo embora pegando o trem das onze, e os calhordas continundo com as picaretagens...

"Eu quero uma casa no campo
Do tamanho ideal, pau-a-pique e sapé
Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e livros
E nada mais..."

terça-feira, maio 19, 2009

Viva o Estrelado e sua Comitiva

Xico Rocha me liga avisando: - Mermão, chegaram os Cds!
O Xico foi o produtor executivo, eu... o assistente do assistente, ahahaha... Tô nem aí! O mais importante é que a criança nasceu com muita vida e quer andar por esse mundodemeudeus.
Duda Bueres e a Comitiva recebendo convites de apresentação por todo o interior do Estado, a galera quer conhecer o boizinho estrelado e a sua comitiva, o ano promete, a quadra junina vai ver o boi dançar, bumba meu boi bumbá!
Amigos da blogosfera o Cd foi prensado e espera por ti, vem buscar o teu Estrelado! Quem ainda não comprou faz contato que a gente envia esse Cd para o mundo inteiro...
O Cd do Estrelado e Comitiva está tocando no Programa do Edgar Augusto - "A Feira do Som" da Rádio FM Cultura. Agradecemos o nosso querido amigo Edgar pela força, obrigadoooooo!!!
Viva o Estrelado e sua Comitiva!!!

segunda-feira, maio 18, 2009

Eles morrem, morremos nós...

Eles morrem, morremos nós...
Augusto Pinto Boal nasceu no Rio de Janeiro em 1931, e faleceu em 2 de maio de 2009 no Rio. Foi diretor, autor e teórico do teatro. Uma referência do teatro brasileiro e principal liderança do Teatro de Arena de São Paulo nos anos 1960. Criador do teatro do oprimido, metodologia internacionalmente conhecida que alia teatro a ação social. Utilizei as técnicas e dinâmicas desenvolvidas por Boal em sala de aula, gostava pra caramba do Boal, extremamente inteligente e sensível, perdemos alguém que irá fazer falta...
Fica abaixo o texto escrito por Boal e Chico Buarque num momento em que os homens de Atenas fugiam da perseguição, vivíamos uma ditadura...

Mulheres de Atenas
Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Vivem pros seus maridos
Orgulho e raça de Atenas

Quando amadas se perfumam
Se banham com leite, se arrumam
Suas melenas
Quando fustigadas não choram
Se ajoelham, pedem imploram
Mais duras penas, cadenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos
Poder e força de Atenas

Quando eles embarcam soldados
Elas tecem longos bordados
Mil quarentenas
E quando eles voltam, sedentos
Querem arrancar, violentos
Carícias plenas, obscenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Despem-se pros maridos
Bravos guerreiros de Atenas

Quando eles se entopem de vinho
Costumam buscar um carinho
De outras falenas
Mas no fim da noite, aos pedaços
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos
Os novos filhos de Atenas

Elas não têm gosto ou vontade
Nem defeito, nem qualidade
Têm medo apenas
Não tem sonhos, só tem presságios
O seu homem, mares, naufrágios
Lindas sirenas, morenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Temem por seus maridos
Heróis e amantes de Atenas

As jovens viúvas marcadas
E as gestantes abandonadas, não fazem cenas
Vestem-se de negro, se encolhem
Se conformam e se recolhem
As suas novenas
Serenas

Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Secam por seus maridos
Orgulho e raça de Atenas


Qual não foi a minha surpresa em saber da morte do escritor, poeta, novelista - Mário Benedetti.

Te quero (Mario Benedetti)
Tuas mãos são minha carícia
Meus acordes cotidianos
Te quero porque tuas mãos
Trabalham pela justiça
Se te quero é porque tu és
Meu amor, meu cúmplice e tudo
E na rua lado a lado
Somos muito mais que dois
Teus olhos são meu conjuro
Contra a má jornada
Te quero por teu olhar
Que olha e semeia futuro
Tua boca que é tua e minha
Tua boca...


