terça-feira, junho 09, 2009

Guerreiros, ouvi...

Sempre me tocou profundamente as linhas tracejadas por Gonçalves Dias no poema I-Juca Pirama, talvez pelo resgate da dignidade dos indígenas em versos, e acima de tudo por querer construir uma nação incluindo o elemento nativo, valorização...
Sou síntese...
Tenho raízes no Marajó, uma mistura italiana com indígena... Meu sentimento: - Sou bravo sou forte, sou filho do norte!!!

I-Juca Pirama (Gonçalves Dias)
Meu canto de morte,
Guerreiros, ouvi:
Sou filho das selvas,
Nas selvas cresci;
Guerreiros, descendo
Da tribo tupi.
Da tribo pujante,
Que agora anda errante
Por fado inconstante,
Guerreiros, nasci;
Sou bravo, sou forte,
Sou filho do Norte;
Meu canto de morte,
Guerreiros, ouvi.

2 comentários:

Anônimo disse...

Que tal um link (é assim que se fala?) para o poema completo do poeta maranhense?

Melhor ainda seria recitá-lo, já meio mamado, às margens da nascente do Uriboca.

citadinokane disse...

KKKKKKKK...
Vou tentar, ok?