quinta-feira, julho 30, 2009

Eleição da OAB-PA: Unidade na diversidade.


Recebo e-mail do amigo e advogado Ismael Moraes, uma simpatia de pessoa... Foi da direção do Centro Acadêmico de Direito da Federal do Pará, um cara paid'égua! Muito polêmico, e às vezes incompreendido. Ismael desde o tempo de acadêmico de Direito já esboçava sua preocupação com uma advocacia social, mesmo advogando para sobreviver, dedica hoje um tempo para advogar para os ribeirinhos de Portel contra a empresa: Agropecuária Brasil Norte S/A.
Já comprou briga com a governadora do Estado do Pará, Ibama e outros órgãos governamentais. Era o advogado do nosso saudoso blogueiro Juca do 5ª Emenda na ação que a família Sefer movia contra o poster do 5ª Emenda.
Recebo sua carta e publico na íntegra, comungando dos argumentos expostos abaixo:

União de contrários demonstra equilíbrio e qualidade
Do advogado Ismael Moraes

Pensar a OAB como a única entidade profissional com poderes constitucionais para estar verticalmente perante os Poderes da República, sem ser vinculada a partidos políticos ou submissa a grupos econômicos ou sociais; constituir a advocacia de membros que honrem a profissão, não apenas em conhecimento e honestidade, mas em dignidade no exercício das prerrogativas profissionais, combatendo a injustiça, a corrupção, os desvios de poder e as graves violações aos direitos humanos.
São estes os vetores que me fazem aderir à composição da aliança para lançar Jarbas Vasconcelos e Ophir Cavalcante Jr., respectivamente às presidências da OAB do Pará e nacional. A combinação das qualidades dos grupos que ambos representam, e dos freios e contrapesos que irão antepor a cada qual nos senões que devem ser apurados, são as maiores garantias de que aquelas aspirações podem estar próximas do alcance, sonho de várias gerações que estiveram à frente da OAB, agora uma OAB prestes a estar oxigenada pela heterogeneidade de tantas diferenças.
Ao candidatarem-se aos cargos de representação de nossa entidade, os advogados devem estar despidos de outros interesses e revestidos senão daqueles primordiais à advocacia, nos seus conceitos mais republicanos, democráticos e de justiça. Pretender a presidência da OAB/PA e do Conselho Federal da OAB é e deve ser grande demonstração de desapego material e de interesses pessoais, posto que implica o abandono do escritório e na dedicação absoluta aos assuntos da entidade. Mas querer mercadejar cargos e influência em troca de sinecuras, sim, é trair a confiança, é corromper e contaminar a OAB com os vícios que permeiam os poderes públicos, dos quais a OAB deve ser permanente fiscal, isenta de máculas.
Todos os que me conhecem sabem da minha independência de partidos políticos, de grupos ou interesses, assim como sabem das lutas, às vezes solitárias, que arrosto diante de forças tidas como inelutáveis. Portanto, minha participação nessa aliança busca levar os sonhos de todos os advogados que assim anseiam para dentro do Casarão da Trindade e para todos os locais que abrigam uma subseccional da OAB, por mais distante e humilde que seja.
Acredito que os anos de embate entre os grupos ora em união demonstram que se chegou à medida certa de equilíbrio e qualidade.

Ismael Antonio de Moraes
OAB-PA nº 6942

8 comentários:

Ismael Antonio de Moraes disse...

Caro Nelito, a apresentação que fizeste de mim veio-me como uma espécie de habeas corpus. Fico triste em ver muitos contemporâneos nossos (não apenas de um tempo que passou, mas de sonhos que quisemos viver) estejam hoje absorvidos pela ilusão de estar no poder e submetidos a uma estrutura da qual aceitaram a captis diminutio lhes imposta - não sei como pensa hoje o prof. Agostinho Ramalho (será que está como tantos intelectuais que fazem um contorcionismo verbal incrível a fim de justificar sua adesão àquilo que se transformou a esquerda no País?)mas gostaria que aquele, que nos deu aula no distante ano de 1989, desse um perfil atual do são hoje aqueles colegas a quem me refiro.
As tuas palavras são muito importantes para mim, considerando vindas de quem vem...
Grande abraço.

Nilton disse...

Pedro, fico mais á vontade em saber que comungas, também, da amizade do Ismael. Trata-se, realmente, de uma uma pessoa ímpar, além de ser um baita profissional do direito. Foi ele quem me socorreu, recentemente, da tentativa de uma arbitrariedade vinda da administração superior da minha instituição.
São Ismael estava comigo e a legalidade foi restabelecida.
O Ismael merece. Valeu!
Nilton Atayde.

citadinokane disse...

Ismael,
Mermão! Muitos aceitaram a "captis diminutio"... Vamos preservar o Prof. Agostinho Ramalho, foi o pedido feito pelo amigo Oliviomar, vamos conversar com o Professor, né?!
abraços,
Pedro

citadinokane disse...

Nilton,
O Ismael é irmãozinho de longas datas... quando tudo parece ser contrário, eis que aparece o nosso amigo, né?!
abraços,
Pedro

ismael antonio de moraes disse...

Querido Pedro, na verdade não sei como vai o Prof. Ramalho, e não estou fazendo crítica a ele.
Mas é salutar estar entre amigos: meu caríssimo Nilton, intelectual refinado; meu colega de sempre Oliviomar, acima de minhas posições políticas, exemplo de tolerância. A todos agradeço pela tolerância às posições e às críticas que faço. Abç

citadinokane disse...

Ismael,
Pode ficar tranqüilo, o debate engrandece a todos, crescemos quando confrontamos percepções sobre o mundo e somos convencidos não pela força, mas pelo argumento.
Bora marcar um dia pra gente beber uns sucos, Nilton e Oliviomar estarão presentes, com certeza!
abraços,
Pedro

Ismael disse...

Ótimo, talvez vc trazer o Nilton, pois estou tentando marcar isso com ele há muito. Abç

citadinokane disse...

Ismael,
Manda teu telefone para o meu e-mail, ok?!
Um forte abraço mermão!