O seu nome era quilométrico: Mario Orlando Hamlet Hardy Brenno Benedetti, nascido em 14 de setembro de 1920 em Paso de los Toros no Uruguay, o grande poeta Mario Benedetti morreu neste domingo, 17, em Montevidéu aos 88 anos, insisto morremos nós...

quinta-feira, maio 14, 2009

Sentimento do mundo e os homens

Noite de insônia e todo sentimento do mundo escorrendo pelos meus poros... Sinto a necessidade de rever o meu mapa de navegação, percebo o quanto deixei de investir em fraternas relações de pessoas sensíveis e amorosas. Nunca devemos nos envergonhar de expressar amor pelas pessoas que cruzam o nosso caminho...
Qual não foi o susto de um amigo, no tempo de estudante, ao assistir a palestra do Professor Luiz Alberto Warat e constatar que o questionador mestre argentino estava falando de amor em pleno encontro de estudantes de Direito, palavras do meu amigo e que não esqueço: - Esse cara tá doido, falando de amor pra gente.
Meu amigo queria saber de normas jurídicas, regras secundárias, técnicas e dogmas... Não queria saber de amor... Achava que não era sério o que Warat dizia.
Li os manifestos escritos pelo impactante Warat, Olivio está de testemunha, naquelas folhas de papel pulsava vida, eram escritos para os vivos, Warat questionava a dogmática que sepultava toda rebeldia bendita...
Grande parte daquela juventude no plenário estava morta... Morta para o amor...
Antes que algum incauto venha fazer gracinha, estou me referindo ao amor que dignifica a condição humana e que aproxima todos de uma dimensão cidadã, de respeito e preocupação com a infância e velhice abandonadas, esses que perambulam pelas ruas e praças são todos nossos irmãos, filhos, pais e avós esquecidos...
Nilton Atayde segredou-me que o cara que diz que é amigo dele, trata ele bem, mas que maltrata os empregados ou os filhos e esposa, ele dispensa esse tipo de amigo. Concordo com o Nilton, eu também não quero essa amizade. E também não quero amigo utilitarista.
Tenho apenas duas mãos...

segunda-feira, maio 11, 2009

José Serra: - Fiquem longe dos porquinhos!

Segundo o eterno presidenciável José Serra, com relação à gripe suína, o negócio é não se aproximar dos "porquinhos", tô falando sério! Assista abaixo o vídeo em que ele dá essa dica, mas antes de ir para o vídeo, aprendi que não devo me aproximar dos "porquinhos", achei tão singela a explicação, me senti um bobinho, como eu não tinha sacado antes, sou um mané, pô! Não posso esquecer, a gripe é suína, porquinhos... Não poderei mais beber uns cálices de periquita com o Vieirinha de Marapanim, Rogério, Wanderlei, ahahaha... Pura sacanagem meus irmãos de fé e faca amolada!

domingo, maio 10, 2009

Cachazzística Prece Marajoara

O lundu ou lundum é gênero musical e uma dança brasileira, contribuíram para a sua formação no Brasil, os batuques dos negros bantos de Angola e outros ritmos portugueses, apresenta uma estrutura rítmica sincopada e repetitiva. O Lundu derrama malemolência e aspectos lascivos, também pudera, o ponto alto da dança é a umbigada, é isso mesmo, a umbigada é o encontro rápido dos umbigos das moças e dos rapazes, prenhe de sensualidade... As moçoilas ficam rebolando sendo cortejadas pelos rapazes de rapina, ahahaha... Os caras são todos sarados, eles rebolam muuuiiito fazendo gestos que imitam o ato sexual, não sei por que o Vieirinha de Marapanim quando assiste a dança do Lundu, insiste em balbuciar com os dentes cerrados: - Já fui bom nisso...
O Lundu foi acusado pela corte portuguesa de ser contrário aos bons costumes e foi proibido. Sensualidade e jocosidade nas letras é o Lundu minha gente! Vem Lundu com tuas morenas requebrando(só as meninas, peloamordedeus!!!), vem assim mesmo, requebrando... Com toda a tua licenciosidade, vem... assim que é bom!!!
E quando o paraense sente banzo, o melhor é chorar ao rítmo do Lundu... Foi isso que o mestre Bueres fez... Chorou tanto em São Paulo que as lágrimas viraram um Lundu marajoara, ele insiste em dizer que é uma prece... Tá bom, mermão! É a “Cachazzística Prece Marajoara”, segundo a lenda, o mestre Bueres encheu uma cuia com a cachaça de Abaeté, com as duas mãos apanhou a cuia e a levou ao alto da cabeça, talvez pedindo bençãos, para depois jogar todo o conteúdo da cuia na goela abaixo...O cara ficou em transe e saiu a música enxutinha... Pelo menos assim diz a lenda.
Ainda perdura o Lundu em dança de roda, encontramos essa modalidade na Ilha do Marajó e aqui em Belém.
A música abaixo está no 1º Cd do "Mestre Bueres e a Comitiva do Estrelado", por favor, prestigiem comprando o Cd, pode deixar que a gente envia para toda a parte do mundo, é verdade!!!
Nessa música, continuo fazendo a 2ª voz, "como é difícil enfrentar satã somente com orações"... Os amigos sabem que não posso ofuscar o cantor principal, obrigado pelo apoio, mas continuarei na 2ª voz e só.

domingo, maio 03, 2009

Carta aos Delegados do Pará

O leitor e amigo do blog Nilton Atayde manda e-mail para publicação de sua Carta aos delegados do Pará, deixo em aberto para o debate democrático.

"Prezados colegas,
Como é do conhecimento de todos, fui afastado de minhas atividades sindicais pelo senhor delegado geral, fato ocorrido há vinte dias, mais ou menos. Em suas alegações, o DG, incorrendo em equívoco por sua assessoria, entendia que somente dois servidores da Policia Civil podem ser licenciados por entidade. Como o SINDELP tinha três delegados licenciados, optou o senhor DG em me afastar da atividade sindical. Para mim foi uma enorme surpresa, principalmente por dois motivos: a) o atual delegado geral, desde que me entendo na polícia civil, sempre esteve ligado a atividades sindicais, ficando aproximadamente oito anos em plena militância. A consciência sindical não deve ser uma mera circunstância, mas uma firme convicção no sentido de melhoramento da respectiva entidade, o que foi postergado. Lembro-me de uma frase de Agostinho Neto, militante político nas décadas de 70/80, em favor da independencia de Angola. Dizia o militante: Não basta que seja pura e justa a nossa causa, é necessário que a pureza e a justiça existam dentro de nós. A história é cíclica, como entendem alguns pensadores, mas não me parece que seja incoerente. Na atual conjuntura política do Pará, onde temos como governadora uma ex-militante sindical, nada mais propício do que justamente o fortalecimento das entidades sindicais, ou pelo menos respeito com elas. Mas a história é cíclica, como alguns entendem..O motivo "b" reside no fato de que, se a minha "retirada" do SINDELP foi por algum motivo presumidamente político (sou elemento politico apenas na concepção filosófica, aristotélica. Nada mais, como alguns podem imaginar), o que pode ter como causa alguma ação do SINDELP, também não tem sentido. O Dr. Benassuly, na administração passada, sempre ocupou cargos de direção (DAS) e teve, de minha parte, todo o respeito que é devido. Sempre foi, em suma, prestigiado, por isso não quero acreditar que o ato agora revogado pela justiça tenha tido como causa alguma conotação de cunho político.
É cediço também que, por não concordar com o ato do delegado geral, por entendê-lo ilegal (o que, à propósito, lhe fora demonstrado em uma exposição de motivos onde se pleiteava a reconsideração do ato, e que foi solenemente ignorado), usando de garantias constitucionais, o SINDELP ajuizou mandado de segurança no sentido de garantir a autonomia e a independência sindical. Fomos atendidos em nosso pleito, em caráter liminar, mediante decisão do juízo da 2ª vara da Fazenda Pública da Capital, cujo titular é o dr. Marco Antonio Lobo Castelo Branco.
Assim, volto as atividades do SINDELP até decisão de mérito, o que deverá ocorrer brevemente. Quero agradecer as manifestações de apoio que tive de vários colegas delegados, inclusive do interior, e lamentar pelo silêncio de nossa irmã classista, a ADEPOL, que em nenhum momento manifestou qualquer solidaderiedade ao SINDELP, ou à mim, pelo ato abusivo.
Obrigado!!
Nilton Atayde (Secretário Geral do SINDELP).

Carta aberta ao deputado Jordy

Conheço o deputado estadual Arnaldo Jordy, inclusive disputou a Prefeitura de Belém no último pleito com destacada atuação nos debates... Considero Jordy um grande nome na política paraense, pelo seu posicionamento ético e pelas lutas históricas, sempre ligado ao campo da esquerda, um dos quadros mais bem preparado do antigo Partidão, e não poderia deixar de lembrar do querido Lauande que com a voz rouca e uma eloqüência tenaz levantava a bandeira do Jordy...
Recebo o e-mail com o pedido que seja publicada a carta que a jovem liderança estudantil - David Carneiro escreve para o deputado Jordy.
Espero que seja um profícuo debate.

"Mudanças na Poupança: Carta Aberta a um Deputado do PPS

Excelentíssimo Senhor Deputado Arnaldo Jordy,
1 - A despeito de todas as diferenças ou divergências políticas que mantenho a respeito de seus posicionamentos, sempre admirei o trabalho de Vossa Excelência e o tomo por um político honesto e competente. Foi com muita surpresa, e não sem indignação, que reagi ao ver o programa do partido de Vossa Excelência na televisão, dizendo que o governo Lula, assim como o governo Collor, iria mexer na poupança. Peço, humildemente, que leve minhas considerações aos seus colegas de partido.
2- Como estudante de direito, não sou nenhum especialista em economia. Contudo, isso não me impede de, com um certo esforço, tentar acompanhar o debate sobre a política econômica do meu país e nem de desenvolver alguns juízos de valor acerca deste assunto. Assim, toda a pessoa de razoável instrução sabe que, com o processo de queda dos juros, a poupança tende a ficar mais atrativa do que alguns fundos de investimento e que, se a tendência de queda se confirmar, uma migração mais consistente de capitais ( perdoe se não uso os termos técnicos apropriadamente) para a caderneta poderia trazer prejuízos para nossa economia. Assim, cogita-se a possibilidade de se alterar a rentabilidade das cadernetas. É nestes termos que hoje se faz o debate sobre a poupança, certamente um debate difícil e delicado.
3 - Mesmo assim, o próprio governo já garantiu que não haverá mudanças para aplicações até 15 mil reais, faixa que já abarcaria de qualquer forma mais de 90% dos poupadores. Afirmação que não impede, de qualquer modo, que o PPS defenda a posição contrária a qualquer mudança na poupança, o que é, sem dúvida, uma questão complicada. No entanto, nada justifica a propaganda alarmista e mentirosa do seu partido.
4 - Ontem mesmo fui surpreendido com uma tia minha, uma pessoa simples e honesta, quase espavorida com medo do novo confisco que fariam na poupança. Ao tentar fazer qualquer ligação do atual debate sobre a poupança com o confisco ocorrido durante o governo Collor, o seu partido adota uma maneira canalha e baixa de fazer política, explorando um temor injustificado por parte da população e fazendo insinuações que não guardam qualquer semelhança com a realidade e nem levam a quaisquer dividendos políticos de longo prazo.
5 - Na presente propaganda, o partido de Vossa Excelência, o PPS, explorou o que exploram todos os partidos conservadores e reacionários do Brasil: a ignorância dos pobres, a paranóia de parte da classe média e a intolerância dos ricos. Foi uma propaganda infeliz, antidemocrática e conservadora. Se a idéia era anunciar um novo bloco “democrático e reformista” o PPS começou muito mal. Pelo menos, hoje o povo brasileiro está mais atento a este tipo de prática.

Esperançoso de dias melhores para o nosso país,
David Carneiro, estudante de direito da UFPA. Membro do Conselho Federal de Assuntos Acadêmicos da OAB.
www.tribunadodavi.blogspost.com